Década de 2010

75º ASSEMBLÉIA – 2010 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 29 de março a 2 de abril de 2010

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES “EM NOME DO SENHOR JESUS”

TÓPICO 1: EXPRESSÕES QUE NÃO DEVEM SER FALADAS

Ao agradecer a Deus nos testemunhos não se deve dizer que Deus confundiu a ciência ou a medicina.

TÓPICO 2: NÃO FILMAR ,NEM FOTOGRAFAR ,NEM GRAVAR OS SANTOS SERVIÇOS

Não dever ser filmados, nem fotografados, nem gravados os santos serviços, quanto aos estranhos a nossa fé, devemos aconselhar a não fazê-los, participando do culto devemos estar com os celulares desligados.

TÓPICO 3: HINO DE ABERTURA DO ENSAIO LOCAL

Não cantar ,ainda que no histórico musical e instrução regulamentar para as orquestras constam que deve ser cantado este hino , o ministério considerou desnecessário cantá-lo , nos ensaios regionais permanece a orientação para se cantar o hino inicial.

TÓPICO 4: PULSEIRAS COLORIDAS

Alerta a irmandade, a nova moda de pulseiras coloridas que surgiu , é completamente inconveniente para nossa mocidade e nossas crianças, é coisa perigosa devido às intenções nelas contidas, que podem deturpar os bons costumes e induzir ao mal ,os pais vigiem sobre seus filhos.

TÓPICO 5: FORMA CORRETA DE NOS DIRIGIRMOS A DEUS

Quando oramos devemos dirigir ao pai em nome do senhor Jesus , portanto vos oreis assim ,pai nosso que estas no céu ,santificado seja o teu nome , se dirige ao pai em nome do senhor Jesus , o próprio senhor Jesus disse , na verdade na verdade vos digo , tudo quanto pedirdes ao meu pai em meu nome ele vos a de dar, terminamos a oração agradecendo a Deus em nome do senhor Jesus , lembremos que o senhor Jesus também ensinou ; quando orardes não useis de vão repetições , pois muitos usam palavras em louvores a Deus com tanas repetições na oração que metade destas palavras se resumem em repetições desnecessárias

TÓPICO 6: RECONCILIAÇAO NÃO É SÓ NO DIA DA SANTA CEIA

Alguns julgam que só no dia da santa ceia é dia de reconciliação , mas devemos nos reconciliar continuamente ,pois não sabemos nem o dia da nossa partida, a finalidade da santa ceia é mantermos sempre a lembrança da morte do senhor Jesus , a nossa chamada do mundo para a graça de Deus e também nos conservar purificados de todo mal.

TÓPICO 7; INSTRUMENTOS NÃO MAIS ACEITOS EM NOSSAS ORQUESTRAS

Não serão mais aceitos em nossas orquestras os acordeons , sax baixo , sax contrabaixo , sax super baixo ou qualquer outro instrumento modificado de sua concepção original ,sax sofone mais grave que o sax barítono também não serão mais aceitos ,este tópico deve ter aplicação a partir de 02/04/2010 ,os que já estão na orquestra permanecem ,mas deverão ser aconselhados a trocar de instrumento assim que possível.

TÓPICO 8: CANTO EM OUTRAS VOZES NOS CULTOS

Lembramos a querida irmandade que desde o inicio desta obra fomos ensinados a não ter corais em nossas igrejas, isto é ,conjunto de vozes de irmãos e irmãs que cantam isoladamente ,neste ensinamento antigo permanecer , o canto dos nossos hinos devem ser entoados por igual por toda irmandade nos cultos, sem que aja grupos cantando isoladamente em vozes que não seja o soprano , pois os irmãos e irmãs que não conhecem a parte musical e os novos na graça ficam confusos sem saber qual das vozes acompanhar,quem canta deve cantar com pureza e sentimento para com Deus ,para que seu louvor seja aceito pelo senhor , se alguém deseja cantar noutra voz que não seja o soprano ,deve fazê-lo para si mesmo em voz muito baixa de modo a não desorientar quem esta sentado ao seu lado ,cantando o soprano , pois é o canto do soprano que deve prevalecer na igreja , nos nossos cultos já é suficiente o que faz a orquestra executando as quatro vozes , mantendo-nos neste procedimento para que permaneça a espiritualidade entre nós e para proveito de nossos irmãos.

TÓPICO 9: MOMENTO CERTO PARA CANTAR HINOS

A hora da liberdade para os testemunhos não é o momento adequado para cantar hinos , nos casamentos da mesma forma ,não se deve cantar nem tocar hinos pois os mesmos são sacros.

TÓPICO 10: VÉUS – NOVIDADES

Em muitas localidades estão surgindo véus diferentes dos que as irmãs sempre usaram até agora, são véus com rendas enormes, véus especiais para organistas e até véus de cores diferentes, que não são totalmente brancos, em algumas localidades a véus com figura de pássaros e outros desenhos, deve se parar com esta novidade e permanecer na simplicidade que sempre tivemos desde o inicio da obra de Deus, nos funeral de uma Irma não e necessário cobrir a cabeça com véu, a palavra de Deus manda que a mulher se cubra com o véu quando ora ou profetiza, isto é os vivos, também não se deve colocar a bíblia nem hinário dentro do caixão.

TÓPICO 11: DIVERGÊNCIA ENTRE CASAIS – A INTERFERÊNCIA DOS PAIS

No caso de divergência entre casais de nossos irmãos, a interferência dos pais de ambos deve ser sempre procurando e aconselhando a reconciliação e não a separação.

TÓPICO 12: FESTA DE 15 ANOS – EXAGEROS

Algumas de nossas jovens ao celebrar a festa de 15 anos de idade exageram e dançam a valsa, indo às vezes ate altas horas da madrugada, bailes em festas de nossa irmandade são reprovadas pela nossa doutrina.

TÓPICO 13-ADVERTÊNCIA À IRMANDADE SOBRE VAIDADE E COSTUMES DO MUNDO ATUAL

Ultimamente, vem se observando que a vaidade e os costumes do mundo atual estão se alastrando no meio do povo de Deus. A irmandade,em geral, tem responsabilidade perante Deus de se enquadrar na Doutrina.

As irmãs devem evitar trajes exagerados vestindo sempre roupas modestas. As santas do Senhor não devem usar pinturas, nem depilar as sombrancelhas ou tingir os cabelos,nem darem-se à exibição de jóias.

Devem ter os cabelos crescidos conforme a Palavra. Vestidos decotados,sem mangas, saias curtas ou abertas, roupas transparentes ou modelos indecorosos não devem fazer parte dos costumes das servas de Deus.

Irmãos que tingem os cabelos e bigodes também devem entrar na disciplina.

Os jovens devem se abster de penteados e cortes de cabelo exóticos e exagerados.

Nossa irmandade deve abster-se de tatuagens e piercings. Porém aos que estão se convertendo ao Senhor e são tatuados, nada devemos impor.Aguademos que o Senhor faça a obra em cada coração

Alem dos tópicos acima mencionados , o ministerio com a guia de Deus incluiu os topicos 18 e 41

TÓPICO 18: EMPRÉSTIMO DE DONS- NÃO USAR ESTA EXPRESSÃO

TÓPICO 41: EVITAR QUE RELATÓRIOS SEJAM ENVIADOS A ESTABELECIMENTOS PRISIONAIS

 

76ª ASSEMBLÉIA – 2011 – RESUMO DE ENSINAMENTOS

SÃO PAULO – 19 A 23 DE ABRIL DE 2011

INICIARAM-SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

Somente os tópicos assinalados com asterisco (*) deverão ser lidos nas congregações, perante a irmandade em cada reunião de ensinamentos entrarão em vigor após a realização anual de ensinamentos.

* 1 – GRAVAÇÃO DE SERVIÇOS SANTOS

Não é conveniente e nem contribui para edificação realizarem-se gravações de pregações palavra, orações e outros serviços que o senhor nos concede.

A Palavra vem pelo Espírito Santo, dirigida para aquele ato e para aquele momento. Vem inspirada com a fé para edificação de que a ouve. Já o gravador materializa a pregação, não produzindo o mesmo efeito no coração de quem a ouve.

Este ensinamento e antigo (Assembléia de 1988) Portanto evitemos tais gravações.

* 2 – FREQÜÊNCIA NOS CULTOS PARA OUVIR A PALAVRA DE DEUS

A irmandade deve esforçar-se para freqüentar os cultos a fim de ouvir a Santa Palavra de Deus para sua firmeza na fé. Na Sagrada Escritura existe tudo o que se precisa, individual e coletivamente.

Se alguém precisa de sabedoria para entender o que Deus tem já revelado em sua Santa Palavra com filho, deve recorrer a ele para alcançar o necessário entendimento.

Há irmãos que esta impossibilitado de congregar por motivo de enfermidade; e necessário que irmãos do ministério o visitem, expondo para eles a palavra de Deus, para que não venham a enfraquecer na fé.

