Década de 1970

TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 23 A 27 DE MARÇO DE 1970

1 – ASSUNTOS A SEREM TRANSMITIDOS A IRMANDADE

A partir deste ano nosso resumo de ensinamentos virá com um sinal “*” em forma de estrela chamado asterístico. Este sinal é colocado à frente dos tópicos de assuntos que necessitam ser transmitidos a irmandade. Os tópicos que não tiverem tal sinal só são para os servos do ministério.

4 – MUDANÇAS DE LOCALIDADE

Deus não erra quando levanta um ancião, diácono ou cooperador para determinada localidade. E, como é que a pessoa não encontra condições materiais e se muda? Si Deus até então o tem ajudado, não o poderá continuar ajudar? Assim é deliberado que quando o servo for transferido para outra localidade pela firma em que trabalha, ele deve obedecer; porém, quando muda por ambição de querer melhorar a situação material que até então era boa, ou visando a comodidade de filhos que estudam, perderá o ministério. Quem milita deve militar legitimamente. Alguns mudam para melhorar a situação financeira e colocam substitutos em seus lugares querendo de longe atender a Obra, isto não está certo, devendo assim deixar o ministério. Si transferidos pela firma em que trabalha, quando aposentados deverm voltar a sua comum Congregação. Não se pode impedir que mudem, porém que fiquem sentados.

5 – SITUAÇÃO FINANCEIRA DE SERVOS DE DEUS

Nunca se deve como servos de Deus prevalecer do cargo para tomar dinheiro emprestado da irmandade, nem do diácono e nem da administração. Às vezes sucede que o servo de Deus age com certa autoridade, resultando situações que podem comprometer ao ministério. O dinheiro da Obra de Deus não é para fins particulares. Deve-se saber que cada família tem um nível de vida, sendo necessário assim acomodar-se dentro do que ganha não influindo ao servo de Deus, que deseja um conforto além do possível e com isso deixando embaraçado. Os anciães e cooperadores não devem receber ofertas ou coletas da irmandade, devendo ensinar a irmandade a se dirigir diretamente aos diáconos e irmãos colocados para esse fim.

7 – QUADRO DE HORÁRIO DE CULTOS

Tínhamos deliberado nas reuniões gerais do ano passado adotar quadros com horário, dia de cultos nas fachadas das Congregações: TODAVIA NÃO FOI ORADO A DEUS A RESPEITO. Posteriormente o Senhor falou em revelação a um seu servo: “NÃO É DE MINHA VONTADE QUE COLOQUEIS O QUADRO DE HORÁRIOS E DIAS DE CUTLOS. NÃO DEVEIS TER NENHUMA APARÊNCIA DE SEITAS, NEM COPIAR AS COISAS DOS SECTÁRIOS E ESTRANGEIROS. PORVENTURA O MEU POVO VEIO POR MEIO DE PROPAGANDAS DE RÁDIO, TELEVISÃO OU REVISTAS? NÃO FUI EU QUE OS TROUXE NO MEIO DE VÓS? E VOU CONTINUAR, TENHO UMA OBRA MAIOR DO QUE A QUE VOSSOS OLHOS VÊM PARA REALIZAR NO MEIO DE VÓS. “Os quadros não serão adotados.

11 – (*) FOTOGRAFIAS EM SERVIÇOS DIVINOS

O Senhor tem revelado que não se tirem fotografias em serviços de batismos, cultos, santa ceias e reuniões ou o que quer que se faça perante o Senhor. A honra nunca deve ser dada ao homem, mas sim inteiramente tributada a Deus. Entretanto si o governo enviar fotógrafos, temos que dar liberdade pois não sabemos a obra que Deus quer realizar. Estes ensinamentos são para guardarmos dentro do coração e pormos em prática.

12 – COMPANHEIROS DE VIAGEM

Nas viagens em missão dos servos de Deus eles devem aceitar para companheiros irmãos que possuam bom testemunho. Que não falem chocarrices, nem dados a brincadeiras, comprometendo assim o serrvo de Deus perante a irmandade por onde passa. Nos percursos de viagem o servo de Deus deve permanecer em comunhão. Não se sabe o espírito que será encontrado no lugar para onde se dirige. É indispensável que se tome muita atenção quanto ao abuso de bebidas alcoólicas. Quem viaja com os servos de Deus deve saber que a missão é dele, acompanhando-o assim para onde ele for, sem interferir no desenvolvimento da missão.

13 – (*) COMÉRCIO DENTRO DAS CASAS DE ORAÇÃO

O comércio dentro da casa de oração sempre foi condenado pela Palavra de Deus…..- ….Deus falou em revelação a um seu servo: “Não quero mais comércio dentro de minhas casas de oração”. Também o Senhor não se agradou do que havia na Congregação em São Paulo na ocasião das reuniões gerais; barbearia, tinturaria, engraxate, lavanderia, ambulatório. Todos estes serviços eram prestados aos servos que vinham do interior e outros Estados gratuitamente. Porem Deus não quer mais estes serviços que nos estavam colocando nos caminhos das obras assistenciais humanas. Nada disso é necessário na Obra de Deus.

Os servos de Deus que vem do Interior e outros Estados para participar destas reuniões gerais, de agora em diante não se carreguem mais de encomendas da irmandade de onde os irmãos procedem. Aqui se comparece para aproveitar tudo o que Deus envia e não para ficar preocupado em fazer compras para a irmandade. Muitos nem assistiam a todas as reuniões pois empregavam o tempo fazendo as compras. De agora em diante exortem a irmandade a não fazer encomendas. Os servos não vêm para negócios. Vêm para servir a Deus. Nos anos passados ficavam diversos irmãos com automóveis disponíveis para levarem os servos de Deus para um e outro lado durante o tempo das reuniões. Mas de agora em diante não ficarão mais irmãos com veículos para esse fim. Pois isso só estava prejudicando tais servos espiritualmente. E transtornava os serviços internos da equipe que aqui trabalha nos períodos das reuniões.

15 – (*) CRIMES POLITICOS

Pode ocorrer que alguém já cumpriu pena ou esteja cumprindo por crime político, ou mesmo respondendo a processo. Não deve testemunhar que está sofrendo perseguição. Não deve pedir oração a irmandade e os servos que presidem aos cultos também não podem pedir a irmandade para livrar a este ou aquele de processo que ocorre na polícia ou nos tribunais. A JUSTIÇA E AS LEIS EXISTEM NO PAÍS PARA JULGAR E PUNIR E FORAM POSTAS POR DEUS. IRMÃOS QUE SABEMOS QUE FORAM PROCESSADOS PELO GOVERNO NÃO TEM LIBERDADE PARA PREGAR A PALAVRA EM NOSSO MEIO. Pode-se tornar um filho de Deus, reconhece-mo-lo como irmão, porém se sente levantar com a Palavra não podemos ter essa liberdade para não comprometer a Obra de Deus.

16 – (*) QUADRO REVELAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO DA IGREJA

Este quadro Deus fez saber por oração deve ficar exposto no saguão de cada casa de oração. Tal ensinamento foi dado o ano passado. Não são para serem expostos nas moradias; porém, para serem colocados nas casas de oração.

17 – (*) SOCIEDADES SECRETAS

Somos alertados a ter muito cuidado com determinadas sociedades secretas que estão visando angariar membros no meio do povo de Deus; até servos de Deus são visados. QUEM INGRESSAR NESSAS SOCIEDADES SEJA DO MINISTÉRIO OU SIMPLES IRMÃO, SERÁ DESLIGADO DA COMUNHÃO DA IGREJA.

18 – PÍLULAS ANTICONCEPCIONAIS

Para entrar nesse assunto é preciso orar e esperar que Deus envie pela Palavra. Sabemos que Esta nos recomenda que as mulheres se casem e gerem filhos.

20 – (*) PORTEIROS NAS CASAS DE ORAÇÃO

… – … Entretanto, existem casos de irmãos ou irmãs que ficam como fiscais, inspecionando a irmandade com a intenção de conservar a ordem. Mas nota-se que em vez disso, estão provocando desordem. Que não sede permita fiscais na casa de Deus. (TEM TÓPICO PARA ATENDER OS ANCIÃES, HOUVE AGRESSÃO EM SÃO PAULO)

27 – (*) BEBIDAS

Não queremos proibir bebidas; o que é necessário é se alertar contra os abusos. Não comer nem beber demais. Tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convém. Em casamentos tem havido abusos, não só no beber e no comer assim como no vestir. Porque é festa de casamento pode-se usar vestido curto? Usar pintura? Trajes decotados ou sem mangas? – De modo algum. E às vezes são irmãs velhas no caminho que assim agem.

33 – FUNERAL À NOITE

Em certa localidade um serviço de funeral foi realizado à noite após o culto; é preciso ter cuidado para não se introduzir novidades na Obra de Deus. O serviço de funeral deve ser feito uma hora ou quarenta minutos antes do corpo sair. O serviço não é para o morto, mas sim para os vivos; para conforto à família e testemunho aos ouvintes e edificação a irmandade que se encontra presente.

39 – (*) SAUDAR A QUEM FICOU SEM LIBERDADE

Se não é caso de muita gravidade e a pessoa está refazendo seu testemunho, podemos saudar. Temos a Paz de Deus em nós e disse Jesus: “Em toda a casa que entrardes, direis a Paz seja nesta casa, si a casa for digna a paz repousará sobre ela e si não for voltará para vós.

42 – TELEVISÃO

Si ensinamos a irmandade que a televisão é um ladrão dentro de casa os que têm ministério não devem possuir esse aparelho.

43 – O QUE É PENTECOSTES

Pentecostes era uma festa instituída pela lei Mosaica e comemorada anualmente em Israel; conhecida como a festa das semanas, porque era realizada quando transcorridas sete semanas após a Páscoa. Era também denominada festa das Primícias, visto serem ofertadas ao Senhor as primícias dos frutos das colheitas. A ela devia comparecer todo o povo de Deus. Devido a esta determinação, reuniam-se em Jerusalém, Judeos de todas as partes do mundo. Por esta razão é que estavam nesse dia em Jerusalém, Judeos estrangeiros, para cumprir o que vinha prescrito pela Lei. E Deus, segundo sua sabedoria celestial quis dar a Promessa do Espírito Santo com evidência de línguas estranhas, aos discípulos nesse dia. Para que o testemunho dessa operação constasse a todos os judeos religiosos e sendo feriado nesse dia, aglomeraram-se muitos judeos estrangeiros religiosos em Jerusalém. Então Deus para que o testemunho desta operação constasse a eles, levantando o Apóstolo Pedro com palavras compungiu os corações e assim naquele dia agregaram-se quase treis mil almas, formando assim a Igreja primitiva.

A descida do Espírito Santo não foi por causa do dia do Pentecostes, mas sim ao que Deus falara pela boca dos seus santos profetas e depois confirmado pelo seu Santo Filho, o Qual disse: Não vos ausenteis de Jerusalém até que do alto sejais revestidos do poder. Portanto, não somos pentecostais, pois estamos na doutrina apostólica e cumpre-se em nosso meio os dons de Deus.

46 – PRESIDÊNCIA DOS CULTOS – LEITURA DA PALAVRA – NÃO É O HOMEM QUE NOS DÁ A PALAVRA

Quem está presidindo ao culto, não deve forçar irmão algum a pregar a Palavra. Deus é Quem sabe qual o servo a quem revelou a Palavra. Si algum servo levanta com testemunho subindo ao púlpito, quem preside não deve insistir para que pregue a Palavra ao término do testemunho, nem dizendo ao irmão: “Temos prazer que o irmão pregue a Palavra ou às vezes, temos prazer que presida ao culto.” A Obra de Deus não é feita por prazer de ninguém; que desapareça o homem e fique só entre nós a glória de Deus. Nos testemunhos quem preside deve estar atento, vigiando para que cousa alguma estranha se manifeste perante o povo de Deus. O servo de Deus não deve perder a simplicidade na presidência do culto si comparecerem pessoas de posição elevada ou mesmo irmãos de outras localidades em visita. Na casa de Deus honramos a Cristo unicamente e a Deus o Creador. Independente disso, honramos e respeitamos a todas as autoridades e pessoas, pois assim nos ensina a Palavra de Deus. Si comparecerem ao culto pessoas de alta categoria social, autoridades, ministros religiosos ou pessoas influentes, a irmandade não deve levar ao conhecimento do ancião ou cooperador que preside ao culto para que este não se sinta embaraçado ou sem liberdade de falar com toda a franqueza tudo aquilo que Deus lhe puzer adiante na pregação da Palavra.

TÓPICO 52 – (*) BÍBLIAS ATUALIZADAS

A Congregação Cristã no Brasil não adotou a Bíblia atualizada; a irmandade evite comprá-las. Suas alterações são muitas o que se nota ao proceder a leitura lendo-a comparando-a com a velha versão, notando-se assim prontamente as alterações que ela contem.

TÓPICO 56 – (*) RECENSEAMENTO

Informamos os irmãos que no dia primeiro deste ano será realizado o recenseamento abrangendo todo o país. Os servos de Deus devem ensinar a irmandade atender com toda a prontidão e cordialidade aos recenseadores que os visitarão em suas casas, colaborando com eles em tudo. Na parte de religião devem responder: “Protestantes” porque a lei assim nos classifica.

= REUNIÕES DE DIÁCONOS – 1970

TÓPICO 66 – INTERFERÊNCIA EM OUTROS SETORES DA OBRA DE DEUS

Os diáconos não devem interferir na administração e nem no ministério da Palavra. É belo o ministério da Piedade. Lavar as chagas dos outros, vestir aos pobres, vemos como fez o bom samaritano. Tu vestes aos outros? Deus te vestirá de justiça. Cuidas da vida dos outros? Deus cuidará da tua vida. Alguém julga pouca coisa este ministério. Saiba que é muito importante. Agora tu vês doenças e outros males, mas naquele dia tu verás a glória de Deus.

TÓPICO 68 – UNIDADE NA OBRA DA PIEDADE

É necessário que o diácono se comunique também com as irmãs da Obra da Piedade, relatando o que se passa e dando satisfações. Sempre com espírito de união e nunca ficar baseado no que ele sentiu sozinho. Quando Deus confirma por dois ou mais é muito bom. Existem diáconos que não prezam, que não honram as irmãs nesta parte da revelação do querer do Senhor. Elas também têm o espírito de Deus e temos que às vezes ter cuidado daquilo que nós mesmos sentimos, porque pode não provir da parte do Senhor. Peçamos então para que Deus nos revele, porém revele também aos demais. Cristo deve ter domínio em toda a Sua Obra.