* 3 – CARTA DE APRESENTAÇÃO

A irmandade não deve receber em suas casas irmão ou irmã desconhecidos, sem antes consultar o ministério local que, baseado na carta de apresentação, recomendara ou não os recém chegados.

* 4 – “AMEM”

Quando o servo de Deus anuncia o capitulo e o versículo da Palavra, a irmandade não precisa dizer a palavra “Amem”, Apenas Quando termina a leitura.

* 5 – COMUNICAÇÕES VIA INTERNET

Esta se espalhando entre a irmandade, principalmente entre os jovens, a participação em redes sociais ou comunidades virtuais, formadas ou em formação, que se relacionam via internet. Muitos colocam suas fotos, seus dados pessoais, endereços de suas preferências, isso poderá despertar a atenção de pessoas mal intencionadas e acarretar sérios problemas s prejuízos. Esse tipo de comunicação permite, também, fazer montagens fotográficas que poderão colocar pessoas em situação difícil e embaraçosa.

A irmandade (principalmente a mocidade) deve ser exortada a se guardar, não se expor, para não correr o risco de se desencaminhar. Muitos, infelizmente, já se desencaminharam. Esse tipo de relacionamento via internet não serve para o crente.

Outrossim, pessoas que se intitulam nossos irmãos estão colocando na internet assuntos referentes a congregação e a irmandade, sem o nosso consentimento

Tudo que o crente tem de necessidade para sua vida, principalmente espiritual, esta contido na Palavra de Deus, que o Senhor envia, todos os dias nos Santos Cultos, a irmandade não deve se envolver com coisas que só trazem confusão na obra de Deus.

* 6 – FUNERAL – HORÁRIO

Anuncia-se a hora da saída do enterro e avisa-se a irmandade que o serviço divino funeral normalmente é iniciado uma hora antes; mas que, dependendo da situação poderá ser antecipado o seu inicio.

* 7 – CONSTRUÇÕES – GRUPOS DE IRMÃOS

Grupos de irmãos que se propõem a construir casas de oração em alguns Estados deve dirigir – se, primeiramente, aos servos que atendem aquela região e a respectiva administração necessária.

* 8 – ALDEIAS INDÍGENAS

Conforme tem sido amplamente divulgado pela imprensa escrita, falada e demais meios de comunicação, a visita de pessoas não credenciadas nas aldeias indígenas, tem causado muitos transtornos, alterando hábitos e costumes, infringindo as leis de proteção ao inicio. Alguns religiosos saindo fora dos princípios de evangelização, pedem aos índios objetos de artesanato e outros mais para beneficio próprio.

Somente a presidência da FUNAI é que pode conceder permissão para ingresso em termos indígenas no pais. Embora em varias aldeias haja a Obra de Deus, todavia, a irmandade deve abster-se de fazer visitas, deixando isso a cargo dos servos já designados para essa finalidade, a fim de evitar que a Congregação venha a sofrer restrição de evangelização, como tem acontecido com algumas denominações religiosas.

Outrossim, não se pode fazer coleta em aldeias indígenas. É proibido pela FUNAI.

Doações de roupas, instrumentos musicais, etc., deverão passar pelo ministério antes de ser encaminhadas as aldeias.

* 9 – CONTRIBUIÇÃO À PREVIDÊNCIA

Os irmãos que trabalham por conta própria, executando serviços diversos, devem contribuir para o INSS , pois é uma garantia para a família em caso de eventual ocorrência como doença e morte. Esta havendo muitos casos em que o irmão trabalha nessas condições, não se cadastra, não paga contribuição a previdência social e, vindo a ficar idoso, doente ou a falecer, deixa a família totalmente desamparada.

ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

10 – ENFERMOS QUE PEDEM BATISMO.

Já há ensinamento antigo de que, quando um enfermo pede batismo, deve se atender mais rapidamente possível, no próprio local, em um tanque portátil. Não se deve esperar para trazer enfermos graves nos batismos gerais.

11 – APRESENTAÇÃO DE COOPERADOR A IRMANDADE.

A apresentação de Cooperador do Oficio Ministerial a irmandade deve ser feita antes da palavra, podendo-se suspender ou abreviar os testemunhos, quando o Ancião que está presidindo deve chamar o novo Cooperador para cima do púlpito e ali fazer sua apresentação a irmandade. E em seguida o Ancião fará uma oração pedindo a Deus a Sua benção sobre ele (sem imposição de mãos) Após a oração o novo cooperador agradecerá a Deus e pedirá a oração da irmandade.

Quanto ao cooperador de jovens e menores, será apresentado no culto oficial, antes da Palavra e, depois, na reunião de jovens e menores, quando, então, se fará a oração.

12 – APRESENTAÇÃO DE AUXILIARES PARA A REUNIÃO DE JOVENS E MENORES.

A apresentação de auxiliares para a reunião de jovens e menores deve ser feita na própria reunião e não no culto oficial.

13 – REUNIÃO COM OS AUXILIARES DA REUNIÃO DE JOVENS E MENORES.

Onde houver necessidade podem ser feitas essas reuniões.

14 – PREGAÇÃO – NÃO LER SOMENTE UM VERSO OU O TITULO.

É necessário cuidado para que não se espalhe essa modalidade de ler apenas um verso ou titulo do capitulo, para depois fazer uma pregação muito extensa. A irmandade pode até perder o estimulo de levar a bíblia aos cultos. Deve-se ler o capitulo e, se ele for extenso e o tempo suficiente, interrompe-se a leitura em um determinado ponto, conforme a guia de Deus.

15 – PREGAÇÃO – HÁBITOS QUE DEVEM SER ABOLIDOS.

Temos sempre dado ensinamento a esse respeito, mas há servos que continuam errando nestes pontos. Muitos batem na tribuna quando pregam. Na tribuna estão os dizeres “Em Nome do Senhor Jesus” e não é lugar para se estar batendo. Mais grave ainda é bater sobre a Bíblia. Esse costume deve ser abolido pois é um desrespeito ao Nome do Senhor. A irmandade também nota isso e não aprova.

Não é necessário bater em lugar nenhum quando se exporta a Palavra. Alguns correm de um lado para outro do púlpito e dão pulos enquanto pregam. Outros batem na perna, batem palmas, dando um mau aspecto. E há os que exageram no falar, gritando na pregação. Esses hábitos devem acabar.

Outrossim, há pregadores que se preocupam mais em pregar promessas e libertações do que a doutrina. Nada deve ser feito por costume, mas por revelação de Deus.

16 – OUTRAS DENOMINAÇÕES – CUIDADO NAS PREGAÇÕES.

Cuidado para não mencionar nomes de denominações nas pregações. Tornamos a dar ensinamento ao ministério de que nos cultos e, principalmente nas pregações, não devemos mencionar nomes de denominações religiosas. Assim deve o ministério proceder e ensinar a irmandade também.

17 – DUVIDAS E ESCLARECIMENTOS.

Quando algum irmão do ministério tiver alguma duvida ou precisar de algum esclarecimento, deve dirigir-se ao Ancião mais antigo da região ou do Estado para depois, se necessário, dirigir-se aos anciães mais antigos que se reúnem em São Paulo.

18 – CARGOS E OUTRAS NECESSIDADES PARA OS QUAIS SE ORA E PARA OS QUAIS NÃO SE ORA BUSCANDO CONFIRMAÇÃO.

Ora-se em reunião ministerial, buscando-se a confirmação de Deus para os seguintes ministérios e cargos: Anciães; Diáconos; Cooperadores do Oficio Ministério; Cooperadores de Jovens e Menores; Encarregados de Orquestra Regionais e Locais; Irmãs Examinadoras de Organistas; Membros da Administração (titulares, vices e auxiliares) e do Conselho Fiscal; Irmãs para a Obra da Piedade; Batismos; Reuniões para a Mocidade; Reuniões para Jovens e Menores; Viagens Missionárias; Aumento ou supressão de Dias de Culto; Necessidade de Compra (ou Venda) do Imóvel.

Não se ora em reunião ministerial (porém se considera entre o ministério), para: Santa Ceia, comodatários (moradores em casas de oração); irmãos que colaboram na administração (sem fazer parte oficial dela); Auxiliares das Reuniões de Jovens e Menores; Auxiliares de Ensino Musical; Porteiros; Alteração de Dias e Horários de Cultos e das Reuniões de Jovens e Menores;

Outrossim; quanto aos que colaboram na Administração e para os quais não foi orado, denominam-se “colaboradores”.

19 – REUNIÕES PARA A MOCIDADE – PERGUNTAS.

O Ancião que preside não deve abrir a liberdade para se fazerem perguntas na reunião da mocidade. Deve-se exortar a irmandade a ler a Bíblia para conhecer melhor a Palavra de Deus.

Outrossim, deve-se honrar os servos locais e não convidar sempre irmãos de fora para atender a reunião da mocidade.

20 – ENCARREGADOS REGIONAIS – ATENDIMENTO A OUTRAS REGIÕES.

Os encarregados regionais foram colocados por Deus para atender cada qual a sua região. Atendimentos a outras regiões devem passar por reunião ministerial.