TÓPICO 72 – MESA DA PIEDADE E MESA DA PALAVRA

A primeira é posta para saciar a vida terrena e a da palavra para saciar as almas. Os diáconos viajando ocupem-se da Obra de Piedade e não de pregar a Palavra. Para essa necessidade irá o servo de Deus de quem o Senhor se usa. O ancião também pode determinar qual o diácono que pode atender uma viagem. Nem todos os diáconos podem viajar só porque são diáconos. Nem todos estão preparados para isso. Existem diáconos que deixam a mesa da piedade para atender a mesa espiritual; quando há servo já preparado para atender a isso. Os diáconos não devem dominar os anciães ou cooperadores. A Obra de Deus é como o mercúrio, si alguém o quer destruir ele se derrama em pequenas gotas que depois se unem novamente. Assim qualquer irmão pode pregar a Palavra, quando Deus chama nada impede. Não se pode abafar o dom de Deus e o dom de Deus não traz confusão. Todavia, a Obra de Deus não é carreira ou sociedade ou política, nem curso militar que se vai galgando. Aqui é pelo dom de Deus; si Deus manifesta o dom não o podemos reprmir, mas si Deus não dispertar não podemos dar o ministério.

TÓPICO 73 – BATISMOS

Filipe batisou; mas não era o seu ministério. Não podia ir um ancião e ele fez. Não havia quem o fizesse por causa da perseguição. Porém o ministério de batismo pertence ao ancião.

TÓPICO 75 – IRMÃS NA OBRA DA PIEDADE

Sempre que for preciso colocar irmãs é necessária a Guia de Deus. Irmãs novas na fé não convém colocar.

= REVELAÇÃO DE DEUS A UM SEU SERVO SOBRE ASSUNTOS DIVERSOS:

……

OBREIROS NA OBRA DE DEUS

Para colocar irmãos na contabilidade assim como em outro qualquer cargo na Obra de Deus, é necessário ser levado em oração ao Senhor pelo ministério.

Os infiéis acertarão contas com o Senhor.

PRESIDÊNCIA DOS CULTOS

Em determinadas localidades existem anciães que mandam os cooperadores abrirem os cultos e isso por muitas vezes. Essa não é a vontade do Senhor. Os anciães na comum Congregação devem presidir para impor respeito e vigiar sobre o povo de Deus. – …

Os irmãos que forem ordenados anciães em Congregação onde já existe cooperador deve colaborar com ele não lhe tirando o direito da presidência. Somente deve presidir na sua comum Congregação quando forem colocados cooperadores após a ordenação. A presidência na Obra de Deus é parte muito importante. Quem preside presida com cuidado. Quem preside deve ter amor paciência, mansidão, temperança, humildade, prudência e pureza, mas tambérm deve ter cuidado de não ultrapassar a Palavra de Deus deixando entrar outros espíritos, invejas, ciúmes, intrigas.

Nem todos anciães podem presidir reuniões e resolver casos.

Existem aqueles em quem o Senhor colocou o dom da presidência. Outros há que só podem atender batismos e santa ceias. Todos receberam do Senhor Jesus, uns mais e outros menos. Fique cada qual no que recebeu.

reuniões gerais anuais

Nas Congregações onde são realizadas reuniões gerais deve ser conservada a simplicidade em tudo. Não buscando o conforto da carne. Não é necessário lavanderia, barbearia, engraxates, ambulatório. Este é o caminho para a seita.

Si se prega a fé, como se tem um ambulatório? A nossa palavra tem que ser verdadeira e não falsa.

COISAS ESTRANHAS À OBRA DE DEUS

O javali (inimigo) e as feras do campo (que são maus espíritos) procuram destruir a vinha do Senhor e quando se nota que coisas estranhas começam a entrar na Obra devemos nos prostrar em oração e o Senhor os afugentará.

Em alguns países o javali entrou e fez grande estrago na Obra de Deus. Si se observar os ensinamentos como tem sido até hoje aqui, ele não entrará. Quem tiver espírito de divisão será lançado fora. Quem bem servir ao Senhor em si mesmo terá a Guia.

= AOS CAROS IRMÃOS DO MINISTÉRIO ESPIRITUAL E ADMINISTRAÇÕES

………

Quando vierem para as reuniões devem trazer consigo os talões comprovantes; os balancetes poderão as administrações remeter até fim de janeiro. As administrações procurem ter seus balancetes bem organizados, pois pela lei temos agora que fornece-lo ao Imposto de Renda, caso que será melhor esclarecido no Resumo das Reuniões Gerais deste ano.

Infelizmente recebemos quase uma centena de balancetes errados e muitas Congregações não os enviaram; dessa maneira como agir perante o Imposto de Renda? Nós povo de Deus, principalmente sendo da Obra de Deus, devemos apresentar o que a lei exige, uma cousa certa para que o bom Nome de Deus e da Congregação não venha a ser blasfemado. Quando em uma Congregação não houver irmão capacitado em fazer o balancete, deve ser procurado meios precisos para que isso possa ser feito.

…..

Vossos irmãos na fé que vos saúdam em Cristo Jesus.

(a) Anciães: Miguel Spina

Rizzieri Lavander

Secretário Geral: Reynaldo Ribeiro

= TÓPICOS – 36ª ASSEMBLÉIA DE 05 A 09 DE ABRIL DE 1971

01 – NOVIDADES NA OBRA DE DEUS – DECISÕES – TRAZER EM REUNIÃO

Nunca introduzamos novidade alguma na obra de Deus. Se alguma coisa nos parece boa e de utilidade para todos, temos que aguardar a reunião geral de ensinamentos para então apresenta-la à apreciação de todos, buscando-se a resposta de Deus em oração. Havendo aprovação, a decisão será acatada por todos e posta em prática. Para que a obra de Deus tenha sempre um mesmo aspecto e caminhemos na unidade de fé e Espírito.

02 – (*) PINTURAS E IMPRESSOS DE QUADROS COM MOTIVOS E DÍSTICOS BÍBLICOS – QUADRO “EM NOME DO SENHOR JESUS” SÓ EM CASAS DE ORAÇÃO E NÃO NOS LARES

Deliberou-se nesta reunião exortar a irmandade a não ter em casa, dependurados à parede, pinturas e quadros com dísticos ou motivos bíblicos. Isto, além de ser costume setário, acabaria por introduzir novamente em nossos lares a idolatria de que Deus já nos libertou quando nos chamou a esta graça. A princípio introduzir-se-ia pinturas e quadros de passagens bíblicas e por fim imagens de profetas e santos. Deus abomina a idolatria. Temos que advertir a irmandade, pois isto é ponto que afeta à doutrina.

Alguns irmãos que se ocupam em vender tais quadros foram aconselhados a não o fazer mais.

Quanto ao quadro “EM NOME DO SENHOR JESUS”, é para ser usado em casas de oração e congregações, onde se realizam cultos a Deus. Nos lares e em outros ambientes não é adequado usar esse quadro.

03 – (*) RAZÃO DE USARMOS EM NOSSAS CONGREGAÇÕES O DÍSTICO “EM NOME DO SENHOR JESUS”

Por que razão usamos unicamente o dístico “EM NOME DO SENHOR JESUS” em nossas congregações?

É importante inteirarmos-nos da origem deste ponto fundamental:

Nos princípios desta obra, não havia ainda sido adotado passo bíblico algum, para uso como dístico nas salas de oração. O servo de Deus, nosso irmão Louis Francescon, não tinha uma definição sobre qual versículo adotar. Certo dia, estando orando, ele e outro irmão, com uma irmã que tinha o dom de interpretar línguas, o Espírito Santo se manifestou em língua estranha por boca do irmão Francescom. Deus concedeu a nossa irmã de interpretar, dando comunicação disso ao servo: “Irmão, o Senhor falou que não há necessidade de procurar tantos passos bíblicos; basta esta frase: “EM NOME DO SENHOR JESUS”.

Alguns foram de parecer que a frase não estava completa. Dever-se-lhe-ia acrescentar a palavra “Cristo”. Mas certamente a frase está completa, pois encontramos em Colossensses capítulo 3, verso 17: “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo EM NOME DO SENHOR JESUS, dando por Ele graças a Deus, Pai.”

Quanto a quadros de fotografias de Congregações pendurados à parede, convém evitar. Por outra parte temos que ter todo o cuidado para não dar mandamentos. Sobre fotografias de familiares pendurados à parede, não se dão mandamentos. Deixemos o povo de Deus livre.

(*) FASCÍCULOS ILUSTRADOS DE HISTÓRIAS BÍBLICAS, PARA CRIANÇAS

Estão sendo vendidos em bancas de jornais fascículos semanais ilustrados de passagens bíblicas. Tais fascículos não são convenientes para nós e nossas crianças, pois trazem impressos na última folha e contra-capa imagens de ídolos. Para nós e nosso filhos basta-nos a leitura da própria Bíblia.

05 – (*) CARTÕES PARA CONTROLE DE RECITATIVOS, COM ASPECTO SETÁRIO

Tais cartõezinhos, que as irmãs e irmãos auxiliares de reuniões para jovens e menores entregam aos jovens e às crianças para saber que capítulo e verso lhes compete decorar para recitar, devem ser o mais simples possível. …- …Há congregações que competem com as outras, procurando apresentar cartão mais bonito. E já havia começado entre a mocidade o hábito de colecionar cartões de recitativos de outras localidades. Até correspondência muitos enviavam solicitando que remetessem os cartões para a coleção. Notava-se o desejo de exibição e vaidade. A obra de Deus não é feita com exibição e vaidade, mas com simplicidade. Convém os servos de Deus, anciães e Cooperadores, acompanharem o andamento das reuniões para jovens e menores em suas congregações, a fim de evitar que surjam essas coisas, que dão aspecto setário.

06 – (*) CONVITES DE CASAMENTO COM PASSOS BÍBLICOS

Também este ensinamento faz parte do resumo do ano passado. Devido à necessidade é repetido na reunião deste ano. É conveniente os servos de Deus ensinarem à irmandade, expondo os assuntos tratados nas reuniões quando tais assuntos dizem respeito à irmandade.

Não se devem fazer convites de casamento com passos bíblicos ou com emblemas simbolizando a Bíblia.

Houve um convite que mencionou algo totalmente contrário à sã doutrina: mencionou que “a família se sentiria honrada com a presença dos convidados para assistir à BÊNÇÃO NUPCIAL”. Não é dada bênção nupcial e não se faz cerimônia religiosa em casamentos. O que sempre temos feito é uma oração, e, se Deus nos der no momento, algumas considerações sobre o casamento. – isso não é bênção nupcial. – NÃO HÁ BÊNÇÃO NUPCIAL NA OBRA DE DEUS.

08 – NÃO ORAR PARA QUEM CASA COM ESTRANHOS À FÉ

Em tais circunstâncias é necessária muita prudência por parte dos servos de Deus. Deixemos que o Senhor nos guie e ilumine em cada caso. Se a pessoa que Deus chamou a esta graça já estava comprometida, não nos compete dar mandamentos nem obrigar a romper o compromisso. Se Deus nos faz sentir de ir orar, iremos; se não nos faz sentir, esclarecemos aos noivos a razão, para que não se sintam abatidos. Temos que considerar cada caso. Mesmo no caso em que não tenham dado bom testemunho; compete-nos exortar sempre, esperando que Deus opere nos corações.

09 – (*) NOS CASAMENTOS – NÃO CANTAR HINOS

Ao princípio desta obra, quando ainda era pouca a irmandade, cantavam-se hinos em casamentos. Mas Deus nos esclareceu a não misturar as coisas espirituais com as materiais. O que sempre temos feito e faremos, com a ajuda de Deus, é uma oração. E devemos exortar para que cada oração seja venerada e respeitada. Que cada qual dos convidados, nossos irmãos na fé, saiba ser moderado, assim no comer quanto no beber, evitando escândalos.

10 – (*) CHÁ DE COZINHA

…. – ….Não haveria inconveniente algum no chá de cozinha. Inconvenientes são os exageros e escândalos que tem surgido nessas ocasiões. Isso é procedimento mundano. E nossa mocidade não deve adotar hábitos mundanos. Somos povo que caminha na luz. E a luz deve aparecer em todos os nossos atos.

Não se proíbe chá de cozinha. Mas que seja dentro da decência e modéstia cristãs, no temor do Senhor.

Do mesmo modo os jovens: Há também o costume de dar uma festinha, só para os moços, como despedida de solteiro. E surge também os inconvenientes e exageros que não devem ser admitidos.

Deliberou-se apresentar esse ensinamento em reuniões para a mocidade, onde Deus dará a seus servos de exortar e aconselhar aos moços e moças a fim de que, tudo o que não serve de edificação seja posto de lado.

Podemos nos utilizar das coisas com moderação e no temor de Deus, sem dar tropeço a quem quer que seja.

13 – (*) FUNERAL PARA CRIANÇA QUE NASCE MORTA

Em tais casos só se faz uma oração. Para consolo dos pais e dos demais familiares.

14 – COOPERADORES QUE CHEGAM ATRAZADOS PARA ABRIR O CULTO – O HORARIO DEVE SER RESPEITADO – BATISMOS NÃO DEVEM SER PROLONGADOS

Há cooperadores que chegam atrazados à congregação para abrir o culto; a irmandade, por mais de uma hora, os fica esperando, cantando hinos; o horário para iniciar o culto santo à Deus deve ser respeitado. Se tais cooperadores não podem atender ao cargo, deixem o lugar para outros. E é conveniente que haja sempre em cada congregação algum irmão, de bom testemunho, aceito por toda a irmandade, que possa, em alguma emergência ou atrazo involuntário do servo de Deus, abrir o culto. Admite-se o atrazo de alguns minutos.

Quanto a serviços de batismos; Há anciães que têm o hábito de prolongar desnecessariamente o serviço, expondo a irmandade aos rigores do sol.

……

15 – PREGAÇÕES PROLONGADAS E PRELEÇÕES DURANTE O SERVIÇO, ENFADANDO A IRMANDADE

Há anciães e cooperadores que, logo no início do culto, acham motivo para exortar; antes da oração, exortam; antes da liberdade para testemunhança, também exortam; e assim durante todo o transcurso do culto. Que tais servos aprendam com os outros o modo de presidir a um culto, pois é necessário aprender o que convém. Para o bem da irmandade. Assim evitaremos queixas contra nossa maneira de proceder.

16 – PREGAÇÕES EXCESSIVAS CONTRA USO DE JÓIAS, VAIDADE, TELEVISÃO, ETC.

Os servos de Deus têm que apresentar doutrina à irmandade.

Pregar contra televisão, vaidade, jóias, é só quando Deus manda pregar. E Ele não manda repetir todas as noites de culto a mesma coisa. Sua palavra, quando Ele a pronuncia, produz efeito no coração da irmandade.

Muitos servos não entendem isso e julgam que é pelo muito falar que obterão resultados. E com isso enfadam e entristecem a irmandade batendo sempre contra tais coisas. Temos que lembrar também que há irmandade nova; se insistirmos em falar de nossa própria vontade arriscaremos a por tropeço diante dos novos. Deixemos que Deus opere. Ele sabe quando é o momento certo de falar e Ele limpará os corações. Para que não sejamos marcados pela irmandade como o irmão que só prega contra isto ou aquilo, dando a impressão de que não temos outra coisa a apresentar ao povo.

Quem exorta a palavra deve faze-lo com gravidade; com palavras sãs, cuidadosos. Que ninguém empregue termos que despertem malícia. Tal escrúpulo deve também ser observado por parte de quem preside reuniões para a mocidade. Temos que santificar a Cristo e nosso coração. E Ele se incumbirá de limpar Seu povo de modas, perucas, vaidade, etc.

17 – TESTEMUNHANÇAS ALÉM DAS 20,30 HORAS OU PREGAÇÕES ALÉM DAS 21,15 HORAS

Vem dito na palavra de Deus que o que preside, presida com cuidado. (Romanos 12,6). Quando os testemunhos se prolongam além do horário de costume, canta-se somente um verso de hino, ou um dos coros, ou mesmo suprime-se o hino. Do mesmo modo após a palavra; Se a palavra termina um pouco mais tarde, canta-se só um verso de hino ou um coro.

Conforme ensinamento vindo em reunião passada, não convém despedir a irmandade sem cantar ao menos um coro.

18 – EVITAR QUE IRMÃS SE INFILTREM EM MEIO AOS IRMÃOS PARA SAUDÁ-LOS AO TÉRMINO DO CULTO

A saudação de despedida entre irmãos e irmãs, quando é encerrado o culto, deve ser normal, como sempre o foi: saudemos às irmãs que vamos encontrando, e as irmãs aos irmãos da mesma forma. Mas o motivo deste ensinamento é a respeito de as irmãs se infiltrarem em meio aos irmãos com o intuito de saudar a este ou aquele. Se tais irmãos desejam ser saudados pelas irmãs, que se coloquem mais próximo do corredor das irmãs e assim serão saudados sem que elas se vejam forçadas a irromper por entre os irmãos. É uma medida que produzirá melhor aspecto.

20 – HONRARIA DA ORQUESTRA A COOPERADORES

Há cooperador que espera que a orquestra o busque lá fora para, no som de música, entrar na congregação para abrir o culto. Quem fez isso não o repita. Os hinos são para louvarmos o santo nome de Deus.

22 – IRMÃOS QUE VÃO A SEITAS E ESPIRITISMO

As medidas não podem ser iguais para todos os casos. Há pessoas novas no caminho que ainda não entenderam a graça de Deus; nos apertos da vida são induzidas a recorrer a tais coisas. Compete-nos chamar e orientar a essas pessoas, advertindo-as a não incorrer mais em tais erros diante de Deus. Se são pessoas antigas na fé, temos que usar de medidas severas. Quem errou e depois mostra arrependimento, terá que se levantar perante toda a irmandade, pedir perdão a Deus e à irmandade, para nunca mais cair em tais males. Querm recusar fazer isso não terá mais liberdade alguma em nosso meio.

26 – COMISSÁRIO DE MENORES

Tal cargo não é emprego, nem obrigatório por força legal. É exercido por voluntários. Não é cargo remunerativo. Não se recebe salário por ser comissáro de menores.

Para nós, crentes, é uma pura vaidade desejar ser comissário de menores. Quem se prende a esse compromisso vê-se obrigado a comparecer a lugares impróprios para os filhos de Deus. Deve prestar serviço à noite, fora de hora, e passa a perder os cultos. Isso acaba por danificar a vida do crente, levando-o à ruína espiritual. Temos tido dolorosos exemplos de irmãos que eram cheios do Senhor, de excelente testemunho, mas se sobrecarregaram a si mesmos com tal carga e hoje estão longe do Senhor.

Os servos de Deus tenham em mente que tal assunto não é para ser ensinado ou tratado publicamente nas congregações, pois envolve assunto pertinente às autoridades. Mas se souberem que algum irmão está se inclinando para isso, aconselhem-no, fazendo-lhe ver os riscos a que estão expondo sua própria alma. Aconselhem-no, se necessário, perante os familiares e irmãos de responsabilidade da igreja, para que o conselho fique bem patente.

27 – REUNIÕES PARA A MOCIDADE – SISTEMA DE DESPEDIR-SE POR MOTIVO DE CASAMENTO

…..

Se o número de casais que se vão despedir é grande, fazemos do seguinte modo: TERMINADA A EXORTAÇÃO DA PALAVRA, CHAMAMOS À FRENTE MOÇOS E MOÇAS QUE VÃO SE DESPEDIR, CONVIDANDO-OS A SUBIREM AO PÚLPITO. ENTÃO AJOELHAMO-NOS TODOS EM ORAÇÃO DE AGRADECIMENTOS. NESSA ORAÇÃO, QUE SERÁ FEITA PELO IRMÃO ANCIÃO QUE PRESIDE, SERÃO APRESENTADOS CONJUNTAMENTE OS QUE SE DESPEDEM, ROGANDO-SE A DEUS PARA QUE OS ABENÇOE. LEVANTANDO-SE DA ORAÇÃO VÃO OS MOÇOS E MOÇAS CADA QUAL A SEU LUGAR E ENCERRA-SE O SERVIÇO. TAMBÉM NESSE CASO, ANTES DE ORAR, O SERVO QUE PRESIDE PODE APRESENTAR OS CONSELHOS QUE DEUS LHE TROUXER ADIANTE.

29 – SANTA CEIA SOMENTE PARA A MOCIDADE – SANTA CEIA A PORTAS FECHADAS

Em determinada localidade o irmão cooperador havia planejado fazer a mocidade participar da santa ceia ao final do serviço, isoladamente. O irmão ancião que foi atender a essa santa ceia aconselhou-o, no amor do Senhor, a não fazer isso. Não existe distinção em meio à irmandade. Na presença de Deus não há diferenciação de sexo ou de idade. Se fizéssemos santa ceia só para a mocidade iríamos introduzir novidade na obra de Deus.

Muitos se referem à mocidade intitulando-a de “ornamento da obra de Deus”; outros chamam-na “o jardim do Senhor”; e outros a consideram “a igreja do futuro”. Essas expressões não tem fundamento. São maneiras de falar que uns copiam dos outros. Devemos ensinar a irmandade a evitar essas expressões que não se justificam. Ornamento da obra de Deus são todos os que honram a sua palavra e a sã doutrina; jardim do Senhor somos todos e não somente a mocidade; e chamar a mocidade de igreja do futuro não forma sentido, pois no futuro essa mocidade estará velha e sempre haverá na igreja irmãos e irmãs jovens e velhos.

…..

Outra inovação que surgiu: realizar santa ceia a portas fechadas. Nunca se viu isso na obra de Deus. Quem assim o fez, que o não repita.

30 – UNIFORMES COM CALÇAS COMPRIDAS PARA MOÇAS EM ESCOLAS E FÁBRICAS – SEU USO OBRIGATÓRIO

Em alguns Estados do Brasil tornou-se obrigatório por lei o uso de uniformes com calças compridas para moças, em escolas. Sendo determinado por lei, nossas filhas estão sujeitas a essa determinação; caso contrário, como poderão freqüentar as escolas?

No referente a fábricas, conforme o gênero do maquinário, tem a indústria adotado calças compridas para operárias. Para se eliminarem os riscos de acidentes. Assim, tanto nas escolas como nas fábricas, não há inconvenientes que irmãs nossas usem tais uniformes. Entretanto, aconselhamos a que, ao se acharem fora do ambiente escolar ou de trabalho, usem a roupa comum, própria da indumentária feminina, apresentando-se com trajes adequados a uma cristã. Sabemos que é contra a palavra de Deus mulher usar roupa de homem e vice-versa. Mas no ambiente escolar e em fábricas, desde que obrigatório, as irmãs podem usar tais uniformes.

Em zonas rurais, onde as senhoras necessitam frequentemente utilizar-se de montaria, as irmãs usam calças compridas, mas usam ao mesmo tempo o vestido.

31 – NÃO TER AMBIÇÃO OU SOLICITUDE PARA CONSTRUIR CONGREGAÇÕES

……

Temos que esperar que Deus envie o povo em nosso meio; depois pensaremos em construir congregação. Não deve haver ambição ou solicitude, tanto do servo como da irmandade, para construção.

……

Há também a vaidade em muitos de querer construir congregações grandes, suntuosas, monumentais. Pretendem coisas acima das próprias forças, sacrificando a irmandade, que não consegue levar a cabo a exagerada empreitada. …. – ….. O bom senso e a experiência nos tem ensinado sobre a vantagem de construir várias congregações menores pelos bairros e periferia de cidade e não uma congregação central de proporções descomunais.

41 – BANDEIRA NO PÚLPITO

Quanto a bandeiras nos púlpitos das congregações: não há lei que obrigue a implantação do Pavilhão Nacional nos púlpitos das igrejas ou em qualquer de suas dependências. Poderá ocorrer que, algum prefeito, movido por entusiasmo, queira obrigar. Compete-nos, com paciência e mansidão, esclarecer que, diante de Deus, os cultos que realizamos, tem caráter essencialmente espiritual e cumprimos o que recomenda a palavra de Deus: “daí a César o que é de César; e a Deus o que é de Deus.”

43 – TELEVISÃO: ANCIÃES, DIÁCONOS, COOPERADORES E COOPERADORES PARA JOVENS E MENORES NÃO PODEM TER

O Senhor concedeu de ser deliberado unanimemente, nesta reunião geral anual e assembléia; OS IRMÃOS ANCIÃES, DIÁCONOS, COOPERADORES DO OFICIO MINISTERIAL, E COOPERADORES DE REUNIÕES PARA JOVENS DE MENORES NÃO PODEM TER TELEVISÃO.

45 – NÃO SE DEVE FAZER PROMESSA DE LIBERTAÇÃO OU CASTIGO NAS PREGAÇÕES, ESTIPULANDO PRAZO PARA QUE SE CUMPRAM

Devemos estar prevenidos contra certos costumes estranhos que estão querendo se implantar na obra de Deus, ou melhor esclarecendo, nos próprios que pregam a palavra: Pregar libertação ou castigo (e até a morte) estipulando a data em que tal coisa se cumprirá. Irmãos, temos que estar muito acertados por Deus, ao estipular prazos. Se a promessa estipulada com prazo determinado não se cumpre, o povo passa a descrer do que sai de nossa boca. E cairemos em descrédito. Por culpa nossa, visto não nos deixarmos guiar pelo Espírito Santo. Portanto, deixemos tais costumes prejudiciais e evitem falar o que Deus não nos manda.

46 – NÃO DEVEMOS PREGAR CONTRA O ESTUDO

Há servos que interpretam como uma proibição de estudo a parte da palavra que diz: “e o muito estudar enfado é da carne.” – NÃO É PROIBIDO ESTUDAR. Nesta reunião é dado esclarecimento a todos: O QUE NÃO PODEMOS FAZER É ESTUDAR A PALAVRA DE DEUS. Quanto a estudar para ampliar os conhecimentos na parte material, em nossa profissão ou outras atividades, é coisa boa e proveitosa. Quem tem oportunidade de estudar, deve aproveitá-la. Atualmente, com o grande desenvolvimento de nossa Nação, o estudo tornou-se indispensável, tanto para a obtenção de colocações como para mantê-las e conservá-las. Portanto, que ninguém pregue conta o estudo. Deixemos a nossa mocidade e a irmandade em geral livre nesta parte. Mesmo que o irmão que estuda seja músico e falte nos cultos os dias da semana. Não o impeçamos de estudar. O que temos a fazer é aconselhá-lo a guardar-se no temor de Deus, não perdendo os cultos em dias em que não há aula.

Quanto ao estudo de advocacia, não é conveniente para os irmãos do ministério.

50 – PRESIDÊNCIA À HORA DA PALAVRA QUANDO SOBE OUTRO SERVO PARA PREGAR

Estando presidindo um cooperador e levantando-se um ancião ou outro cooperador para pregar, o que preside desce. Se está presidindo um ancião e Deus revela a palavra a um cooperador, o ancião permanece no púlpito, sentando-se na cadeira. Se é a outro ancião que Deus revela a palavra, o ancião que preside desce do púlpito. Para a congregação do Brás, deliberou-se que, devido a extensão do púlpito, o que preside não desça quando levanta outro servo para pregar, seja este cooperador ou ancião.

55 – SANTAS CEIAS – CONSIDERAÇÕES DIVERSAS

…….

Quanto ao restante do pão que não foi partido e ao vinho que permaneceu nas garrafas ou na jarra, podemos fazer uso deles livremente. Isto temos aprendido do servo de Deus, no princípio desta obra.

…….

Deve ser um pão só, inteiro, e não vários pães. Não é pão doce nem broa de fubá ou centeio: é pão comum, de farinha de trigo. Se possível, sem o corte em cima. Quando nos for fácil, preparemo-lo em casa, ou encomendamos na padaria do modo como deve ser.

Quanto ao tipo de vinho: NÃO É SUCO DE UVA – NÃO É VINHO BRANCO – NÃO É VINHO ESPUMANTE (FRIZANTE) – NÃO É QUALQUER TIPO DE BEBIDA ALCOÓLICA – DEVE SER VINHO TINTO, SECO.

…….

Não deve ser alterado o que está na obra de Deus desde o princípio. O pão deve ser partido no momento exato em que a irmandade estiver cantando a primeira linha da segunda estrofe do hino 395: “Quando vós o pão partirdes, recordai-vos de mim”.

O cálice deve ser enchido no momento exato em que a irmandade estiver cantando a segunda linha da segunda estrofe do mesmo hino: “quando o cálix vós beberdes, recordai-vos de mim”.