21 – ENSINAMENTOS REGIONAIS

21 – ENSINAMENTOS REGIONAIS – SÓ DOIS ENCARREGADOS REGEM

Em muitos ensaios regionais um encarregado marca o atendimento, mas comparecem vários regionais. Somente deve reger o que marcou o atendimento e, eventualmente mais um. Não deve haver revezamento na regência de ensaios regionais.

O mesmo hino não deve ser ensaiado pelos dois encarregados, no mesmo ensaio.

Aplica-se a mesma regra para ensaios locais. Se estiver presente um encarregado regional, no ensaio local, deve-se oferecer-lhe a liberdade.

A parte espiritual pertence ao ministério e não aos que regem.

22 – LIBRAS – LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS

Esta sendo preparado um novo livreto sobre LIBRAS onde constarão as instruções necessárias, não para ser distribuído a irmandade, mas para todo o Ministério e para os irmãos envolvidos com essa parte.

23 – INTERNET – COMUNIDADES VIRTUAIS E REDES SOCIAIS.

Recomendamos ao ministério que não faça parte das redes sociais ou comunidades virtuais da internet para não degenerar, correndo o risco de ser prejudicado. O envolvimento nessas comunidades virtuais ou redes sociais poderá influenciar no julgamento de casos.

24 – CARGOS POLITICOS

Aquele que exercer cargo ou ministério na Congregação, caso se envolva em política ou se candidate a algum cargo político, perdera a condição de continuar no ministério e não poderá mais retornar (quer venha ganhar ou perder a eleição). Continuara como nosso irmão na fé, porem, não poderá influenciar a irmandade e nem fazer qualquer pronunciamento ou comentário político na Congregação, seja em oração, testemunho ou qualquer outra forma.

25 – “ANCIÃO PRESIDENTE” NÃO USAR ESSA EXPRESSÃO

Não usemos a expressão “Ancião Presidente”, “Diácono Presidente”, “Cooperador Presidente”. Essa linguagem eleva a pessoa do presidente administrativo. Em seu lugar digamos; O servo de Deus que preside o culto ou a reunião.

26 – SANTAS CEIAS – RODADAS MISTAS – SERVOS PARTICIPAREM MAIS DE UMA VEZ

Onde houve necessidade, far-se-ão rodadas mistas de irmãos e irmãs, devido à necessidade de algumas famílias se retirarem logo.

Servos que presidem ou serve a Santa Ceia são livres para participarem de novo em outro lugar onde atenderem, se Deus lhes fizer sentir. Não por costume. Faz-se isso principalmente quando atendemos no exterior.

27 – IRMÃOS QUE PERDEM O MINISTÉRIO – MUDANÇA

Há irmãos que perdem o ministério, mudam para outro estado ou nação, ocultam a realidade do que aconteceu e os irmãs da localidade para onde ele foi, La querem aproveitá-lo, porem, não procuram saber(como deveriam) o motivo pelo qual ele saiu sem ministério da localidade de onde veio.

Outrossim, quem perde o ministério seu nome não pode mais constar do Relatório em nação nenhuma.

28 – MUDANÇA DE SERVOS DE DEUS

Esta havendo um movimento já acentuado em nosso meio e no pais, de irmãos que mudam deixando o lugar onde foram ordenados ou apresentados e sendo reaproveitados para o lugar para onde form.

Devemos ficar no ensinamento que sempre tivemos, que quem mudar vai sem ministério e também que as mudanças deve ser por motivo de necessidade extrema.

29 – AFASTAMENTO DO MINISTÉRIO – MODELO DE CARTA

Aqueles que por qualquer motivo, tenham necessidade de afastar-se do ministério, poderão fazê-lo através de carta com os seguintes dizeres:

“Caros irmãos

Venho por meio desta informar que, de livre e espontânea vontade, afasto-me do ministério de Ancião (ou Diácono, ou Cooperador) que tenho exercido na Congregação Cristã no Brasil – bairro – cidade, pois estou me mudando para a cidade (menciona o nome), onde se faz necessária minha presença em virtude de (menciona a causa).

Estou conscientizado de que, na cidade ou (região) para onde estou me mudando com minha família, não poderei interferir em nada na obra de Deus; não atenderei nenhum serviço divino e nem freqüentarei as reuniões ministeriais, contentado-me em congregar e aguardar o movimento do senhor. Estou ciente, também, de que em virtude desse afastamento meu nome deixara de constar do relatório.

Sem mais, despeço-me com a Santa Paz de Deus, pedindo as vossas orações em meu favor e de minha família.”

30 – CARTA DE APRESENTAÇÃO

Quando se dá carta de apresentação a um irmão ou irmã, se for de bom testemunho se fará constar: “Enquanto esteve aqui conosco foi de bom testemunho”. Se não for, se não for nada se fará constar sobre seu testemunho. Sendo musico ou organista, menciona-se esse fato. Em outros casos, o ministério se comunicara entre si. Se o portador e casado, menciona-se o nome da esposa.

Inutilizar todas demais linhas, não deixando espaço em branco.

31 – CIGANOS

Os ciganos são uma nação, tem a sua própria cultura, suas tradições, porem, formam uma nação. Os ciganos não tem religião própria, tem sua cultura e tem a celebração social de casamento própria. Por não terem religião, normalmente aderem a religião do pais em que eles estão. Fazem a celebração social e geralmente se casam conforme a religião do pais.

Se o casamento foi feito por algum religioso, esse documento pode ser levado ao cartório de registro civil. Quem quiser ser batizado deverá levar o documento de casamento para o registro civil, para everbação.

32 – CONSTRUÇÕES

Para novas construções a capacidade das igrejas não deverá ser superior a duas vezes o numero dos que participam da Santa Ceia local. Em casos excepcionais, como necessidade de proporções maiores, deve-se consultar o ministério dos servos de Deus mais antigos de cada Estado.

33 – COOPERADORES DE JOVENS E MENORES – REUNIÕES

Para suprir a carência de ensinamentos os cooperadores de jovens e menores tem duas reuniões regionais anuais. Porem, só a tópicos (provenientes de São Paulo) para uniformidade da doutrina, em uma delas. Na outra, com participação direta dos cooperadores de jovens e menores, serão esclarecidas duvidas e tratados os casos que se apresentarem.

Nas reuniões que tratam de assuntos administrativos de construções e ministeriais regionais, porem, não devem participar.

34 – REUNIÕES MINISTERIAIS

Primeiramente abre-se a reunião em Nome do Senhor Jesus, canta-se um hino, faz-se uma oração e se lê a palavra. Em seguida ora-se para as necessidades como: batismo, viagens, cargos, etc. Depois, é lida a Ata da reunião anterior. Após a aprovação da Ata, inicia-se a consideração e deliberação dos assuntos submetidos a apreciação da reunião. Encerra-se a reunião com uma oração de agradecimento a Deus.

É necessário que fiquemos todos nesta linha e nesta santa tradição; alguns tem feito a oração para confirmação antes da Palavra e devem corrigir.

35 – UNÇÃO

Ao se visitar um enfermo devemos perguntar-lhe se quer ou se já foi ungido, pois já sucedeu que alguém do ministério ungiu e depois foi informado de que o enfermo já havia sido ungido uma semana antes por aquela enfermidade. Isto não repercute bem.

Outrossim, quando o servo de Deus for chamado para fazer uma unção, em hospital ou residência, deverá, sempre que possível, estar trajado com paletó; não convém ir só com camisa.

36 – PAPELETAS DE PEDIDOS DE ORAÇÃO E BLOCOS DE RECITATIVOS.

Já há diversos anos os blocos de papeletas de pedidos de oração e de recitativos vem sendo impressos pela administração nas respectivas Distribuidoras, a fim de que se mantenha a uniformidade padronizada desses impressos.

TÓPICOS ADMINISTRATIVOS.

1 – DESCENTRALIZAÇÃO ADMINISTRATIVA – NOVA ADMINISTRAÇÃO.

A aprovação de descentralização com formação de nova Administração deve ser considerada nas reuniões de anciães que precedem as Reuniões Gerais de Ensinamentos, após parecer da regional administrativa, sempre abservando as condições necessárias para sua efetiva implantação.

2 – MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Com o objetivo de evitar-se os gastos excessivos e paralisações dos cultos por longo tempo com as reformas das casas de oração, mais uma vez se renova a necessidade dos grupos de manutenção preventiva, observando-o com todo zelo as recomendações do respectivo livro (tópico administrativo de 2010) e manual técnico, assim como, as reuniões trimestrais com o Ministério de cada Igreja. Anualmente, no período que antecede os meses de chuva em cada região, realizar de forma criteriosa a revisão dos telhados e estruturas sem, entretanto, descuidar dos demais itens.

3 – APROVAÇÃO COMPRA, VENDA, CONSTRUÇÃO E REFORMA DE IMÓVEIS.