O servo que parte o pão deve faze-lo com toda a naturalidade, com a máxima reverência diante de Deus. O pão deve ser picado em pequenas porções, miolo e casca. NÃO SERVIMOS SANTA CEIA PARA MENORES DE DOZE ANOS, MESMO QUE JÁ SEJAM BATIZADOS, POR HAVER RECEBIDO A PROMESSA.

= ASSUNTOS DOS IRMÃOS DIÁCONOS – ASSEMBLÉIA DE 1971

56 – ASSIDUIDADE NA COMUM CONGREGAÇÃO – AUSÊNCIA SÓ POR VIAGEM, DOENÇA OU OUTRO MOTIVO JUSTIFICADO, COMUNICANDO O OCORRIDO AO ANCIÃO OU COOPERADOR

Não havendo motivo justificado, a ausência do diácono de sua comum congregação indica que ele não está servindo ao Senhor com assiduidade. O diácono só pode desempenhar sua missão estando presente aos cultos.

São freqüentes os casos de pessoas alcoolizadas ou desordeiras que intentam entrar na congregação ou se manifestar à hora do culto. O diácono cuidadoso intervém para manter a ordem. Tem acontecido de elementos estranhos se infiltrarem em meio à irmandade, em pleno andamento do culto com manifesta intenção de distribuir material de propaganda, no que tem sido impedidos pela pronta intervenção do diácono.

Os diáconos são também atalaias e não podem se afastar do posto a ele confiado. Que não haja a alegação de que há este ou aquele irmão para substituir. O que Deus incumbiu a um servo de fazer, não espere que outro o faça.

57 – DIÁCONOS NOVOS – NECESSIDADE DE SEREM ORIENTADOS PELOS MAIS ANTIGOS NO MINISTÉIRO

Há diáconos novos no ministério que, antes de serem colocados, já vinham acompanhando a obra da piedade. Embora assim, falta-lhes a parte prática. De sorte que, onde Deus tem colocado diáconos novos, quando houver necessidade de reunião regional para ensinamentos, escrevam para São Paulo, após haver entrado em entendimento com o irmão ancião ou cooperador da localidade e Deus dará a graça de os diáconos mais antigos atenderem. Dependemos uns dos outros.

Em reuniões onde houver vários diáconos, como em São Paulo e outras cidades, tenham os novos diáconos prudência no manifestar o que sentem. É melhor conservarem-se em silêncio, para aprender dos mais experientes. Procurando não interferir em casos em que não estão ainda enfronhados.

Diáconos novos no cargo em localidades onde não há outros diáconos, consultem aos anciães e cooperadores. Trabalhem com prudência. Portanto, onde há um só diácono, além de estar em comunhão com o ancião ou cooperador local, é necessário o contato com diáconos das localidades mais próximas.

58 – CASAMENTOS – SÃO DISPENDIOSOS – CIDADÃOS SEM RECURSOS SÃO AMPARADOS PELO PARÁGRAFO 32, ARTIGO 153 DA CONSTITUIÇÃO DE 1969

Casais amasiados e sem recursos para custear o casamento, ao receber o testemunho desta graça, costumam geralmente procurar os irmãos diáconos, para que se incumbam de lhes pagar as despesas do casamento, a fim de poderem se batizar. Mas isto fica muito oneroso, é demasiado dispendioso para a obra de piedade. Quem quizer regularizar sua situação conjugal para obedecer a Deus nas águas do batismo encontrará amparo em leis existentes que lhes garantem o casamento grátis. Há uma regulamentação para isso. MEDIANTE ATESTADO DE POBREZA, a pessoa obterá esse benefício.

Não quer isto dizer que os diáconos fechem as portas para todo e qualquer caso. Há que considerar cada caso. Se são pessoas que estão no fim da vida, seja por enfermidade fatal ou pela idade avançada, ora-se a Deus, fazendo o que Ele nos determinar.

59 – DESQUITE – NÃO NOS ENVOLVEMOS EM TAIS CASOS – HAVENDO NECESSIDADE, DAR APENAS ORIENTAÇÕES

….. – …. Não é possível atender e nem convém diáconos se envolverem em tais casos. O que devem fazer é orientar. Se os interessados não tem recursos para promover desquites, procurem os meios proporcionados pelo governo, apresentando um atestado de pobreza.

…HAVENDO QUEBRA DA FIDELIDADE MATRIMONIAL (ADULTÉRIO, PROSTITUIÇÃO), a parte ofendida é livre para se separar de quem pecou, desquitando-se. E em tal caso a pessoa pode casar-se novamente, pois perante Deus o que pecou morreu espiritualmente. E morto morto um dos cônjuges o outro está livre para casar novamente. É por esta razão doutrinária que a Congregação aceita como irmão ou irmã pessoa desquitada ou que casa de novo, após o desquite, QUANDO OCORREU INFIDELIDADE MATRIMONIAL.

Desquites e novo casamento em questões que não sejam por infidelidade matrimonial não podemos aceitar. Quem faz isso está adulterando. E adúlteros e pecadores nada tem a fazer em nosso meio. Não serão considerados nossos irmãos. Não somos uma congregação de pecadores, mas sim de santos de Deus, pois a Igreja é a esposa de Cristo, pura, santa e imaculada. Esta é a doutrina de Cristo para tais casos.

60 – LAVRAR ATAS – É DE GRANDE IMPORTÂNCIA E UTILIDADE EM SE TRATANDO DE REUNIÕES REGIONAIS – ARQUIVO DE CÓPIAS

As atas das reuniões são de suma importância. Devem ser cuidadosamente arquivadas. Sempre que possível, enviar uma cópia para os diáconos de São Paulo. Tudo o que ficou lavrado em ata, cedo ou tarde terá sua utilidade, na elucidação de casos, na constatação e confirmação de deliberações, no reexame de resoluções, etc.

62 – IRMÃS PARA A OBRA DA PIEDADE

Quando o diácono sente de apresentar irmãs para ajudar na obra de piedade, faça-se sempre de acordo com o ancião e cooperador. Convém observar certas precauções com referência às irmãs que se deseja apresentar: Se têm bom testemunho, se o esposo é crente, que não seja muito idosa, que não seja mãe de família demasiada numerosa. E acima de tudo, deixemo-nos guiar por Deus. Sua preciosa guia jamais nos deixará errar.

É conveniente lembrar sempre esta parte: Não é por ser esposa de ancião, diácono ou cooperador que deve fazer parte da obra de piedade. Se em algumas dessas irmãs há o dom de Deus, serão apresentadas normalmente como as demais e se O Senhor confirmar, serão colocadas na obra de piedade. Não devem os servos de Deus fazer empenho para que suas esposas sejam postas na obra de piedade. Às vezes isso pode até trazer embaraços para o Ministério do próprio servo.

Nunca devem os cooperadores apresentar as irmãs para a obra de piedade em localidades onde houver diácono. Compete ao diácono ver a necessidade e orar a Deus para que a supra, apontando-lhe a irmã que seja de sua santa vontade. Então o diácono entrará em entendimento com o irmão cooperador, fazendo tudo de comum acordo, com espírito de harmonia e na paz.

64 – VIAGENS – TRÊS TIPOS: EM CARÁTER PARTICULAR, ACOMPANHANDO O SERVO E PARA ATENDER REUNIÕES COM O ANCIÃO E O COOPERADOR

Como já ficou dito, onde há um diácono só, são mais raras suas viagens. Conforme o conselho desta reunião sobre a assiduidade na comum congregação. Mas quando Deus manda, uma vez ou outra, pode providenciar para que o diácono de outra congregação esteja presente para substituí-lo.

Quanto aos tipos de viagens: Para viagens particulares não se utiliza dinheiro da caixa. E não se atendem a reuniões e outros assuntos que possam surgir. Pois as reuniões devem ser feitas com oração. Em viagens particulares não se usa nem a caderneta quilométrica. Esta é para o atendimento na obra de Deus e não para negócios particulares.

Tal advertência não é só para os irmãos diáconos: Nesta reunião é mencionado também que não é permitido utilizar dinheiro da congregação para custear viagens particulares de anciães ou cooperadores. O dinheiro é fruto preparado por Deus, por intermédio de seu povo, e só deve ser empregado onde Deus determina que se o empregue.

Viagens em companhia de um ancião, em missão: É o ancião que se sente de levar em sua companhia um diácono, devido às necessidades das localidades para onde vai.

Viagens para atendimento de reuniões regionais em outras localidades, observando-se o modo como Deus guia a seus servos em reunião para determinar quem deve sair para essas missões. Para estes atendimentos os diáconos utilizem a disponibilidade do caixa, pois para isso Deus já tem preparado o necessário.

65 – ACOMPANHANTES DE IRMÃOS ANCIÃES E DIÁCONOS DEVEM VIAJAR COM SEUS PRÓPRIOS RECURSOS

Irmãos que se dispõem a acompanhar anciães e diáconos em viagens, ou mesmos os conduzem em seus veículos, já sabem que devem viajar com seus próprios recursos. Sempre tem sido assim, desde o início desta obra. Menciona-se para um esclarecimento aos novos.

66 – ANCIÃES QUE TEM VIAJADO NO ATENDIMENTO DA OBRA DE DEUS COM SEUS PRÓPRIOS RECURSOS, POR DESMAZELO DO DIÁCONO OU DO COOPERADOR

Há anciães que dispendem dinheiro de seu bolso para pagar passagens e despesas de viagens no atendimento da obra de Deus, com o sacrifício próprio e de sues familiares. Nunca permitam os diáconos que isso suceda, ou que continue. O zelo pelo ministério cada diácono deve demonstrar a começar desta parte: atendimento eficiente ao servo de Deus de sua congregação.

Periodicamente, tanto o diácono como o cooperador têm que exortar a irmandade a contribuir com frutos destinados às viagens dos sevos de Deus.

68 – EMPRÉSTIMOS – ASSINATURAS E AVAL

JAMAIS SE DEVE USAR DINHEIRO DA OBRA DE DEUS PARA FAZER EMPRÉSTIMOS. Nem da caixa da obra de piedade, nem do caixa geral da congregação.

Há sempre irmãos que, julgando ser possível obter empréstimos com diáconos, procuram-nos. É necessário esclarecer a tais irmãos que o dinheiro não é dos diáconos e sim do Senhor. Para ser utilizado em sua obra segundo seu santo querer.

Os irmãos diáconos devem também prevenir-se contra assinatura de aval de dívidas alheias. Muitos diáconos envolveram-se com esse tipo de compromisso e depois tiveram que pagar o que não deviam. ISSO PORQUE ASSINARAM E SE TORNARAM COOBRIADOS, OU DEVEDORES JUNTAMENTE COM QUEM LHES PEDIU O AVAL.

Também não é aconselhável que os diáconos se tornem fiadores de alugueis de casa. Nem fiadores de outro qualquer compromisso. Os servos de Deus devem ficar inteiramente livres. Que os diáconos tenham sempre a necessária franqueza para negar aval, seja para irmãos nossos seja para pessoas não crentes. Não podem se sobrecarregar com o fardo dos outros. A PALAVRA DE DEUS NOS ADVERTE CONTRA O PERIGO DE FICARMOS FIADORES. (Provérbios, 6: 1-5).

69 – VISITAS SOLICITADAS POR PESSOAS NÃO CRENTES

São muitas as solicitações de pessoas que recebem o testemunho desta graça para que os diáconos as visitem em seus lares. Temos que orar ao Senhor e averiguar se as tais pessoas estão realmente interessadas na salvação da alma ou visam o auxílio da obra de piedade.

70 – ATENDIMENTOS DE SERVIÇOS DE FUNERAL

Embora os irmãos diáconos sempre se tenham disposto a atender serviços de funeral, lembramos que isto é incumbência dos irmãos Anciães e cooperadores.

71 – DIÁCONOS QUE SE RETIRAM IMEDIATMENTE APÓS O TÉRMINO DO CULTO

Há diáconos que não dão o devido atendimento à irmandade; vão para suas casas assim que termina o culto. Isto não é conveniente. É necessário que fiquem na congregação até que todo o povo se retire. Assim darão atendimento a todos. Com toda boa vontade, com carinho e desvelo para com o povo de Deus. Depois então irão para suas casas com a consciência tranqüila por haver feito inteiramente a vontade de Deus. E nunca haverá motivo para que a irmandade se queixe.

72 – DIÁCONOS OUVIREM A PALAVRA

Embora a função dos diáconos force a estar em constante atividade durante o culto, atendendo a uma coisa e outra, contudo na hora da palavra é conveniente que eles estejam sentados em seus lugares, ouvindo tudo o que Deus envia. Os diáconos precisam muito da palavra de Deus, pois seu ministério tem que ser exercido de forma totalmente espiritual, pela guia constante do Espírito. Portanto, à hora da exortação da palavra, fiquem em comunhão com Deus. Deixem que os porteiros cuidam do que é necessário.

73 – IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE NÃO INTERFERIREM EM PROBLEMAS DE FAMÍLIAS

As irmãs não interfiram na vida particular da irmandade; nem os diáconos. O ministério é atender às necessidades do povo de Deus. Que ninguém interfira em assuntos conjugais, casos de família ou assuntos particulares.

74 – PEDINTES DE ESMOLAS QUE ANTERIORMENTE ERAM ATENDIDOS PELA PIEDADE

Quem se defrontar com tais casos encaminhe-os aos anciães e cooperadores. É caso de doutrina. Quem se diz crente e pede esmolas está fora da palavra de Deus. Esta nos afirma que nunca veremos o justo mendigar o pão.

75 – DIÁCONOS NÃO SE SOBRECARREGAREM DE ENCOMENDAS AO VIR A ESTAS REUNIÕES

Os diáconos não tomem encomenda alguma para comprar coisas aqui em São Paulo. Devem ficar livres e despreocupados para as reuniões.

77 – NÃO REMOVER DO CARGO IRMÃS QUE EXERÇAM A FUNÇÃO DA PIEDADE

Não se faça isso, sob alegação alguma. É preferível dar conselhos, suportar e por fim ganhar as almas. Só se remove em casos bem graves. E são os anciães e cooperadores que removem e não os diáconos. Agindo assim, os diáconos pouparão suas almas de passar por grandes aflições e combatimentos.

= TÓPICOS – 37ª ASSEMBLÉIA DE 27 A 31 DE MARÇO DE 1972

05 – CÔNJUGE ENFERMO INCURÁVEL NÃO É RAZÃO PARA DESQUITE

A palavra de Deus é clara: Somente é permitido ao homem repudiar sua mulher (ou vice-versa) por motivo de infidelidade conjugal. Doença incurável, invalidez, incompatibilidade de gênio ou outro motivo que não seja o mencionado pela Palavra de Deus não é motivo para desquite. Devemos lançar sobre o Senhor nossa ansiedade e Ele cuidará de nós.