A oração e deliberação prevista no art. 33 do Estatuto (compra, venda, doação, construção e reforma de imóveis) deverá ser submetida a aprovação em reunião regional com a presença do Conselho de Anciães, Diáconos e Administração interessada, pois é nesse momento e local que o Conselho de Anciães se reúne. Para efeitos legais essa deliberação poderá ser ratificada em cada Administração.

4 – REQUISITOS MÍNIMOS PARA NOVAS ADMINISTRAÇÕES E REGIONAIS.

A criação de novas administrações ou regionais administrativas deverá, doravante, contar com prévio parecer da Administração São Paulo, após demonstração dos requisitos mínimos para o seu funcionamento, evitando-se que estas se estabeleçam e a seguir não tenham como funcionar e atender as necessidades para as quais foram criadas, principalmente o atendimento das exigências legais e governamentais, com deslocamento de pessoas e recursos, de lugares distantes (art. 6º do Estatuto).

5- NOVO SISTEMA ADMINISTRATIVO DA CONGREGAÇÃO CRISTÃ NO BRASIL.

Desde Março de 2010 foi aprovado, pelo Conselho de Anciães, o desenvolvimento de um novo Sistema Integrado de Gerenciamento Administrativo (SIGA).

É necessário que todos os administradores acompanhem a evolução deste projeto através dos boletins informativos, que podem ser acessados no portal CCB Info.

CIRCULAR

Aos servos de Deus e á cara irmandade.

Saudamos-vos coma a Paz de Deus e afeto de Cristo Jesus.

ASSUNTO: VIGILÂNCIA QUANTO À ESPIRITUALIDADE DOS CULTOS-PERIGO DE DISSOLUÇÃO DA SUA PUREZA

Não durmamos a respeito dos santos princípios que nos foram transmitidos. Muita atenção e vigilância tornam-se necessárias. Pela inspiração do Espírito Santo o apóstolo Paulo ensinou o silencio, a decência e a ordem entre nós, quando a igreja se congrega num lugar para celebrar o santo culto a Deus (I cor.,14,v.23,25,28,34 e 40).

Preocupava-se também o apóstolo com a impressão causada aos visitantes que entrassem para assistir ao culto porque, conforme o comportamento da igreja, ou testificariam que Deus estavam entre eles, ou as visitas sairiam escandalizadas.

A ordem, a decência e o silêncio nos cultos são reflexos da espiritualidade e da luz que está no servo de Deus que preside, o qual não só maneja bem a Palavra da verdade em sua pregação, com sabia explicação de conselhos que abrem a mente do povo, como também conduz a irmandade a estar sob o controle do Espírito de Deus, para que haja moderação e luz nas orações, nos testemunhos e no comportamento de cada um durante o culto divino.

Se não for assim, os cultos transcorreram debaixo de entusiasmo carnal, exibição pessoal nos testemunhos e nas orações, exageros, gritarias infantis, sem discernimento do que é decente para a igreja de Deus; com isso dissolve-se a pureza dos cultos, ocasionando escândalos e mau testemunho.

Insistimos com nossos conservos sobre a vigilância de certos grupos de irmãos que, sem preparo espiritual, se introduzem nas igrejas e com suas manifestações concentram sobre si a atenção da irmandade, com orações, glorificações testemunhos, exagerado e gritado ao máximo de altura da voz, visando inflamar os presentes, desviando-se totalmente do sentido sacro que deve haver em nossos cultos.

Com o passar do tempo algumas igrejas estão como que habituando-se a essa rotina nos cultos, o que reflete uma dormência espiritual.

Quando o irmão do ministério que preside o culto percebe que isso vai ocorrer, deverá exortar e não deixar o culto a mercê e ao domínio desses grupos, mas exortar pelo Espírito do Senhor a que se controlem e, assim, evitará que um espírito estranho tenha ocasião de perturbar.

Há manifestação que são do Espírito de Deus e outras não. Compete ao que preside discernir o que é de Deus e o que não é, e ensinar a irmandade. Os mais antigos no ministério orientem os mais novos.

Vossos irmãos que vos amam em sinceridade de Deus.

Os anciães

 

77ª ASSEMBLEIA – 2012 – RESUMO DE ENSINAMENTOS
SÃO PAULO – 03 A 07 DE ABRIL DE 2012
INICIARAM – SE ESTAS REUNIÕES EM NOME DO SENHOR JESUS

ATENÇÃO: SOMENTE OS TÓPICOS ASSINALADOS COM ASTERISCO (*) DEVERÃO SER LIDOS NAS CONGREGAÇÕES, PERANTE A IRMANDADE.

EM CADA REGIÃO, OS ENSINAMENTOS ENTRARÃO EM VIGOR APÓS A REALIZAÇÃO DA REUNIÃO ANUAL DE ENSINAMENTOS.

*1. VIGILANCIA SOBRE A UTILIZAÇÃO DA INTERNET.

A
intenção do ministério é alertar a cara irmandade que os programas que
possibilitam a utilização da internet podem ser configurados de modo a
impedir o acesso a conteúdos inadequados. Os pais devem buscar
orientação mo sentido de instalar recursos que diminuem os riscos desses
acessos que fazem tanto mal a nossas crianças e a juventude.

*2. DIALOGO COM OS FILHOS – CONSELHOS AOS PAIS.

Apesar
de a irmandade já ter sido orientado sobre a necessidade de dialogar
com seus filhos, a reclamações de que alguns pais não estão se
preocupando com essa parte.

Insistimos com os pais de nossos
jovens e crianças, a que conversem com eles, tenham dialogo, abram-se na
medida do que é necessário, procurem saber sobre o relacionamento com
pessoas de fora e com os que andam na doutrina, pois a nossa juventude
tem necessidade disso para se sentirem amparados pela nossa compreensão e
carinho.

*3. HINOS NOS SERVIÇOS DIVINOS EM FUNERAL.

Tornamos
a lembrar a irmandade que nos serviços divinos em funeral cantem com a
voz baixa, como que sussurrando, pois a palavra nos ensina a chorar com
os que choram. A luto na família e não se deve cantar em voz alta.
Outrossim, ao comparecermos em velórios devemos respeitar os parentes,
mantendo-nos em silencio, mostrando sentimentos junto a família, com
moderação até nas manifestações.

*4. TOCAR EM FUNERAL.

A
orquestra não é para tocar em funerais, mais para louvar a Deus nos
santos cultos. Tomemos cuidado para não introduzir este consumo. A
musica em serviço divino em funeral emociona e entristece muito aos
familiares.

*5. POSTURA AO ORAR.

Quando os irmãos
dobrarem os joelhos para orar na congregação, não se prostrem debruçados
sobre seus rostos no chão. Fazer isso sozinho, em seus quartos, não a
nada de mal, mas na congregação não convém. Não se deve dizer, na hora
da oração: “ Vamos prostrar nossos joelhos”, mesmo porque o que se
prostra é o nosso corpo e não os nossos joelhos. Podemos dizer “ Vamos
nos ajoelhar na presença de Deus”.

*6. FREQUENCIA E PONTUALIDADE NOS CULTOS E ENSAIOS.

Os
músicos e organistas devem ser constantes no cumprimento da
responsabilidade que assumiram diante de Deus, frequentando os cultos e
ensaios. Em algumas localidades notasse a falta de músicos e organistas,
sem razão para tal.

*7. EVITAR CONVERSAÇÕES ANTES E DURANTE O CULTO.

A
irmandade deve ser exortada e permanecer em comunhão, mesmo quando a
organista estiver tocando a meia hora, evitando as conversações antes e
durante o culto. Deve-se exortar, também, a que prestem atenção aos
testemunhos e não fiquem lendo, conversando, levantando-se do lugar ou
distraindo-se com qualquer outra coisa. Devemos nos lembrar que estamos
na casa de Deus e na presença d’Ele.

*8. CASAMENTOS – ONDE DEVE SER FEITA A ORAÇÃO.

Os
servos primitivos sempre fizeram a oração no lugar onde os noivos se
casavam e os convidados se reunião para comemorar, em casa ou no salão. E
assim deve continuar. Se o casamento for celebrado em um cartório,
orasse depois no local para onde os noivos e convidados se dirigirem
para celebrar, seja em casa ou no salão. Deve-se ensinar a irmandade de
se guarda da vaidade e das apresentações das modas inconveniente do
mundo atual, quanto aos trajes e ao porte. As irmãs devem levar seus
véus em sua bolsa. Ora-se de joelhos.

*9. EXPRESSÕES INADEQUADAS NOS TESTEMUNHOS.

Muitos
irmãos, aos testemunhar dizem “ Deus me deu a felicidade de nascer de
pais crentes”; “ Eu nasci na graça”; outros dizem “ Eu não tive a
felicidade de nascer de pais crentes”. Não é necessário dizer que quando
nascer seus pais já eram crentes; isto dá impressão de um desnível
entre a irmandade ; essa distinção levanta um e humilha o outro. Tudo o
que possa manifestar diferença, desnível, entre a irmandade, deve ser
eliminado. No evangelho de João vem dito que Jesus “ Veio para o que era
seu, e os seus não receberam. Mais, a todos quantos o receberam,
deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; aos que creem no seu
nome: Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da
vontade do varão, mas de Deus”. O senhor Jesus derrubou a parede da
separação; são todos nascidos de Deus, sejam judeus, sejam gentis,
sejam de pais crentes ou não; a graça de Deus iguala a todos.