06 – CONVITES PARA REUNIÕES DA MOCIDADE

A fim de evitar que grupos de jovens de ambos os sexos viagem em caravanas de uma cidade para outra, é deliberado não se permitir mais o envio de cartas convidando a mocidade para essas reuniões.

07 – LOTERIA ESPORTIVA

Cabe aos servos de Deus, como atalaias, advertir ao povo de Deus a respeito da loteria esportiva, que é igual a qualquer outro tipo de jogo transformando-se em um vício. O que é ganho em jogo não é abençoado por Deus.

08 – CAÇA E PESCA

No tópico número 48 do resumo de ensinamentos de 1971, consta que “caçar e pescar não é proibido e nem pecado.” – … – Os servos de Deus e a irmandade em geral não devem deixar as coisas de Deus para se dedicar a esses entretenimentos. Nas ocasiões de caçadas e pescarias apresentam-se oportunidades que levam os crentes a se entregarem a vícios de bebidas, etc.

A carne da caça torna-se pecado quando seu sangue não é derramado: É carne sufocada. A pesca, para uns, é uma profissão, um meio de vida, e não um entretenimento. Estes necessitam da pesca.

13 – ESCLARECER SOBRE JUGO DESIGUAL

Diz a palavra de Deus: “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis.” Entretanto, para preservar o conceito no ministério, consideramos ser também jugo desigual o matrimônio de um servo idoso com uma irmã jovem, com muita diferença de idade. Porisso nós, servos de Deus, não nos devemos prevalecer de nossa autoridade no ministério, convencendo as irmãs jovens a aceitar nosso pedido de casamento, como se isso viesse da parte de Deus.

14 – IRMÃOS E IRMÃS DISTRIBUIREM AS FILAS NAS SANTAS-CEIAS

Ponderando-se, chegou-se à conclusão de que a distribuição e orientação das filas nas santas-ceias devem ser feitas somente por irmãos. Todavia, convém que os servos de Deus instruam a esses irmãos sobre a maneira de se comportar.

15 – CARTAS DE APRESENTAÇÃO

É deliberado que se dê carta de apresentação só em casos de mudança ou missão espiritual. Irmãos e irmãs em visitas não levarão carta de apresentação e terão liberdade, embora não sendo conhecidos, para chamar hinos orar ou testemunhar. O servo que preside deve estar atento par que nada de estranho se manifeste. Mas para exortar a palavra, só se dá liberdade a irmão que seja conhecido ou apresente carta.

17 – NÃO SUSPENDER CULTOS

Fomos ensinados pelo servo de Deus, irmão Francescon, que as casas de oração não podem ficar fechadas em dias de culto. Mesmo que haja batismo ou culto extra em outra congregação vizinha. Só se suspendem cultos por motivo de reformas ou construções.

19 – CABELUDOS NO MINISTÉRIO

…. – ….

Ultimamente surgiu essa moda no mundo: homens com cabelos longos, como as mulheres; costeletas e bigodes exagerados. A Igreja de Cristo não deve acompanhar os costumes mundanos. O ensinamento é em geral, mas os que fazem parte do ministério na obra de Deus, inclusive o musical, necessitam obedecer a este ensinamento. De igual modo, não é permitido, pela palavra de Deus, o uso de trajes masculinos por mulheres. Sempre que Deus trouxer adiante ao servo, a irmandade deve ser doutrinada, deixando-se cada qual com sua responsabilidade perante Deus. Quanto a participar da santa-ceia, isso fica na consciência de cada um.

21 – PROFECIAS E ARREBATAMENTOS

Quanto a profecias, somos ensinados pela palavra de Deus a provar os espíritos, para saber se são de Deus.

Quanto a arrebatamentos, caso ocorrido em Curitiba, já houve circular no ano passado, expedida pelos servos de Deus, do Estado do Paraná e de São Paulo, para todo o Brasil. Por essa circular prestou-se esclarecimento a irmandade em geral.

28 – VIAGEM EM MISSÃO

Somente é considerada viagem em missão a que for confirmada pelo Senhor em oração em reunião do Ministério. Sejam viagens de anciães, diáconos, cooperadores, administradores ou mesmo irmãos e irmãs sem cargo na obra de Deus. Irmãos acompanhantes de servos que partem em missão não serão auxiliados em suas despesas.

Irmãos e irmãs que vão em missão a outras localidades, e sentirem em visitar desviados ou irmãos afastados da comunhão com a irmandade, tenham a devida prudência de se dirigir em primeiro lugar aos servos que atendem a localidade, expondo-lhes o motivo da visita e o que sentem de fazer.

29 – DESTINO DOS FRUTOS DAS COLETAS

Os frutos que Deus prepara para o atendimento das necessidades em sua obra não pertencem aos anciães, nem aos diáconos ou cooperadores e administradores. O dinheiro é de Deus. Deve ser aplicado inteiramente em Sua obra. Não é permitido, de forma alguma, aplica-lo para fins particulares ou empréstimos a quem quer que seja, mesmo que ofereçam juros elevados. O dinheiro das coletas, quando não precisar ser aplicado imediatamente, pode ser depositado em caixas econômicas ou Bancos sólidos.

32 – CIRCULARES PARA AS REUNIÕES GERAIS

Em vista do grande número de circulares que se extraviam, não as enviaremos mais. As datas para as reuniões gerais de ensinamentos que anualmente se realizam aqui na Capital de São Paulo, serão anunciadas, nos anos vindouros, com a ajuda de Deus, pelos Resumos de Ensinamentos.

…….

Visto haver também, anualmente, reuniões regionais em Apucarana, Estado do Paraná e em Acopiara, Estado do Ceará, nas quais são apresentados os mesmos ensinamentos, não mais virão a São Paulo para as reuniões gerais os irmãos cooperadores destes Estados.

33 – AUXILIARES DE ENCARREGADOS REGIONAIS

Tendo em vista que os irmãos que eram chamados auxiliares dos encarregados regionais exercem o mesmo serviço que estes, deliberou-se, nesta reunião, passem os auxiliares a ser considerados também encarregados regionais de orquestra. Ora, somos ensinados que não há hierarquia entre nós, mas é respeitada a antiguidade no ministério.

Se em alguma localidade houver algum músico colocado ocasionalmente como ajudante ou auxiliar, sem haver sido orado, esse não passa a ser regional, pois foi posto provisoriamente para um auxílio momentâneo. Para colocar regionais novos é necessário apresentar a Deus em oração na reunião ministerial.

34 – ORIENTAÇÃO AOS IRMÃOS ANCIÃES SOBRE A MANEIRA DE OFI CIALIZAR MÚSICOS

……

O ancião chamará à frente os músicos aprovados e lhes apresentará os conselhos conforme o Espírito Santo guiar, para que esses novos servos de Deus saibam como se conduzir, dando em tudo um bom testemunho, não imitando os costumes mundanos, cumprindo com assiduidade e fidelidade o ministério, honrando a palavra de Deus, considerando que os hinos são sacros não devendo ser tocados de modo profano com passagens e floreados. Esses conselhos aplicam-se também às irmãs organistas, que deverão trajar-se como santas de Deus. Não se tolerarão saias curtas. As que não se conformarem com estes ensinamentos terão que deixar de tocar. Após tudo isso e mais o que Deus trouxer adiante, o irmão ancião convidará a todos a orar, e nessa oração oficializará os músicos. Quanto à apresentação de cada músico em sua congregação, o ancião ou cooperador o fará perante a irmandade no primeiro culto que houver. Para que a irmandade saiba que tais e tais músicos já foram oficializados.

36 – REUNIÕES GERAIS DE COOPERADORES DE CULTOS DE JOVENS E MENORES

No tópico 24 do resumo de ensinamentos de 1971 consta claramente o modo de proceder no sentido de se realizarem essas reuniões. Os cooperadores de jovens e menores não tomem atitude alguma, nem apresentem o que aprenderam nessas reuniões regionais sem primeiro levar ao conhecimento do ancião ou cooperador local, para que estes se inteirem de tudo. Quanto às irmãs auxiliares, tem liberdade para exortar a palavra nas reuniões para jovens e menores. Desde o princípio o Senhor tem se usado delas. Deixemos o dom de Deus operar.

38 – AS DELIBERAÇÕES DAS REUNIÕES DEVEM SER RESPEITADAS E CUMPRIDAS

É dever de todos os servos respeitarem e cumprirem as deliberações tomadas nas reuniões. Porisso há necessidade de os servos freqüentarem as reuniões do ministério com a mesma responsabilidade com que atendem aos cultos.

40 – CADEIRAS NO PÚLPITO

Para que haja uniformidade em todas as congregações, deve haver sobre o púlpito a tribuna e duas cadeiras. A não ser que o púlpito seja demasiado pequeno.

41 – PALAVRAS PARA ENCERRAMENTO DO CULTO

Ao encerrar o santo serviço, basta o servo despedir a irmandade com a paz de Deus, e que a comunhão do Espírito Santo esteja com todos, junto aos conselhos da palavra. Enfim, com alguns termos que Deus der. MAS NÃO É NECESSÁRIO DIZER: “DEUS SEJA LOUVADO”.

= TÓPICOS APRESENTADOS EM PLENÁRIO PELOS IRMÃOS DIÁCONOS – ASSUNTOS RELATIVOS AO MINISTÉRIO DA PIEDADE – 1972

42 – CONSIDERAÇÕES GERAIS – PONTOS DE DOUTRINA

– A OBRA DA PIEDADE PODE AJUDAR A IRMÃOS DESOBEDIENTES, QUE ESTEJAM PASSANDO POR NECESSIDADES PELO CASTIGO DE DEUS?

Se o Senhor faz sentir que sim, pode-se ajudar. Ninguém terá o direito de criticar. A respeito deste ponto o saudoso irmão Francescon apresentou a doutrina, mencionando a “Parábola do Bom Samaritano” (Lucas, 10 – 25 a 37). A interpretação desta parábola no sentido de se auxiliar a quem Deus esteja castigando, é a seguinte: “O homem que descia pelo caminho que leva de Jerusalém a Jericó, estava deixando Jerusalém, cidade santa, e descia a Jericó, cidade de pecado (comparação simbólica, pois Jerusalém é figurativa da Cidade Celestial. Jericó, que fica embaixo, simboliza o mundo de pecado). Deus não permitiu que ele descesse até lá, pois em meio ao caminho fez com que caísse nas mãos de salteadores que quase o mataram. Mas Deus não o desamparou; preparou o bom samaritano que lhe lavou as feridas com vinho, untando-as com azeite. Agasalhou-o também na hospedaria, até que se recuperasse. Assim, este é o conselho aos diáconos e irmãs da piedade: Quando se apresentarem tais casos em vossas reuniões, deixai-os para o fim; na oração de encerramento, apresentai-os ao Senhor. Se Deus fizer sentir de atender, podeis atender sem receio algum. A obra de Deus é um mistério. Se Ele está provando o chefe de família, desobediente, pode ser que seja de Sua vontade que ajudemos a esposa, irmã temente, que ora dia e noite, rogando ao Senhor socorro para si e os filhinhos.

– ADVERTÊNCIA DOUTRINAL – REVELADA POR DEUS AO IRMÃO FRANCESCON – MAIS ESPIRITUALIDADE – MAIS VIRTUDES

Esta advertência consta do resumo de ensinamentos de 1967. Todavia, como há muitos diáconos novos no ministério, repetimo-la, pois vê-se cada dia que passa, a necessidade de esses servos, tanto novos como antigos no ministério, revestirem-se de maior espiritualidade. E que as virtudes de Deus operem em cada um.

ESTA É A ADVERTÊNCIA:

“O AMOR A SI PRÓPRIO É UM ÍDOLO QUE ESTÁ NO CORAÇÃO DO HOMEM E QUE O IMPEDE DE AMAR A DEUS E A SEU PRÓXIMO. TRANSGREDINDO, ASSIM, OS DOIS PRIMEIROS GRANDES MANDAMENTOS QUE ABRAÇAM TODA A VONTADE DO ETERNO DEUS. OS QUE RECEBEM DONS ESPIRITUAIS SÃO PROVADOS POR ESSAS DIFERENTES FRAQUEZAS DA NATUREZA HUMANA. PRIMEIRO: O ORGULHO CAUSADO PELO PRÓPIRO POVO, QUE PÕE OS OLHOS SOBRE A PESSOA QUE TEM O DOM. E NESTE CASO, DEUS A REPROVA, POIS ELE REJEITA O HOMEM DE CORAÇÃO ORGULHOSO E DE OLHOS ALTIVOS. – SEGUNDO: SÃO TAMBÉM PROVADOS POR INVEJA E CRITICADOS; PERSEGUIDOS SEM CAUSA, E ESTA PROVA VEM PARA VER SE A PESSOA BUSCA A SUA PRÓPRIA RAZÃO OU VINGA-SE, SENDO NESTE CASO VENCIDA, PORQUE NÃO ESPEROU A RAZÃO PROMETIDA PELO SEU SENHOR. A QUEM PERTENCE A VINGANÇA. ESCRITO ESTA: “O ENTENDIMENTO DO HOMEM RETÉM A SUA IRA; E SUA GLÓRIA É PASSAR SOBRE A TRANGRESSÃO” – (PROVÉRBIOS 19:11). (V. Tópico 10 da Assembléia de 1989)

Em outra carta daquele servo, a nós remetida em outubro de 1962, vinha esta admoestação, como um aviso:

“ESTAMOS ATRAVESSANDO DIAS DIFÍCEIS E O POVO TEM QUE VIGIAR. O INIMIGO TEM MUITAS ARMADILHAS, OFERECENDO VANTAGENS TERRENAS, COMO OFERECEU TAMBÉM AO SENHOR JESUS, QUE AS RECUSOU. VIGIEMOS PORTANTO, TENDO AS LÂMPADAS ACESAS COMO AS VIRGENS PRUDENTES.

Sabendo-se que o ministério da Piedade foi dado por Deus, cada diácono deve conservar-se em uma pura consciência, sem sofrer a interferência de quem quer que seja.

44 – IRMÃS PARA TRABALHAR NA OBRA DE PIEDADE

Ficou deliberado em reunião que, para colocar irmãs na obra de piedade, é necessário faze-lo com oração, de comum acordo, os diáconos com os anciães e cooperadores, em reunião ministerial. Após confirmação, é conveniente que as irmãs sejam orientadas a não testemunhar que Deus as colocou na obra da piedade. Nem devem ser apresentadas à irmandade.

45 – ORIENTAÇÃO ÀS IRMÃS PARA TRABALHAR NA OBRA DE PIEDADE QUANTO À SUA RESPONSABILIDADE

Após confirmada a colocação das irmãs para a obra de piedade, os diáconos as orientem quanto à maneira de trabalhar e quanto à responsabilidade que assumiram.

Doutrinemos, desde o início, essas irmãs: NÃO ABANDONEM O LAR E OS AFAZERES DOMÉSTICOS PARA FICAR ANDANDO DE UMA PARTE PARA OUTRA. ISSO TEM TRAZIDO PÉSSIMAS CONSEQUÊNCIAS, QUEIXAS E DESAGRADOS DE ESPOSOS E FILHOS BEM COMO, MURMURAÇÕES DE VIZINHOS E DA PRÓPRIA IRMANDADE. QUE NENHUMA IRMÃ DESMAZELE DE SEU LAR POR CAUSA DA OBRA PIA, POIS ISTO NÃO É DA VONTADE DE DEUS. ELE DÁ O TEMPO PARA TUDO. OUTRAS IRMÃS, SEM ORIENTAÇÃO, PENSAM QUE SUA FUNÇÃO É PROCURAR NECESSITADOS. E LOGO APRESENTAM MUITOS CANDIDATOS A SER AUXILIADOS. NÃO É ASSIM. QUEM APONTA OS VERDADEIRAMENTE NECESSITADOS É DEUS. OUTRAS IRMÃS, LOGO QUE COLOCADAS, COMEÇAM A SE ENVOLVER EM ASSUNTOS QUE DIZ RESPEITO A ANCIÃES E COOPERADORES. Há ainda outros pontos que Deus trará à frente dos diáconos para orientar às irmãs novas no cargo, evitando-se assim, que comecem a trabalhar de forma errada.

46 – ROUAS PARA A IRMANDADE NECESSITADA

Compete aos irmãos diáconos a distribuição de roupas para a irmandade necessitada. Tem havido casos de irmãos que, trazendo roupas para determinadas localidades, distribuem-nas, sem nada comunicar aos diáconos. Está errado, pois os diáconos é que sabem quais são os verdadeiramente necessitados. Devem fazer a entrega do que Deus preparou, aos diáconos, e estes, com a guia de Deus, farão a distribuição.

Os irmãos cooperadores de localidades onde houver muita irmandade necessitando de roupas, ao virem para São Paulo por ocasião das reuniões gerais de ensinamentos, não venham com o propósitode pedir roupas. Procurem ouvir bem os conselhos, em comunhão com Deus. Ao voltar para suas congregações, o Senhor vestirá a irmandade com as vestimentas celestiais. Vestirá o homem interno com os conselhos e as virtudes. As demais coisas Deus acresentará. Busquemos primeiro o reino dos céus e sua justiça.

47 – NUNCA FAZER COLETA COM LISTA ESTIPULANDO A IMPORTÂNCIA, NEM INSTITUIR O CHAMADO “LIVRO DE OURO”

Nunca se façam tais tipos de coleta. Deixemos o Senhor mover Seu povo segundo Sua vontade. Nunca façamos o chamado “livro de ouro” para contribuições de coletas, pois é um sistema em que o que dá deve marcar o seu nome e a quantia que está ofertando. Esses sistemas são contrários aos ensinamentos da palavra de Deus. Esta nos recomenda a fazer a oferta anonimamente. Para que ninguém venha a ser exaltado nem humilhado.

48 – COOPERANTE PARA A MANUTENÇÃO DE CASA DE ORAÇÃO

A cooperante ou contribuinte, existe em cada congregação para fazer face às despesas de manutenção, reforma e outros gastos, assim como para compras de material de limpeza. É formada por fundos provenientes da irmandade. O dinheiro não deve jamais ser empregado para empréstimos nem para fins particulares. Nem os servos devem ter domínio sobre esse dinheiro. Pertence ao Senhor para uso em sua obra. A cooperante veio desafogar o caixa geral, pois cada localidade, cada bairro providencia o necessário para sua manutenção, limpeza e reformas.

54 – É NECESSÁRIO O DIÁCONO PREZAR SEU MINISTÉRIO, DANDO-LHE O DEVIDO VALOR – NADA JUSTIFICA O DESMAZELO PELAS COISAS DE DEUS

…..

Há diáconos que viajam no atendimento da obra, sem que Deus os mande. Outros se afastam de sua localidade em viagens a serviço material. Faltam aos cultos. Não dão o devido atendimento a irmandade nem ao ministério. Tais servos são admoestados. Ponham os interesses de seu ministério em primeiro lugar. Deus cuidará de tudo o mais. Há diáconos que não se interessam em comparecer às reuniões da Piedade. Estes não tomam contacto com as necessidades da irmandade. Estão em grave falta diante de Deus. Deixar em abandono os necessitados, desinteressar-se pelos atendimentos neste santo ministério, é ser servo mau e negligente. Que todos os irmãos diáconos tomem por testemunha sua consciência. Que esta nunca os acuse. Nem Deus os condenará.

57 – TÓPICOS DE ASSUNTOS PARA REUNIÕES REGIONAIS

Ao se marcar uma reunião regional com diversos diáconos, é prudente que todos analisem previamente cada assunto, com liberdade de externar o que sentem. Para que se evitem contradições no momento de o assunto ser apresentado. Assim, todos os irmãos e irmãs que participarem da reunião constatarão que os diáconos são de um mesmo parecer e de um só sentimento, vivendo em paz. Havendo necessidade de só corrigir alguma coisa que tenha sido dita na reunião, convém que o próprio diácono que cometeu o engano o corrija. E não outro.

59 – ENDOSSOS, ASSINATURAS DE AVAL, FIANÇAS, EMPRÉSTIMOS

…..

Quanto a empréstimos, temos esta advertência: JAMAIS SE DEVE USAR DINHEIRO DA OBRA DE DEUS PARA FAZER EMPRÉSTIMOS. Nem a irmãos nossos e nem a estranhos à fé. Há sempre irmãos que, julgando ser possível obter empréstimos com diáconos, procuram-nos. Esclarece-se a tais irmãos que o dinheiro é de Deus, para aplicação em Sua obra, segundo Seu santo querer.

60 – AUXILIAR DE DIÁCONO

Esse cargo não existe. O que há é irmãos que ajudam ao diácono, no recebimento das coletas na porta, ou quando na ausência do diácono em viagens. Auxiliam também em outros setores e em outros serviços. Esses irmãos que ajudam não são colocados por oração. São irmãos de confiança que ajudam ao diácono. Mas auxiliar de diácono, como já se disse em ensinamentos anteriores, não existe. Há localidades onde Deus ainda não levantou diácono. Há irmãos que atendem à obra de piedade em conjunto com as irmãs. Porém não substituem os diáconos.

61 – LOCALIDADE ONDE A OBRA DE DEUS AINDA É DIMINUTA – NÃO COLOCAR IRMÃS DA PIDADE

Em muitos lugares, a obra ainda é diminuta. Há pouca irmandade. Não é necessário colocar irmãs para a obra de piedade. O próprio povo chamado a esta graça se auxilia entre si, cobrindo as necessidades que surgirem. Como faziam no princípio desta obra. Depois é que foram instituídos os diáconos.

= ASSEMBLÉIAS DE 1973, 1974 e 1975 – TÓPICOS NÃO DISPONÍVEIS AINDA

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 27 A 31 DE MARÇO DE 1976

01 – SERVIÇO DE CULTO

…..

Cultos prolongados. Há servos que não atendem os ensinamentos quanto aos horários, dizendo perante o povo que não se deixa guiar pelo relógio e nem pelos servos, mostrando falta de submissão e rebeldia..

02 – SANTA CEIAS

– Participação de enfermos de moléstias contagiosas, se não puderem não é imputada falta e se vierem, ficarão para o final.

– Ao orar pelo pão e cálice, saber distinguir “Pai” e “Filho”;

– Quando o servo vai a localidades, examinar se está tudo em ordem: pão, vinho, etc…

– Quando se ora para a Santa Ceia, já se ora para a Região toda.

03 – BATISMO

– Enfermo – Hino 195 – Rede em Tanques – Um tanque cada cidade ou região;

– Os irmãos que auxiliam no tanque não devem ajudar submergir, a não ser, enfermos.

04 – PALAVRA

– Cooperadores que passam à frente de Ancião levantando-se com a Palavra, ou se não, depois que o Ancião acabou a pregação, faz preleção querendo complementar a pregação e acaba desfazendo da pregação.

– Pregações em casamento e aniversário.

– Gestos e encenações – Palavras de “gíria” e “gracejos”.

06 – ORQUESTRA

– Regência em cultos. Não haverá mais regência nos cultos e em nenhum serviço Divino e nem no primeiro e último hino que a orquestra toca; apenas se houver um desencontro no andamento o encarregado porá em ordem no momento.

-Não haverá mais Ensaios gerais no Brás. ….

10 – COSTUMES MUNDANOS

– Tornou-se um costume entre as irmãs se saudarem com vários ósculos e não se dando as mãos;

– De acordo a Palavra de Deus não é permitido o uso de calças compridas pelas irmãs. Exortar com cuidado as pessoas novas também (Deuteronômio, 22:5).

11 – REUNIÕES MINISTERIAIS

……

– Não poderão viajar com servos quando em missão, irmãos sem testemunho, mesmo sendo parentes.

13 – ANÚNCIOS NOS CULTOS

– Para se uniformizar o andamento do serviço, a lista de batismos e outros anúncios devem ser feitos após o hino da testemunhança, a não ser os pedidos de oração, que somente deverão ser apresentados na primeira oração. Quando a Congregação estiver superlotada, convém enviar esses pedidos por meio de meninos.

20 – DEFUNTO NAS CONGREGAÇÕES – CREMAÇÃO E SERVIÇO FUNERAL

– O serviço de funeral fazemos quando a liberdade é concedida somente a nós, afim de não haver mistura com doutrinas extranhas a nossa fé;

– Não temos por costume pregar a Palavra em cemitérios.

21 – CASAMENTOS E DESQUITES

– A Palavra de Deus somente permite o repúdio em caso de infidelidade, portanto, fora disso não se admite nem o desquite; quem o fizer não será mais nosso irmão;

– Casamento por contrato é ilegal;

– O casamento de acordo a Palavra de Deus é o civil;

– Não temos cerimônia religiosa, apenas uma oração por qualquer servo ou irmão que esteja presente; tomando por costume do mundo que não se unem no dia do casamento civil, deixando para data posterior a festa e a oração.

24 – LANCHES E BANQUETES

– Já fomos ensinados não fazer banquetes em ocasiões de aberturas de congregações e ordenações e Santa Ceias. A fim de não acarretar despesas supérfluas nos ensaios regionais ou reunião de mocidade, cada qual deve levar o seu lanche.

26 – CÓPIAS DE ATAS

– Somente pode se extrair cópias de tópicos ou na íntegra, mediante deliberação do Ministério local, em reunião.

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 04 A 08 DE ABRIL DE 1977

= PARA ANCIÃES, DIÁCONOS E COOPERADORES – 1977

04 – SUBSTITUIÇÕES NOS SERVIÇOS DE CULTOS

Houve ensinamento na convenção de 1936: Quando o ancião, ou o cooperador, tiver que se ausentar, deixe à frente do povo, para presidir os cultos, um irmão de bom testemunho. Que o povo o honre como se fosse um dos servos. Havendo diácono ou cooperador de jovens e menores, compete a um destes substituir. Não há mandamento a respeito, porém é preferível que o cooperador de jovens e menores faça a substituição, se tiver o dom da Palavra.

05 – NÃO DEVE HAVER SOLICITUDE PARA LER A PALAVRA

Há cooperadores solícitos; Levantam-se para ler a Palavra, não respeitando, muitas vezes, a presença de anciães. Percorrem congregações com o intuito de exortar, nem sempre movidos pelo Senhor, impedindo a oportunidade dos cooperadores locais. O Senhor, às vezes, move um cooperador para pregar onde o quer enviar. Contudo, o cooperador deve estar bem acertado a respeito disso. Há os que escolhem dias da semana para pregar. Não é a guia de Deus. Temos que impedir que a carne tome lugar do Espírito Santo.

08 – SERVOS DEVEM PRESTAR TODA ASSISTÊNCIA ÀS CONSTRUÇÕES EM ANDAMENTO

É muito importante que os irmãos anciães, diáconos e cooperadores freqüentem as construções de casas de oração de sua região. Acompanhando o andamento dos serviços, prestando toda a assistência no que for necessário. Incentivando também a irmandade que presta mão de obra gratuita.

11 – IMPOSTO DE RENDA

O ato declaratório (normativo) CST nº 22/9/76, publicado no Diário Oficial da União de 9/11/76, determinou que todas as entidades beneficiárias de isenção do imposto de renda devem possuir o livro “Diário” e demais livros auxiliares necessários para a escrituração de suas receitas e despesas, para fins de imposto de renda, sendo admissível o regime de escrituração simplificada, com escrituração apenas do livro “caixa” para aquelas cuja receita bruta anual não exceda o valor de Crr$ 35.300,00 neste ano de 1977.

Essa determinação deve ser rigorosamente obedecida, pois trata-se de norma estabelecida pela Secretaria da Receita Federal e as administrações sujeitas à escrituração contábil do livro “Diáro” deverão providenciar que isso seja feito valendo-se de profissionais contadores com escirtórios contábeis desde que não seja possível obter entre a irmandade local um irmão ou irmã que seja, contabilista registrado para execução desse serviço e assinatura do balanço anual.

13 – ESTABELECER CAMPO NA OBRA DE DEUS

Não devemos estabelecer campo na obra de Deus. Ao atendermos localidades periodicamente, respeitemos os servos locais, sem exercer domínio sobre a obra.

Embora o Senhor envie um ou dois servos em determinada região, não há impedimento se outros se sentirem de ir. Convém, até, que a irmandade conheça os dons que Deus colocou nos servos. Contudo, é necessária prudência quanto a deliberações e decisões. Nada se deve decidir sem consultar os servos que atendem com mais freqüência.

14 – DEPARTAMENTO DE COMPRAS

Em localidades onde o movimento de construções for grande, ora-se a Deus e constitui-se um departamento de compras. Composto de irmãos capacitados, inclusive servos. As compras serão mediante concorrência e seleção de qualidade. A abertura de propostas para concorrência deve ser feita durante a reunião, perante os componentes desse departamento.