*10. AIDS – EXAME PRÉ NUPCIAL.

Os
irmãos e irmãs jovens, principalmente os que obedeceram a Deus na
juventude, devem ser aconselhados a se submeterem pré-nupcial,
principalmente para prevenir-se contra os riscos de contaminação da
AIDS, pois trata-se de uma enfermidade gravíssima, que pode ser
contraída até mesmo acidentalmente como, por exemplo, através de uma
transfusão de sangue.

*11. ALDEIAS INDIGENAS.

Conforme
tem sido amplamente divulgado pela empresa escrita, falada e demais
meios de comunicação, a vista de pessoas não credenciadas nas aldeias
indígenas, tem causado muitos transtornos, alterando hábitos e costumes,
infringindo as leis de proteção ao índio. Alguns religiosos, saindo
fora dos princípios de evangelização, pedem aos índios objetos de
artesanato e outros mais, para beneficio próprio.

Somente a
presidência da FUNAI é que pode conceder permissão para ingresso em
terras indígenas no pais, afim de evitar que a congregação venha a
sofrer restrições de evangelização, como tem acontecido com algumas
denominações religiosas.

Outrossim, não se podem fazer coleta em aldeias indígenas. É proibido pela FUNAI.

Doações de roupas, instrumentos musicais, etc., deverão passar pelo ministério antes de ser encaminhados as aldeias.

Ninguém deve ir para essas aldeias sem passar por reunião ministerial, onde receberão orientação e aconselhamento do ministério.

É
conveniente, também, que se faça uma pequena petição explicando que a
única intenção é pregar o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, sem
qualquer outra finalidade.

ATENÇÃO: OS TÓPICOS A SEGUIR SÃO SÓ PARA O MINISTÉRIO.

12. BUSCAR OS DONS DE DEUS.

Em
um dia de culto anuncia-se, com antecedência, o ancião preside,
cantam-se os hinos, não há testemunhos, venha a palavra e depois se
agradece a Deus. A intenção é não fechar a porta a irmandade e impedir
os abusos.

O anuncio que marcar, ele mesmo deve presidir a busca de dons e não outros que ele venha a convidar.

13. ORAÇÃO NA CONGREGAÇÃO.

O
servo de Deus que presidem ao culto deve ter entendimento também na
parte de orações. Quando estamos de joelhos dobrados perante ao senhor e
este toma o irmão ou irmã como uma oração inspirada, que edifica a
igreja, não é necessário ficar de joelhos esperando que haja mais uma ou
duas orações. O espírito santo, na primeira oração, já suplicou ao pai
tudo o que a igreja tinha de necessidade.

14. PREGAÇÃO – HABITOS QUE DEVEM SER ABOLIDOS.

Temos
sempre dado ensinamentos a esse respeito, mas a servos de Deus que
insistem em errar neste ponto. Muitos batem na tribuna quando pregam. Na
tribuna então aos dizeres “Em Nome do Senhor Jesus” e não é lugar para
se estar batendo. Mais grave, ainda, é bater sobre a bíblia. Esse
costume deve ser abolido, pois é um desrespeito ao nome do Senhor. A
irmandade também nota isso e não aprova.

Não é necessário bater
em lugar nenhum quando se exorta a palavra. Outros correm de um lado
para outro do pubito e dão pulos enquanto pregam. Alguns batem na perna,
outros batem palmas, dando mal aspecto. E aos que exageram no falar,
gritando na pregação. Esses hábitos devem acabar.

Outrossim, a
pregadores que se preocupa mais empregar promessas e libertações do que a
doutrina. Nada deve ser feito por costume mas, por revelações de Deus.

Devem os pregadores evitar, ao Maximo, falar o nome do maligno, adversário de nossas almas.

15. REUNIÕES PARA JOVENS E MENORES – INICIO.

Doravante
não há mas necessidade de se orar buscando confirmação para iniciar uma
reunião de jovens e menores. Basta apresentação na reunião regional e
aprovação do ministério, da mesma maneira como se procede com uma
oficialização de cultos. Alguém do ministério atendera a essa reunião,
até que o senhor levante um cooperador de jovens e menores.

16. ELEIÇÕES – CARGOS POLITICOS.

Aqueles
que exercem cargo ao ministério na congregação, caso se envolva em
política ou se candidate a algum cargo político, perderá a condição de
continuar no cargo ou ministério e não poderá mais retorna (quer venha a
ganhar ou a perder a eleição). Continuará como nosso irmão na fé,
porém, não poderá influenciar a irmandade e nem fazer qualquer
pronunciamento ou comentário político na congregação, seja em orações,
testemunhos ou por qualquer outra forma.

17. CONVITES.

Não
é necessário convidar autoridades para a aberturas de casas de oração.
Se desejarem ouvir a palavra de Deus poderão vir em qualquer ocasião.
Não damos oportunidade para falarem do culto. Após o culto poderemos
ouvi-los juntamente com a administração, se for o caso. Mas somente com o
Ministério, não misturar com o culto e nem com a irmandade toda.

18. ORDEM NO SERVIÇO DIVINO EM FUNERAL E ORAÇÕES EM VELÓRIOS.

Para
uniformidade de procedimento, passemos a observar a seguinte ordem nos
serviços divinos: Abre-se o serviço divino; Canta-se um hino; Ora-se;
Exorta-se a palavra; Ora-se em agradecimento; Canta-se um hino;
Encera-se o serviço.

O serviço divino não deve ultrapassar de 30 a 40 minutos e os hinos devem ser cantados em voz baixa.

Em
obediência aos princípios e orientações das autoridades sanitárias,
devemos orar de pé nos serviços divinos em funerais feitos nos velórios
de hospitais e cemitérios, embora não seja doutrina, pois o local pode
estar contaminado. Em outras ocasiões oramos de joelhos.

19. ENSAIAR HINOS DE FUNERAL ANTES E DEPOIS DO CULTO COM A IRMANDADE.

Os
irmãos anciães e cooperadores, de comum acordo com o irmão encarregado
de orquestra local, periodicamente poderão fazer com que a orquestra e a
irmandade ensaiem os hinos especiais para serviços divinos em funeral,
antes ou após o culto, conforme melhor convier. Isto é útil e também
necessário, pois sendo hinos que não são chamados nos cultos regulares,
muitas irmandades nova desconhece sua melodia.

20. PRIMEIRA FILEIRA DE BANCOS NAS CONGREGAÇÕES.

Recomendamos
que os primeiros bancos nas congregações seja colocado um aparador,
para auxiliar os irmãos a se ajoelhar e apoiar os braços para orar e,
também, vedando a parte da frente dos mesmos, afim de evitar a visão de
alguma postura involuntária por parte dos irmãos e irmãs.

21. SANTA CEIA – DISPOSIÇÃO OS BANCOS PARA AS RODADAS.

Convém
colocar uma fila de bancos para que a irmandade se apoia ajoelhar e
tenha a melhor ordem para ser servido a santa ceia. Exortar a irmandade a
ficarem sentados em seus lugares até que sejam chamados. Em casa
excepcionais, por motivo de enfermidade ou de força maior, poderão
participar antes. Devem ser escalados irmãos (se possível diáconos ou
porteiros), para organizar as filas na santa ceia, de acordo com o
tamanho da congregação.

Portadores de moléstias contagiosas
devem participar por ultimo, após os servos haverem participados. Não
deve existir rodada especial dos que orientaram as filas fizeram a
contagem, junto com o ministério local. Deve-se ir participando nas
ultimas rodadas. Os servos locais participam sós. Quanto aos irmãos sem
liberdade, devem-se considerar caso por caso. Fica na consciência de
cada pessoa.

Quem anuncia os hinos na santa ceia é o ancião que preside e não o encarregado de orquestra.

Quando a irmandade for participar do pão e do cálice deve ficar com os olhos abertos.

22. ANCIÃES RECEM ORDENADOS.

Anciães
recém ordenados não devem se precipitar no atendimento de batismos,
santas ceias e reuniões da mocidade. Procurem adquirir um pouco de
experiência com os mais antigos e aguardar sem ansiedade, o tempo
necessário.

23. VIAGENS AO EXTERIOR.

Quem viajar
para o exterior deverá comunicar-se, previamente, com os irmãos anciães
que já atenderam (ou ainda atende) aquela região. Outrossim, após
autorizado pelo ministério local, devem comparecer a uma reunião da qual
participam os anciães mais antigos do Brasil, em São Paulo, na quarta
segunda – feira de cada mês.

24. CASAMENTO DE SERVOS VIÚVOS COM IRMÃS DIVORCIADAS.

O
conselho de anciães delibera que, irmãos de ministério que enviuvarem e
desejarem casar com irmãs divorciadas, deveram previamente submeter o
assunto a consideração do ministério de reunião regional, que deliberará
segunda guia de Deus.

25. REUNIÃO DE ENCARREGADOS REGIONAIS EM OUTUBRO.

É
deliberado que, na reunião dos encarregados regionais e examinadoras a
realizar-se no dia 20 de outubro deste ano, haverá, um dia antes (ou
seja, na sexta-feira á noite), uma reunião com os anciães que atendem a
parte musical, para considerações de assuntos referentes a essa reunião.

26. AVISOS E COMUNICAÇÕES DURANTE O CULTO.

Todos
as comunicações e avisos a serem anunciados pelo irmão que preside o
culto, deverão, antecipadamente, passar pelo diácono ou porteiro, que os
levara a frente junto com os pedidos d oração.

TÓPICOS ADMINISTRATIVOS.

1. INCLUSÃO DE SERVOS NO RELATÓRIO – REQUISITO ESSENCIAL.

Para
a inclusão de servos de Deus no Relatório e indispensável o numero do
respectivo C.P.F., a fim de evitar divergências e problemas com
eventuais homônimos. Assim e para tal finalidade, tão logo o irmão seja
confirmado para o ministério, o departamento de relatório deverá ser
informado, para as devidas providencias.

2. EMISSÃO DE CARTÕES DE IDENTIFICAÇÃO.

A
emissão de cartões de identificação de encarregados regionais e locais
de orquestra, bem como das irmãs examinadoras, deve ser efetuada pela a
administração local. Para São Paulo e grande São Paulo, a emissão será
feita pela administração São Paulo.

3. ALTERAÇÕES NO RELATÓRIO – PRAZO.

O prazo final para entregar dos formulários de alteração de relatório será 31 de julho de 2012. Pedimos a observância desse pra para evitar solução de continuidade na impressão do relatório.

4. CALENDARIOS E AGENDAS DE REUNIÕES MINISTERIAIS REGIONAIS.

O
ministério tomou conhecimento de calendários de reuniões impressos por
congregações de localidades do interior do Estado de São Paulo e de
outros Estados, nos quais constam os nomes e endereços de encarregados
de orquestra regionais e locais,irmãos porteiros, irmãos encarregados de
serviços de manutenção, comodatários, como também dias e horários de
culto na região. Não é necessário e nem conveniente esse procedimento.
Esses calendários e agendas regionais devem limitar-se a informar as
datas e horários das reuniões.

5. LISTAS DE BATISMO.

As
listas de batismo devem conter somente o essencial, a saber: Batismos –
Santa Ceias – Reuniões da Mocidade – Ensaios Regionais – Viagens –
Abertura, Fechamento e Reabertura de Casas de Oração – Aumento ou
mudanças de dias e horários de cultos – Coletas – Reuniões – Novos
Obreiros. As aberturas e reaberturas de casas de oração somente deverão
ser anunciadas depois que as mesmas ocorrerem.

Nas Listas de
Batismo não devem ser colocados, em hipótese alguma, nomes de servos que
vão em visita as congregações , nem de irmãs que são confirmadas para a
Obra da Piedade, nem de irmãos ou irmãs que receberem cargo e nem o
nome de irmãos que estiverem excluídos, da comunhão na congregação.

6. CONSELHO FISCAL – CONDIÇÕES FACE AO CÓDIGO CIVIL ATUAL.

Em
obediência a legislação pertinente não deverão ser colocados, no
Conselho Fiscal, irmãos que sejam parentes até o terceiro grau de
Administradores (pais, filhos, netos, avós, irmãos, tios, sobrinhos,
sogro, genro e cunhados) e vice-versa, isto é, não colocar
administradores parentes de membros do Conselho Fiscal.

Eventuais situações já existentes deverão ser, aos poucos e na medida do possível, adequadas a essas exigências legais.

TÓPICOS DA OBRA DA PIEDADE.

1. ENVELOPES/ ASSINATURAS.

As
famílias que forem atendidas pela obra da piedade devem assinar recibo
no envelope em local destinado á assinatura do necessitado, para
comprovação do atendimento, e eventual solicitação pela fiscalização a
fim de comprovar a saída do recurso. Os Diáconos devem orientar as irmãs
da obra da piedade a devolver o envelope, juntando comprovantes do
atendimento no mês subsequente á reunião.

2. DESPESAS DE VIAGEM/BRASIL.

As
despesas de viagens são pessoais sendo vedado ao viajante despender a
importância que lhe é destinada com outros acompanhantes. Caso a viagem
seja feita por veículos, também deverá ser emitido envelope ao
acompanhante. Se houver mais acompanhantes que queiram viajar juntos por
seu próprio interesse devem arcar com as eventuais despesas inerentes a
viagem.

3. CONTROLE DE CAIXA DA OBRA DA PIEDADE E VIAGENS MISSIONÁRIAS.

Os
responsáveis pelas regionais devem conferir o numerário existente no
caixa durante o mês, e no final, os diáconos presentes na reunião de
atendimento devem assinar o termo de verificação do saldo do caixa,
constante no site CCBINFO, Comunicado 23/2006 atestando sua axatidão.
Essa posição deverá ser arquivada junto aos documentos de contabilidade.

4. APRESENTAÇÃO DE FAMILIAS POR INFORMAÇÕES.

Os
atendimentos aos necessitados não devem ser feitos por informações ou a
pedido do próprio interessado, devemos observar os ensinamentos, pois
os diáconos e irmãs da obra da piedade devem fazer visitas e somente
apresentar a necessidade, caso haja o sentimento da parte de DEUS.

5. PAGAMENTO DE DIVIDAS.

A
obra da piedade não tem por finalidade o pagamento de dividas
particulares de nenhum irmão. Ultimamente está ocorrendo alguns casos,
pois irmãos que não se conformam em viver de acordo com seus ganhos se
endividam, ficam em situação difícil, alguns se aventuram e tomam
recursos a juros altos, e recorrem a obra da piedade para quitar suas
dividas. A congregação não tem responsabilidade por tais fatos. Os
diáconos não devem apresentar tais necessidades para atendimento.

 

SÃO PAULO – 26 A 30 DE MARÇO DE 2013

* 1. LEITURAS PERNICIOSAS
É sabido que nos dias atuais existem livros de caráter perverso os quais despertam em seus leitores a prática imoral. Há no mundo uma forte tendência para a leitura desses livros cuja prática estende-se não somente à mocidade como também aos demais adultos. Exortamos a cara irmandade a que se abstenham dessas leituras que são perniciosas as quais corrompem os bons costumes alcançados pela sã doutrina da Palavra de Deus.

* 2. ANIVERSÁRIOS E FESTAS – MÚSICAS PROFANAS E FANTASIAS.
No mundo é moda atual haver festas onde as pessoas se fantasiam e, ao som de músicas profanas e até imorais, com o consumo de bebidas alcoólicas, adentram-se até à madrugada. Exortamos à nossa mocidade, com também à toda irmandade, a não frequentarem essas festas, que não são convenientes ao povo de Deus.

* 3. COMUNICAÇÃO VIA “E-MAIL” E CELULARES (MENSAGENS E TORPEDOS).
Tem havido, entre a irmandade, comunicações feitas através de e-mails, mensagens por celulares e torpedos que, alguns necessitados, não tendo paciência e fé para esperar no Senhor, se valem desses recursos. Lembramos à irmandade que somos ensinados a confiar e esperar no Senhor, pois só d’Ele virá o socorro às nossas necessidades.

* 4. NAMORO E CASAMENTO ATRAVÉS DA INTERNET.
Tem se observado que persiste a prática de relacionamento via internet. Essa prática tem trazido sérios problemas para muitas famílias onde pessoas se conheceram por este meio, namoraram e casaram-se, porém não foram felizes, e isso ocorreu por falta de conhecimento das suas verdadeiras origens, as quais, pessoas mal intencionadas usaram essa prática provocando a infelicidade matrimonial. Em se tratando de casamento, é necessário conhecer a pessoa quanto à sua vida passada, seu caráter e testemunho, antes de assumir o compromisso de um possível matrimônio. O ministério exorta a irmandade e a mocidade a evitar essa prática.

* 5. COMEMORAÇÃO DO NATAL
Não comemoramos o natal. Não deve ser guardado porque ninguém sabe o dia do nascimento do Senhor Jesus, pois Ele não permitiu que ficasse escrito para que ninguém guarde o dia do seu nascimento.

* 6. UNÇÃO NÃO SUBSTITUI O BATISMO
A unção não substitui o batismo. Disse o Senhor Jesus: “Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado”.
Ungir estranhos na fé depende de o servo sentir de fazê-lo. Exortamos a irmandade a não oferecer a unção à estranhos à nossa fé.

* 7. SONHOS – VISÕES – REVELAÇÕES
Nos testemunhos não se deve contar revelações, sonhos ou visões, antes de seu cumprimento. Deus dá essas coisas para edificação particular do crente. Nas congregações a revelação de Deus vem pela Santa e bendita Palavra. Se as revelações, sonhos ou visões são provenientes de Deus, vem também o seu cumprimento.