Compras de hinários, Bíblias e véus também estarão a cargo do mesmo departamento.

17 – SANTA CEIA PARA ENFERMOS IMPOSSIBILITADOS

Enfermos impossibilitados de se locomover, não é necessário sejam transportados à congregação para participar da santa ceia. Deus conhece os motivos que não lhes permitem comparecer. E não lhes imputará isso como falta, desde que estejam em paz e na obediência da Palavra.

18 – REUNIÕES GERAIS OU ASSEMBLÉIA GERAL

….Pensamos então em não mais denominar nossas reuniões de “Assembléias Gerais”, mas sim, reuniões gerais anuais de ensinamentos.

Ora, considerando-se que a palavra “assembléia” não é aplicada somente para área administrativa mas todas as reuniões gerais podem ter o título de “assembléias”, deliberou-se continuarmos a usar a palavra “ASSEMBLÉIA GERAL” para nossas reuniões anuais em São Paulo.

= MINISTÉRIO DE DIÁCONOS – ASSEMBLÉIA DE 1977

01 – NÃO DESVIRTUAR A FINALIDADE DOS FRUTOS RECEBIDOS

Diáconos e irmãos que recebem as coletas não podem desvirtuar a finalidade dos frutos recebidos. Tem que ser respeitado o que Deus coloca no coração da irmandade.

03 – PRESENÇA DOS DIÁCONOS NAS REUNIÕES MINISTERIAIS

É dever do diácono comparecer às reuniões ministeriais. Quem falta às reuniões não preza o seu ministério. Faltar por motivo de força maior é justificável. O que não é justificável é o desmazelo.

04 – EVITAR LIBERDADE ENTRE PESSOAS DE SEXO DIFERENTE

Na convenção de 1936 Deus nos deu esse ensinamento: Não deve existir a mínima liberdade entre pessoas de sexo diferente. Por não possuírem essa precaução, muitos tem caído da graça.

Temos que nos tratar com todo o respeito e santidade.

05 – REFORMA DE CASAS

Os frutos que entram para a obra de piedade não devem ser aplicados em reforma de casas de oração ou casas dos servos. O emprego desses frutos é para atender as necessidades dos pobres, pela guia de Deus.

= PARA A IRMANDADE EM GERAL – 1977

02 – CANDIDATAR-SE A CARGOS POLÍTICOS – PROPAGANDA E CAMPANHA ELEITORAL

Temos ensinamento antigo: Quem pertence ao ministério e se candidatar ou fazer campanha para candidato, perderá o ministério e a liberdade. Quem, de entre a irmandade, fizer o mesmo, ficará sem liberdade.

A Congregação não se envolve com política. Ensina-se a irmandade a cumprir com o dever de votar, segundo a própria consciência. Nunca votando em partido que negue a existência de Deus.

04 – AULA DE RELIGIÃO

Não é obrigatório o aluno assistir aulas de religião

Nossos filhos são doutrinados nas reuniões para jovens e menores e nas reuniões para a mocidade. Podem ser dispensados de assistir aulas de religião nos colégios.

05 – SOCIEDADE SECRETA E RELIGIÕES DIVERSAS

O povo de Deus não deve se envolver com sociedades secretas, nem frequentar religiões, credos e outras formas de doutrinas.

Surgiram ultimamente certas religiões estranhas, que vem iludindo a muitos, principalmente a mocidade. Estejamos todos advertidos contra a ação e influência desses emissários, portadores de doutrinas estranhas.

06 – MÚSICOS NÃO-BATIZADOS, MENORES OU MAIORES DE DOZE ANOS

É permitido aos menores de doze anos tocar nas reuniões de jovens e menores de suas comuns congregações, mesmo não sendo batizados.

Após ultrapassarem a idade de doze anos, podem continuar tocando. Não devem ser proibidos de tocar – nem pressionados para que se batizem. Devem ser deixados livres. O Senhor operará em seus corações no tempo certo.

07 – HOMEOPATIA – ESCLARECIMENTOS

Homeopatia é uma das classes em que se divide a medicina e o ramo farmacológico.

A homeopatia combate as moléstias por meio de doses pequenas e consecutivas de medicamentos.

Nada tem que ver com o espiritismo, umbanda ou feitiçaria.

Produtos homeopáticos compram-se em farmácia e não de curandeiro.

08 – GRUPOS DE VISITAS EM HOSPITAIS E RESIDÊNCIAS

Não convém continuar a fazer visitas em grupos.

Tem havido queixas, provenientes de hospitais e residências, a respeito de barulho e molestação dos enfermos.

Visitar enfermo é bíblico. Mas temos que cumprir essa determinação com ordem e de forma discreta. Indo poucas pessoas de cada vez, nas visitas.

09 – USO DE VÉU NAS CONGREGAÇÕES

Quando as irmãs entram, antes de se iniciar o culto ou depois de iniciado, procuram o lugar. Depois de o acharem é que colocam o véu sobre a cabeça, ficando com ele o tempo todo até que o culto termine. Então tiram-no e o guardam, embora tenham que permanecer por mais tempo dentro da congregação.

10 – SAUDAÇÃO AO ENTRAR NA CONGREGAÇÃO

A irmandade não deve mais cumprimentar em voz alta com a paz de Deus ao entrar na congregação. Este hábito desnecessário perturba os que estão orando, lendo a Bíblia ou em comunhão aguardando o início do culto. Além disso, força a irmandade a responder em conjunto o amém a cada instante, o que não produz boa impressão.

Que todos procurem entrar em silêncio. Saudando em voz baixa apenas os irmãos que sentam-se mais próximos.

Quanto ao ósculo, é mais adequado para a despedida. Contudo, não somos impedidos de saudar com o ósculo os vizinhos de banco.

O ósculo é um só e não dois ou três como faz o mundo. As irmãs procurem se por de acordo com este ensinamento. A saudação é com o aperto de mão e não com um toque no braco ou no ombro. Temos que conservar o que apreendemos dos que fora antes de nós no Senhor.

11 – PRESENTES DE FIM DE ANO

Presentes que as firmas costumam dar aos funcionários no fim de ano não são idolatria. São do mesmo tipo de abono. Podem ser aceitos.

Idolatria é festejar o natal, comemorar a páscoa e outras datas em homenagem a ídolos.

14 – TESTEMUNHAR À FRENTE DO POVO, MESMO SEM MICROFONE

……

Não fica bem testemunhar pelas costas da irmandade. Todos tem que voltar a cabeça para ver quem está testemunhando, e também não se ouve distintamente o que está sendo testemunhado.

Há exceções: Irmãos e irmãs impossibilitados de se locomover, testemunham do próprio lugar. Ou também quando os corredores estão repletos de irmandade, impedindo a passagem.

15 – SERVOS DE DEUS ORAREM EM CASAMENTOS OU NOIVADOS

Na obra de Deus não há cerimônia religiosa para casamentos.

Por conseguinte, não é função ministerial do ancião diácono ou cooperador orar em casamentos ou noivados.

Nessas ocasiões, qualquer irmão pode orar. Se houver servos presentes, um deles ora. Mas não por dever ministerial.

A função ministerial dos servos de Deus é atender à obra.

Não podem assumir compromissos de se achar presentes em datas determinadas, devido a festas de casamento ou noivado.

Os servos tem que estar sempre livres para atender assuntos da obra de Deus, quando e onde for necessário.

17 – ALICIAMENTO – ENTORPECENTES

……

Temos que alertar a juventude, nas reuniões para a mocidade, falando claramente a respeito desse grave assunto. Compete-nos orar muito a Deus para que guarde nossos filhos dessa terrível calamidade, e da maldade das criaturas sem escrúpulos, que não respeitam colégios nem lares, movidos pela ganância criminosa e pelo espírito do erro.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – ASSEMBLÉIA DE 1978

01 – HINOS

Já obtivemos os direitos autorais dos hinos que constam em nosso hinário.

03 – SANTA CEIAS

……

Também já fomos ensinados que não se deve limpar o cálice quando se está servindo a Santa Ceia.

05 – UNÇÃO A ENFERMOS ESTRANHOS À FÉ

Devemos estar bem acertados se Deus nos dá de ungi-los, pois há alguns que não entendem o que é a Unção e a recebem como se fosse benzimento.

Nas unções devemos evitar fazer orações prolongadas. Marcos 6, 13 e Tiago, 5, 14.

06 – FUNERAIS

Sendo nossos irmãos, devemos dizer. “O Senhor recolheu” e senão, mesmo sendo parentes de nossos irmãos, dizemos: “Faleceu”. Sempre se deve anunciar a hora de saída do funeral, dizendo para estar uma hora antes (quando irmãos) e esse serviço não deve ser longo para que depois ainda os que não viram, possam ver o corpo e sair na hora marcada. Há queixas de motorista dos carros fúnebres que eles tem outros enterros e não podem atrasar.

07 – PREGAÇÕES PROLONGADAS, PRELEÇÕES E COMENTÁRIOS

Continuam vindo queixas sobre esse assunto, tanto nos cultos, assim como nos ensaios, nas reuniões para a mocidade, reuniões da Piedade, etc.. Devemos evitar murmúrios por causa disso, repetindo-se muitas vezes o mesmo assunto ou tomar muitos pontos da Bíblia e o povo fica sem saber qual é o assunto principal.

08 – VAIDADE

Há murmuração contra irmãs que tem ministérios, pintam suas unhas dos pés e mãos ou esmaltam, tingem seus cabelos e usam calças compridas; além de irmãs há servos que também tingem seus cabelos. Serão todos exortados e se não obedecerem não terão condições de permanecer no ministério. O exemplo para o povo deve partir dos que tem ministério.

09 – SIGILO

O servo que não guardar sigilo do ministério não é sincero e Deus o esvaziará.

10 – DIÁCONOS

Os diáconos não devem interferir nos assuntos que competem ao ministério dos anciães querendo forçá-los a tomar certas deliberações.

11 – RENUNCIA

Nos pedidos de renúncia ao ministério ou encargos na Obra de Deus, deve constar qual o motivo, pois há casos que poderão ser considerados e se aconselhar e o servo ou a serva, sendo esclarecidos poderão permanecer no ministério.

12 – JULGAR CASOS

Deve-se agir com muita prudência, ouvindo sempre as duas partes em litígio; antes de se fazer um juízo precipitado. Quando alguma das partes for parente de algum servo, convém que este se conserve neutro, deixando que os outros servos julguem sem parcialidade e nem querendo agradar o servo, pois neste caso se estaria cometendo injustiça.

14 – DIVÓRCIO

Havendo agora a Lei do Divórcio neste País, quando se apresentarem amasiados que desejam ser batisados, deve se averiguar bem cada caso. Quanto a essa Lei não devemos fazer comentários; deve se permanecer no que disse o Senhor Jesus: “S. Mateus, 5: 31 e 32 e Cap. 19:9”.

15 – EVITAR FILHOS

Há irmãs que aconselham outras a evitarem filhos; estão fora da Palavra, devendo permanecer no que disse o Apóstolo São Paulo, em I Timóteo 2: 15.

19 – OFERTAS PARA VIAGENS

Se algum irmão oferecer passagem para algum servo ou outro irmão caso se sentir, em caráter particular pode aceitar, mas, se for em missão antes de aceitar, deve-se orar a e se Deus responde, aceite, caso contrário recusará a oferta.

20 – ORQUESTRAS

Todos os servos devem tratar com mais carinho os irmãos músicos, embora tenham alguma fraqueza, exortá-los com amor. Se for caso grave deve ser resolvido pelo Ministério.

21 – ORQUESTRAS SINFÔNICAS

Não é conveniente nossa irmandade participar desses conjuntos, pois terá que tocar em teatros, etc. e abandonará os cultos. Se algum irmão já pertencia a um desses conjuntos quando foi chamado, orará a Deus para que prepare outro serviço.

22 – FESTAS DE FORMATURAS

O povo de Deus não deve compartilhar nessas festas tomando parte na cerimônia religiosa e nem nos bailes, apenas na colação de grau, mesmo o que se forma.

23 – SAUDAÇÕES

Não se deve pedir permissão para levar saudações a outras Congregações – é nosso dever. O povo de Deus não deve usar a palavra ”TCHAU” nem ”OI”, mas devemos dizer: “A PAZ DE DEUS”. A saudação Cristã deve ser dada com todo respeito, com um só ósculo e não como faz o mundo dando dois ou três beijos e nem se dando as mãos, mas apenas uma bate no ombro da outra; essa não é uma saudação Cristã, mas de amizade carnal.

24 – VENDEDORES DE BILHETES E ÍDOLOS

Há irmãos que se dedicam a esses serviços. Devem ser aconselhados a procurar outro serviço e se são enfermos, então a Obra de Piedade deverá cuidar deles.

25 – CESTAS DE NATAL

Quando se comprar uma dessas cestas com cupom de sorteio, sabemos que esse sorteio vem por meio da loteria; não nos convém, mas se uma firma em que o irmão trabalha lhe quizer oferecer, faça como se sentir, pois não é preciso comer nesse dia.

29 – REPÓRTERES E OUTROS

Quando alguém dentre a irmandade é procurado por repórteres ou pessoas de outras igrejas, devem sempre ser encaminhadas para os irmãos Anciães que darão as informações sobre a Fé e Doutrina que seguimos.

33 – GERALDO MAIA

Este é médico e funcionário do Estado; seu nome todo é GERALDO MAIA DO CARMO LIMA. Deve se tomar cuidado com essa pessoa.

34 – JOÃO BERTACOLI

Esse é um falso profeta, conhecido por João Profeta. Já há anos está seduzido por esse espírito e ultimamente levam até vestidos e outras roupas de pessoas enfermas para ele orar.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS PARA A REUNIÃO DE DIÁCONOS – 1978

01 – CONFIRMAÇÃO DA IMPORTÂNCIA QUE DEUS REVELOU NA MESA

Os casos apresentados na mesa devem ser considerados primeiro se é da vontade de Deus, se Ele faz saber, em seguida ficaremos novamente em comunhão para sentir a revelação de Deus. Quando Deus não confirma, não deve haver insistência.

02 – SIGILO

É nosso dever guardar sigilo em todos os assuntos do ministério. Irmãs da Obra da Piedade devem ser exortadas neste sentido, particularmente quando o Senhor não confirma algum caso por elas apresentado.

04 – IMPORTÂNCIA PARA VIAGENS

Ao considerar a viagem do servo, não devemos colocar no envelope o estritamente necessário a sua locomoção mas pensar na distància da viagem e o lugar. (tem lugar extremamente pobre) não compete a nós como ele gastou o fruto.