* 8. BOMBARDÕES E INSTRUMENTOS DE SOPRO NAS ORQUESTRAS
Tem-se notado ultimamente um número excessivo de instrumentos de sopro, principalmente bombardões, em muitas de nossas orquestras. Onde já existe uma quantidade suficiente, o ministério local deve vigiar para que não ingressem mais essas categorias de instrumentos.
Ainda nessas localidades deve-se,também, exortar os irmãos que tocam bombardões, bem como demais instrumentos fortes de sopro, que reduzam à metade o volume de som de cada um, quando tocarem nos santos cultos.
Outrossim, quando um irmão demonstrar interesse em aprender a música para tocar na igreja, é conveniente que consulte, primeiramente, o irmão encarregado da orquestra para saber qual é a categoria de instrumento mais necessária.

* 9. CORRENTES E PIRÂMIDES DA FELICIDADE
“Pirâmides”, “Correntes da Felicidade” ou outras novidades semelhantes, são procedimentos que estão se alastrando, prometendo dinheiro fácil aos participantes. Não devemos participar nem nos envolvermos nessas coisas.

* 10. NOME DE SERVO DE DEUS E LOCALIDADES
Durante os santos cultos não é conveniente, nos testemunhos, citar o nome do servo de Deus que está presidindo. Igualmente, tendo congregado em outra localidade, ao citar a Palavra que ouviu, não mencionar o nome do servo de Deus que pregou, evitando assim motivos para exaltação humana.

* 11. INVOCAÇÃO DE ANJOS
Não se deve mencionar nomes de anjos e ou arcanjo, tanto nas orações quanto nos testemunhos. Temos ouvido durante orações e testemunhos, irmãos que mencionam nome de anjos e arcanjo. Lembremos que o apóstolo Paulo disse aos Colossenses, “Ninguém vos domine ao seu bel prazer com pretexto de humildade e cultos dos anjos,metendo-se em coisas que não viu, estando debalde inchado em sua carnal compreensão” (Col. 2:18). Em Hebreus, cap. 1:4, o apóstolo falando de Jesus,menciona: “Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles”. Ainda falando aos Filipenses sobre Jesus diz: “Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo nome” (Fil. 2:9). Portanto, diz ainda aos Colossenses, “ E quando fizerdes por palavras, ou por obras, fazei tudo em Nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai”.

* 12. IMPORTÂNCIA DO AMOR
O amor é o dom de suprema excelência que a igreja possui. Quando o apóstolo Paulo escreveu aos irmãos Coríntios sobre a unidade dos membros do corpo, falava a respeito dos dons de Deus nos membros da igreja. Porém finalizando a carta escrita em 1ª Cor. 12:31, disse: “Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e Eu vos mostrarei um caminho ainda mais excelente”. Esse caminho ainda mais excelente é a caridade que é o amor fraternal.
A igreja que é o corpo de Cristo consiste na operação dos diversos dons distribuídos aos seus membros, principalmente o dom do amor que é a caridade fraternal.
O amor fraternal nos conserva unidos e submissos à Palavra de Deus. Havendo falta desse amor a igreja torna-se enferma, perdendo as virtudes de Deus. É dever dos servos de Deus vigiar sobre o rebanho para cultivar esse amor, como escreve o apóstolo aos Hebreus: “E consideramo-nos uns aos outros, para nos estimularmos à caridade a às boas obras” (Heb 10:24).
Onde existem sentimentos humanos, os quais são: inveja, ciúme, orgulho, arrogância, soberba, vaidade, grandeza e exaltação humana, a igreja sofre as dores dessa enfermidade. Sabemos que Deus nos amou antes que existíssemos, e por esse amor, enviou seu unigênito Filho que por seu amor nos resgatou do pecado e da morte.
Portanto, amemo-nos mutuamente, “pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E Dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão” (I – Jo. 4:20).

* 13. LEITURA DA BÍBLIA
A irmandade deve possuir a sua Bíblia e hinário, levando-os ao culto. É necessário que todos os irmãos dediquem-se à leitura da Bíblia a fim de conhecer a vontade de Deus, pois ela é a Sua Santa Palavra. O apóstolo Paulo falou a Timóteo “persiste em ler” ( I – Tim. 4:13), e o Senhor Jesus disse aos Saduceus: “Errais não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus”. (Mat. 22:29).

* 14. ORAÇÃO FAMILIAR
A oração é o meio pelo qual nos falamos com Deus,apresentando-Lhe as nossas necessidades.Através da oração alcançamos conhecimento e revelações das coisas santas de Deus. Sempre que possível, devemos nos unir em família e buscar a Deus em oração, certamente as suas bênçãos serão alcançadas, pois muitos de nossos filhos receberam a promessa do Espírito Santo nesse ajuntamento (Atos 2:33). A oração é recomendação do Senhor Jesus. Em Luc. 18:1, diz o Senhor Jesus, “E contou-lhes uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer”. Em Romanos cap. 12:12 o apóstolo recomenda, “perseverai na oração”.
Os nossos filhos devem ser instruídos quanto a necessidade de oração, quando se levantam da cama pela manhã, dar graças a Deus antes das refeições e ao se deitarem.
Outrossim, a oração dos pais em conjunto com os filhos une as famílias, evitando o rompimento da união familiar.

* 15. VIGILÂNCIA QUANTO À ESPIRITUALIDADE DOS CULTOS – PERIGO DA DISSOLUÇÃO DA SUA PUREZA.
Não durmamos a respeito dos santos princípios que nos foram transmitidos. Muita oração e vigilância tornam-se necessárias. Pela inspiração do Espírito Santo o apóstolo Paulo ensinou o silêncio, a decência e a ordem entre nós, quando a igreja se congrega num lugar para celebrar o santo culto a Deus. (I – Cor. 14, v. 23, 25, 28, 34 e 40).
Preocupava também o apóstolo com a impressão causada aos visitantes que entrassem para assistir ao culto porque, conforme o comportamento da igreja, ou testificariam que Deus estava entre eles, ou as visitas sairiam escandalizadas.
A ordem, a decência e o silêncio nos cultos são reflexos da espiritualidade e da luz que estão no servo de Deus que preside, o qual não só maneja bem a Palavra da verdade em sua pregação, com sábia explicação de conselhos que abrem a mente do povo, como também conduz a irmandade a estar sob o controle do Espírito de Deus, para que haja moderação e luz nas orações, nos testemunhos e no comportamento de cada um durante o culto divino.
Se não for assim, os cultos transcorrerão debaixo de entusiasmo carnal, exibição pessoal nos testemunhos e nas orações, exageros, gritarias infantis, sem discernimento do que é decente para a igreja de Deus; com isso dissolve-se a pureza dos cultos, ocasionando escândalos e mau testemunho.
Insistimos com nossos conservos sobre a vigilância a respeito de certos grupos de irmãos que, sem preparo espiritual, se introduzem nas igrejas e com suas manifestações concentram sobre si a atenção da irmandade, com orações, glorificações e testemunhos exagerados e gritando ao máximo da altura da voz, visando inflamar os presentes, desviando-se totalmente do sentido sacro que deve haver em nossos cultos.
Com o passar do tempo algumas igrejas estão como que habituando-se a essa rotina nos cultos, o que reflete uma dormência espiritual.
Quando o irmão do ministério que preside o culto percebe que isto vai ocorrer, deverá exortar e não deixar o culto à mercê e ao domínio desses grupos, mas exortar pelo Espírito do Senhor a que se controlem e, assim, evitará que um espírito estranho tenha ocasião de perturbar.
Há manifestações que são do Espírito de Deus e outras não. Compete ao que preside discernir o que é de Deus e o que não é, e ensinar a irmandade. Os mais antigos no ministério orientem os mais novos.

* 16. HINO DE BATISMO (Antigo 195 – Atual 85)
O Hino atual 85 é constituído de apenas uma parte, podendo ser cantado normalmente durante o batismo.

 

79ª  ASSEMBLEIA ANUAL DE ENSINAMENTOS  – 2014 –

RESUMO DE ENSINAMENTOS

LER DIANTE DA IRMANDADE SOMENTE OS TÓPICOS ASSINALADOS (*).

  1. – Casamento:

    O Casamento que a Congregação Cristã no Brasil aceita é, exclusivamente, aquele realizado entre um homem e uma mulher, de acordo com a Palavra de Deus, perante o juiz de casamentos. Na palavra de Deus esta escrito que deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá a uma mulher e serão os dois uma só carne.

2. – Instrumentos não aceitos em nossas orquestras:

Como os irmãos sabem, continuamos não aceitando em nossas orquestras os acordeões e instrumentos como sax-baixo, contrabaixo, sax-superbaixo, baixo-tuba, contrabaixo de cordas que se toca em pé, flautim, requinta ou qualquer outro instrumento modificado em sua concepção original. Saxofones mais graves que o sax-barítono também não são aceitos. Aconselhamos aos caros irmãos que se enquadrem nesse ensinamento, principalmente considerando-se que esse tópico refere-se á Reunião Anual de Ensinamentos de 2010. Os que já estão na orquestra permanecem, mas, aconselhamos que troquem de instrumentos, por um que seja aceito na orquestra.

3. – Festa do ” Dia das Bruxas ” ( Halloween):

O ministério aconselha a irmandade e também a seus filhos a não participarem desses festejos, visto que, nessas festas, as pessoas trajam fantasias que fazem lembrar a feitiçaria, a qual é condenada pela Palavra de Deus

4. – Tatuagens e “Piercings”:

Não é conveniente que nossos irmãos façam em seus corpos marcas, figuras e outras coisas. Assim também a colocação de “piercings”, demonstrando desconhecimento da Palavra de Deus. Porem, aos recem-batizados e que já vierem tatuados, nada devemos impor; aguardemos que o Senhor faça a obra em cada coração.

5. – Véus – Novidades:

Em muitas localidades estão surgindo véus diferentes do que as irmãs sempre usam: são véus com rendas enormes, véus especiais para organistas, véus enfeitados com pedras, pérolas e miçangas e até véus de cores diferentes que não são totalmente brancos. Em algumas localidades há véus com figuras de pássaros e outros desenhos. lembramos as nossas irmãs que véus não são objetos de adorno pessoal, mais sim, uma obediência a Palavra de Deus.Portanto, devemos permanecer na simplicidade que sempre tivemos, desde o principio da Obra de Deus.

6. – Cartas Anônimas e mensagens eletrônicas: 

Cartas Anônimas e mensagens através de meios eletrônicos não identificados, não merecem nossa atenção. Todas as comunicações devem ter procedência, assinatura, endereço e numero de telefones de quem as enviam. Ás que são anônimas não se dá valor e devem ser inutilizadas. Não se deve perder tempo em lê-las.

7. – Camisetas com dizeres em outros idiomas – Figuras Malignas:

É comum no mundo o uso de camisetas, agasalhos e outras roupas com palavras ou frases em outros idiomas que, em geral, são dizeres impróprios para o uso de nossos irmãos e de nossas crianças. Dizemos também com respeito a figuras tais como caveiras e outros personagens cujas as inspirações tem sua origem nos feitos do inimigo. Recomendamos, portanto, á nossa irmandade, que evitem o uso dessas roupas, em muitos casos, fazem menção ao adversário de nossas almas.

8. – Casamentos – onde deve ser feita a oração: 

Os Servos primitivos sempre fizeram a oração no lugar onde os noivos se casavam e os convidados se reuniam para comemorar. E assim deve continuar, Se o casamento for celebrado em um cartório, ora-se depois em outro local onde os noivos e convidados se dirigem para celebrar. Orientamos a irmandade a se guardar da vaidade e das apresentações das modas inconvenientes do mundo atual, quanto aos trajes e ao porte. As irmãs devem levar seus Véus. Ora-se Ajoelhados.

9. – Barbas e Cavanhaques: 

Aconselhamos nossos Irmãos, inclusive seus filhos, que não é conveniente aos nossos princípios o uso de barba crescida e nem cavanhaque, como também os cabelos penteados de forma exótica. Quanto aos recem-chamados na graça, aguardemos que o Senhor faça a obra.

  1. – Facilidade e costume de comprar:

    O consumismo é uma pratica danosa na vida das pessoas, pois quem adquirem esse costume diante das facilidades de aquisição de bens e as ofertas de credito que hoje existem, pode sofrer um transtorno incontrolável, levando a pessoa a grandes sofrimentos. Temos observado que muitas pessoas, através de cartões de credito e limites de credito em bancos, têm se endividado, levando-as ao desespero. Em se tratando de casais, em muitos casos tem havido sérios problemas conjugais e familiares. Há casos em que familiares e parentes de aposentados, valendo-se do credito oferecido, fazem empréstimos em organizações financeiras em nome do aposentado, deixando-o em situações difíceis. Exortamos a cara irmandade a usar de prudência com respeito ás dividas que se fazem acima da sua capacidade, maiormente em se tratando de cartões de crédito, pois os juros sobre faturas vencidas são altíssimas.

    11. – Contribuição á previdência: 

    Os irmãos que trabalham por conta própria executando serviços diversos devem, de acordo com a lei, contribuir para o INSS, pois é uma garantia para a família em caso de eventual ocorrência como doença ou falecimento. Está havendo muitos casos em que o irmão trabalha nessas condições, não se cadastra, não paga a contribuição á previdência social e, vindo a ficar idoso doente ou falecer, deixa a família totalmente desamparada.

    12. – Roupas novas e seminovas / Cestas básicas: 

    Está ocorrendo em diversos lugares onde irmãos do ministério e mesmo sem ministério, lotam caminhões com cestas básicas roupas em grande parte sem condições de uso, móveis usados, maquinas em geral, geladeiras, fogões, sendo que alguns destes em péssimas condições; também pedem auxilio monetário á irmandade para suas despesas de viagens. Considerando os ensinamentos, quem sentir de fazer algum atendimento em determinada localidade, deve consultar o ministério de Diáconos de sua região, para orientação.

    13. – Testemunhos nos cultos:

    Nota-se que há muitos testemunhos que não edificam, pois há irmãos e irmãs que se levantam e contam aquilo que não traz proveito á igreja; alguns contam os benefícios que fizeram, onde foram e até contam coisas fantásticas e dizem: ” Toda a gloria Deus, mas vou contar uma obra que é para quem crer, e relatam testemunhos de terceiro, de origem duvidosa, demonstrando com isso uma exaltação humana e pessoal, é necessário lembrar o que a Palavra de Deus diz: ” Louve-te o estranho e não a ta boca, o estrangeiro e não os teus lábios ( Provérbios 27:2). Alguns, gritam a toda força de sua voz, provocando mal-estar a quem ouve e manifestações exageradas na irmandade dizendo ” quem crê, da gloria, quem não crê, deixa pra mim que eu creio”. Exortamos á cara irmandade que este procedimento não é conveniente, pois a liberdade para os testemunhos é para glorificar a Deus pelas Obras operadas em nosso favor e deixamos que quem foi por Deus beneficiados, somente ele deve agradecer. Outrossim, a liberdade para os testemunhos não deve tomar o tempo para pregação da Palavra.

  1. – Sociedades secretas:

    Somos alertados a ter muito cuidado com determinadas sociedades secretas que estão visando angariar membros no meio do povo de Deus; até servos de Deus são visados. POR ESSA RAZÃO, QUEM INGRESSAR NESSAS SOCIEDADES, SEJA DO MINISTÉRIO OU NÃO, SERÁ DESLIGADO DA COMUNHÃO DA IGREJA

    15. – Comunicações via internet:

    Os servos de Deus do ministério, preocupados com nossa mocidade e irmandade, recomendam muita cautela com a comunicação via internet, pois somos conhecedores de inúmeros casos de degradação espiritual e até moral, dissolução de casamento e problemas familiares proporcionados pela mau uso desse meio de comunicação. Nossas próprias autoridades têm alertado para que os pais vigiem sobre seus filhos, a fim de que não se tornem presas de pessoas mal intencionadas, que levam os jovens aos vícios e ao desencaminhamento de sua conduta familiar e pessoal. Outrossim, pessoas que se intitulam nossos irmãos estão colocando na internet assuntos referentes á Congregação Cristã no Brasil e á irmandade, informamos que não são verdadeiras e nem se devem a elas dar créditos.

    16. – Cartões de visita:

    É do conhecimento do Ministério que, em muitos lugares, irmãos que possuem cargos e ministério na Obra de Deus, continuam fazendo cartões de visita, contendo seu nome, o nome da Congregação Cristã no Brasil, local onde atende, cargo que ocupa, dias e horários de cultos e ensaios e ainda , convidam as pessoas através desse cartões para visitarem suas Congregações. Lembramos que esse procedimento não é conveniente e pedimos que não se façam cartões de visitas envolvendo o nome da Congregação Cristã no Brasil. Congregar em outras localidades, participar de ensaios, faz-se quando sentem desejo para tal. Não devemos romper a santa tradição que nos foi ensinada desde o principio desta obra.

    17. – Ordem no Serviço Divino de funeral e orações em velórios:

    Para uniformidade de procedimento, passemos a observar a seguinte ordem nos serviços divinos: Abre-se o Serviço divino; canta-se um hino; Ora-se; exorta-se a palavra; Ora-se em agradecimento; canta-se um hino; encerra-se o serviço. O serviço divino deve durar de 30 a 40 minutos e os hinos devem ser cantados em voz baixa. Em obediência aos princípios sanitários , devemos orar em pé nos serviços divinos de funerais feitos em velórios de hospitais, cemitérios e outros, embora não seja doutrina, pois o local pode estar contaminado. Em outras ocasiões, oramos ajoelhados.

Anúncios

Um comentário sobre “Década de 2010

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s