07 – COLETAS

Todo o fruto recebido tem sua finalidade, porém ainda há irmãos que juntam o que recebem no mesmo bolso e depois dividem como querem; temos que respeitar o sentimento que Deus pôs no coração do povo.

08 – ANCIÃES – ADMINISTRAÇÃO

Não devemos nos envolver em assuntos de competência dos irmãos Anciães (doutrina e deliberações de ministério) assim como assuntos da Administração (compra de terrenos, construções, etc…). Devemos respeitar o ministério um do outro.

09 – ANDAR EM COMPANHIA DAS IRMÃS

Nós não devemos acompanhar as irmãs em sua missão da Obra da Piedade a não ser algum caso especial ou em revisão de casos, porém para guardar nosso testemunho levar nossa esposa não para interferir ou dar palpite mas para evitar falatóro.

10 – PARTICIPAR AS IRMÃS DA OBRA DA PIEDADE

Os casos verificados por nós devemos comunicar as irmãs de ministério, ter cuidado para não magoar as irmãs que colaboram conosco a fim de não provocar a desunião.

11 – NECESSIDADES DE IRMÃOS DE MINISTÉRIO

Não compete às irmãs apresentar estes casos, mas sim ao Diácono que deve acompanhar de perto a situação dos servos de sua região.

12 – ATENDIMENTO FORÇADO

Há irmãs que impõem o atendimento de determinado caso, colocando-se em choque alguma vez com o Ancião, Diácono ou Cooperador; não devemos ser coagidos, mas sim pela vontade de Deus, assim também há servos que procuram forçar o atendimento; devemos saber do testemunho se são convertidos ou se o Senhor não respondeu.

13 – APRESENTAÇÃO DE IRMÃS PARA A OBRA DE PIEDADE

Há servos que apresentam irmãs para a Obra de Piedade sem consultar o Diácono e tem causado alguns aborrecimentos. Há irmãs que vieram de seita e foram apresentadas e algumas não permanecem no ministério porque quizeram introduzir costumes setários e o Senhor não se agradou e desistiram; assim como tem irmãs que mudaram de cidade e foram colocadas, quando na região haviam irmãs aptas, entristecendo as irmãs locais e outras mudaram de cidade sem testemunho.

14 – GRUPO DE VISITAS

As irmãs em missão da Obra de Piedade não deverão ser acompanhadas de outras irmãs que não tenham ministério, pois há o grupo de visitas e algumas se intitulam da Obra de Piedade, porém, sem missão são livres.

15 – VAIDADE

As irmãs da Obra de Piedade devem ter compustura, evitar extravagâncias.

16 – IRMÃS COSTUREIRAS

Devem se conservar incógnitas, evitar de testemunhar que são da Obra de Piedade.

19 – OBRA DA PIEDADE

Não deve ser divulgada e nem propagada; sua finalidade é conhecida pela maioria dos necessitados. De vez em quando o Senhor dará aos servos exortar para olhar mais o Senhor

22 – QUANDO SE ERRA

É humilhante corrigir em público; há hora própria para isso.

24 – IRMÃS DA OBRA DE PIEDADE CONSELHEIRAS

Devemos ter sempre a palavra do amor e da salvação em nossas bocas para confortar aqueles que porventura estejam em aflição, tribulação ou tentação, porem sem se intrometer na parte íntima das famílias.

= SUPLEMENTO DE TÓPICOS DOS DIÁCONOS PARA REUNIÃO GERAL – 1978

– IRMÃS DA DE PIEDADE FIRMADAS NO MINISTÉRIO

Há servos quando Deus confirma irmãs para a Obra de Piedade apresenta-as em público, a irmandade. Pelo princípio não tem sido assim: outros servos apresentam irmãs no ministério para ser orado sem o Diácono ter conhecimento e também depois das irmãs serem confirmadas em vez de dar oportunidade do Diácono apresentá-las (não ao povo) mas na Reunião do Ministério da Obra de Piedade.

– ATENDIMENTO FORÇADO

Há servos quando determinada família que eles apresentam não é atendida (há casos que o testemunho não confere como cristão, uns não são convertidos e outros o Senhor não faz saber nada) procuram coagir o Diácono ao atendimento, quando este recusa por ter medo da Mão de Deus, o servo anuncia na Igreja coleta para um família (depois vem os comentários da irmandade, porque essa família não foi atendia pela obra de Piedade).?

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 09 A 13 DE ABRIL DE 1979

* 02 – ORAÇÃO

…. – A papeleta de pedidos de oração deve ser levada ao servo no púlpito antes do término do terceiro hino, por um dos porteiros ou alguém que ele determine. Mas não por uma irmã.

03 – BATISMOS

…. – Batismo quer dizer sepultamento. Batizar por imersão, a semelhança do sepultamento do Senhor Jesus, significa sepultar o velho homem com seus feitos pecaminosos, ressurgindo nova criatura com Cristo. Quando a pessoa não for totalmente sepultada nas águas deve-se tornar a sepultar, sem necessidade de repetir as palavras do batismo. Pedidos de batismo para enfermos devem ser atendidos com toda urgência (se possível no mesmo dia).

04 – PRESIDÊNCIA E PALAVRA

Nunca se deve forçar outro servo a presidir culto nem levantar com a Palavra. Dá-se a liberdade para presidir. O servo não aceitando, na hora da Palavra dá-se-lhe a liberdade, e aos demais servos presentes para pregar. O que levanta deve ser movido por Deus e não pela nossa insistência. Não se deve dar oportunidade de ler a Palavra a quem não tenha ministério, salvo se o que preside sinta de fazer isso. Para ler a palavra é preciso que a pessoa seja de bom testemunho.

05 – PREGAÇÕES PROLONGADAS

Constantemente ouvem-se reclamações por parte da irmandade de várias localidades sobre pregações muito longas e cultos que terminam muito além da hora, o que causa dificuldade para quem depende de condução e para as que tem esposo não crente. Os servos devem fazer tudo com entendimento, entendendo as dificuldades da irmandade. Palavras prolongadas, com muitos assuntos, dificultam a compreensão e retenção de tudo.

* 06 – GUARDAR DIAS – CULTOS DE VIGÍLIA

Somos ensinados a não guardar dias pois para o povo de Deus todos os dias são iguais. Guardamos Cristo Jesus em nosso coração. Dia das mães, dos pais, dos namorados e tantas outras alegorias são costumes mundanos que não devemos imitar. Não é, também, costume do povo de Deus, fazer culto de vigília na noite de passagem do ano. Isso é costume setário. A irmandade deve ser advertida a respeito.

07 – PRELEÇÕES

Apezar de termos sido ensinados a não fazer preleções (exortações) antes da oração, antes da testemunhança e antes da Palavra, há servos que as fazem, enfadando a irmandade e contribuindo para que, ao chegar a hora da Palavra, haja desinteresse naquilo que Deus envia, que é o principal para as nossas almas. Quem ainda agia dessa forma, obedeça o conselho e fale somente o indispensável.

09 – REUNIÕES PARA A MOCIDADE

…. – Quanto a última oração convém que o servo que preside ou outro servo presente, a faça. Ocasião em que apresentará ao Senhor os casais que se despediram, pedindo que os abençoe. Os jovens, ao se despedirem, evitem fazer com que coincida a ida ao microfone, do seu par, pois isto dá aspecto de apresentação humana. Na obra de Deus tudo deve ser com simplicidade.

* 10 – FUNERAIS

Convém que, quando o Senhor recolher alguém que more na casa da congregação, o corpo seja levado para um velório. Em hipótese alguma o corpo deve ser levado para dentro da congregação. Não se deve colocar a Bíblia dentro do caixão do defunto. A palavra de Deus é para os vivos. Nem cobrir com o véu a cabeça da irmã morta. A Palavra de Deus manda que a mulher se cubra com o véu quando ora ou profetiza. E isto se refere aos vivos. Para irmãos ou irmãs que perecem afogados ou em outro acidente, podemos fazer funeral. Desde que não se trate de suicídio.

* 13 – CASAMENTOS – NOIVADOS

Os servos de Deus não devem orar em noivados, pois muitos noivados depois são desfeitos. Que os próprios familiares orem. Quanto a orar em casamentos, os servos devem estar bem acertados da parte de Deus. Têm surgido muitas coisas desagradáveis nesse assunto de casamentos, que implicaram na tomada de medidas enérgicas por parte dos servos. Portanto os servos devem ter muita prudência no aceitarem convites para orar em casamento. Os jovens entre o povo de Deus convém casarem pelo regime da comunhão de bens, embora não damos mandamento. A união matrimonial é símbolo da união entre Cristo e a Igreja. E Ele deu sua vida pela Igreja, prometendo-lhe herança eterna nos céus. Para viúvos é aconselhável o regime de separação de bens devido a problemas que envolvem os filhos e heranças. A separação de leito é procedimento contrário à Palavra de Deus. Casais que estão nessa situação devem ser aconselhados. A separação é admissível, com consentimento mútuo, por algum tempo para que ambos se apliquem a oração, juntando-se depois, a fim de que satanáz não os venha a tentar.

* 14 – BÍBLIAS E HINÁRIOS

….- As Bíblias e hinários com defeito, serão substituídos. Não convém que nossos hinos sejam gravados para se negociar. Pela graça de Deus já foi substituída a melodia do hino 376.

* 15 – ORQUESTRAS E DIVERSOS

Foi deliberado não haver mais pregação da Palavra nos ensaios. ….

16 – CONSTRUÇÕES

…. – Quando a sala de oração for em propriedade particular e não comportar mais o número de irmandade, compete a esta contribuir para o aumento que se fizer necessário. Ficou deliberado instalarem-se pára-raios nas congregações. De acordo com a Palavra de Deus não devemos comprar coisa alguma que tenha pertencido a idolatria. Sejam materiais de construção, móveis, instrumentos, etc. (II Reis, 10: 26).

19 – COLETAS

Não é função das irmãs receber coletas, nem de irmãos novos na fé. Os irmãos porteiros devem ser apresentados à irmandade, ao serem colocados, a fim de que sejam conhecidos. As coletas devem ser contadas em recinto seguro, por mais de duas pessoas.

20 – TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

Foi decretada uma lei isentando as igrejas de serem usadas para pleitos eleitorais.

* 22 – VÉUS

Foi deliberado que a congregação não venda mais véus.

24 – TRATAMENTO ENTRE OS SERVOS

Durante os santos serviços e reuniões todos os servos devem se tratar de “IRMÃOS” e não de “você”, ainda que sejam parentes ou amigos. Somos todos irmãos em Cristo.

= REUNIÕES GERAIS DE ENSINAMENTOS PARA DIÁCONOS – PAUTA DE ASSUNTOS – 1979

01 – ORDENAÇÃO DE DIÁCONO

……..

b) É atribuída ao diácono a responsabilidade das coletas, sempre considerando e respeitando os irmãos que as recebem.

c) Os irmãos diáconos deverão estar presentes nas reuniões da mocidade em suas regiões.

d) As coletas da obra pia e viagens, serão administradas pelo irmão diácono, que movimentará conta bancária em nome da Congregação.

02 – REUNIÃO DE ATENDIMENTO

d) Onde não houver diácono presente, o irmão ancião ou cooperador deverá atender.

04 – COLETAS

c) …. – Não se deve colocar caixa para depósito no púlpito.

d) Irmãs não poderão receber coletas, como também não devem ser colocados irmãos com pouco tempo de crente.

05 – ROUPAS E DIVERSOS

a) Em algumas localidades as roupas e outros artigos chegam a se estragar nas prateleiras. Por má distribuição ou atendimento, como também, por falta de asseio e ordem.

b) Há também saldo de dinheiro em caixa ou em banco faltando com o atendimento para os necessitados.

06 – QUARTOS PARA COSTURA

a) Por determinação de lei, não é permitida a instalação de quartos para costura no terreno da congregação. As costuras para atendimento da obra pia deverão ser feitas nas residências das irmãs de boa vontade.

b) Costureiras, o Senhor Deus é quem preparará para serem usadas nesta parte.

07 – IRMÃS PARA TRABALHAR NA OBRA PIA

a) Ao ser apresentada uma irmã para trabalhar na obra pia, primeiramente os servos (ancião, diácono, cooperador), deverão estar em comum acordo. E observarem os seguintes quesitos: tempo de crente, idade, saúde, se é livre para poder atender a obra, se cuida bem de seu lar, que o esposo seja crente e se tem o dom de Deus, como se encontra em Tito, cap. 2, versos 3,4,5. Após preencher estes quesitos, os irmãos anciães, diáconos e cooperadores assinarão a ficha para submeter a apreciação dos diáconos mais antigos, que encaminharão para orar na reunião ministerial.

b) Os servos que apresentarem irmãs para trabalhar na obra pia, deverão fazer no máximo sigilo, para que as mesmas não venham a tomar conhecimentos, pois si Deus não confirmar, as mesmas não ficarão abatidas.

d)…. – ….uma reunião após o culto, onde essa irmã será orientada sobre as suas atribuições na missão recebida e seu esposo também ficará esclarecido das obrigações e deveres que a esposa assumiu para com o ministério.

11 – COMPRAS PARA ATENDIMENTOS CONFIRMADOS

É de competência das irmãs da piedade fazerem as compras necessárias ao atendimento e também suas entregas.

12 – LIBERDADE E IMPARCIALIDADE NO MINISTÉRIO

O diácono não deverá se prender por interesses ou amizades, ficando dominado ou sendo dominador, para, sem a interferência de anciães, cooperadores, administradores, etc., cumprir com a guia de Deus seu ministério com imparcialidade.

13 – CATÁSTROFES – CALAMIDADES

a) Em casos de catástrofes ou calamidades, a irmandade poderá ocupar as congregações.

b) As autoridades poderão requisitar as dependências da congregação para abrigar o povo.

…….

14 – CONFUSÃO NAS VISITAS

De diversas localidades chegaram reclamações de irmãs da obra da piedade, que se juntam com as irmãs da visita ou de profecias, ou expulsando, transtornando os ensinamentos e colocando os servos de Deus em má situação. As irmãs da obra pia deverão permanecer nos ensinamentos que receberam quando foram colocadas no ministério.

16 – AUXILIAR NOS BATISMOS

Onde houver necessidade de auxiliar no batismo, não é exclusividade do diácono entrar junto n’água, mas deve-se respeitar os irmãos que já vinham fazendo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s