Década de 1960

TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 28 A 31 DE MARÇO E 1° DE ABRIL DE 1961

PREGAÇÕES:

1ª Palavra: Atos, 20, 17 (Por um dos servos presentes):

…Nas Sagradas Escrituras vem dito, que quem não é mudo fala, porém existem palavras que em vez de edificar derrubam, não trazendo a edificação da igreja porém a sua destruição.

….A palavra quando vem a igreja liberta o tentado pelo demônio. A Palavra de Deus é escora para aqueles que necessitam de amparo, de uma libertação e nada acontecerá àquele que se encontra amparado por Ela.

…Temos que ter a certeza que é o Espírito Santo que nos move fazendo saber a seus servos que a Palavra de Cristo enviada muitas vezes, o Senhor conhecendo a situação de uma alma que está sedenta dela, vem então para liberta-la de tudo. Essa alma encontra assim, graça para se ver livre da tentação; encontrando graça na Palavra que veio na Congregação. Porém, se vae a Congregação e em vez da Palavra da graça encontra a Palavra do bastão, é derrubado e aniquilado… – …Examinemo-nos para ver si a palavra que está em nossa boca traz consolação, dá força ao cansado, refrigera a alma do atribulado e do aflito. Se o servo de Deus se faz guiar da parte de Deus o Senhor nunca deixa a igreja sem a Palavra; sem a Palavra de Deus a vida nossa acaba, pois Cristo sendo a nossa Rocha, dela mana a água viva que nunca Deus deixou de mandar a Sua igreja…. – Mas se assim o fizermos, veremos que nunca a igreja minguará, … – … A Palavra que bate no povo não é a palavra da graça e quem assim faz não está servindo a Deus, pois essa pancada derruba, pois não vem da parte de Deus. … – …A palavra que não vem da parte de Deus não consola, não conforta, não traz alegaria, pois o povo de Deus vem a casa de Deus para ficar cheio das coisas de Deus. Esperamos que os servos de Deus, sempre tenham a graça de poder edificar as almas que Deus por misericórdia traz a sua igreja para serem pastoreadas.

2ª Palavra: I Timóteo, cap. V, verso l (Pregada por outro servo presente):

….Muitas vezes vemos dentro de uma casa onde existe um filho ou uma filha mais dedicada, mais amorosa, tomando um lugar superior, um lugar de pae ou de mãe. Não se vae asperamente sobre um irmão mais velho quando o tivermos que repreender; Timóteo era moço, todavia fazia as vezes de pae, mãe e de tudo para a todos servir. Deus nos pôz à frente de uma família, essa família não é nossa, porém de Deus, assim sendo, temos sempre que ser de acordo com o que se encontra no filho de Deus. … – … Temos que ter cuidado não indo asperamente sobre o que faltou; não abusando, porém sendo de exemplo, pois o que se tem de mais estima depois da graça de nosso Senhor Jesus cristo é a nossa família pelo laço de sangue….. – … O Senhor permite que se erre para podermos conhecer o erro; o bem e o mal para nos desviarmos deste último. Enfim caros irmãos todos nós devemos ser conhecedores de nossa profissão espiritual.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1961:

– BATISMOS E SANTAS CEIAS

Como Deus vae preparando novos servos, irmãos anciães, nem todos receberam o primitivo ensinamento este é para os novos, assim como para aos velhos. Os servos de Deus são os anjos da Igreja e que o Senhor já isso tem confirmado pelo primeiro ancião que ordenou aqui em São Paulo. O povo de Deus tem um crédito ilimitado nos servos, acatando-os como anjos de Deus, assim nunca se pode perder esta moral espiritual. Que dirá o povo em caso de uma transferência de data de batismo ou santa ceia?….- ….Essa parte é muito importante para que tenhamos o crédito não só com os de fora assim como os de dentro; se se sae fora perde-se um tanto por cento do crédito. É necessário trabalhar 100% para que ninguém possa nos condenar; … – …. A nossa palavra é uma palavra de respeito, se não se cumprir é uma falsidade. Em todos os pontos de vista a palavra do servo deve ser boa; devemos ser então sempre por cabeça dando testemunho em toda nossa palavra com firmeza…..

– DOUTRINA DO BATISMO

Quando se vae batisar, sendo o servo de Deus um mandado do Senhor, para cumprir o mandamento deve usar as palavras “Em Nome do Senhor Jesus te batiso Em Nome do Pae, do Filho e do Espírito Santo” tudo conforme se encontra em S. Mateus XXVIII, vs. 19 e Atos II, vs. 38. Pois o sacramento que está cumprindo é um mandamento do Senhor Jesus. Sempre temos considerado que todos sejam batisados segundo o Senhor nos tem feito claro desde o princípio desta Obra. O Senhor nos guiou em que só sejam considerados nossos irmãos aqueles que se batisam entre nós. Na obra de Deus não temos parentes nem amigos, todos somos iguaes e quem não está na doutrina não é considerado como irmão nem tem liberdade nos cultos.

Sempre se recomenda que não se batisem quem vive amasiado, porém só casado pela lei, já que essa é uma instituição de Deus. Um amasiado estando selado com o Espírito Santo, com evidência de linguagem tem o ancião liberdade em batisa-lo. Tem vindo as vezes criaturas já idosas amasiadas que tem constituído família possuindo filhos, genros, noras, netos e as vezes bisnetos, nesse caso tem sido batisados.

Quem quer se salvar deve orar a Deus que tem todo poder; quem quer salvar sua alma sente a responsabilidade, clama a Deus que tudo pode preparar; os casos as vezes dependem da lei e de bem a conhecer. Um irmão ancião é sempre livre de consciência para batisar um amasiado caso o Senhor aprove, ainda mais si naquela criatura o Senhor mostra a Sua Obra. Existem muitos casos preparados por Deus, haja visto o da meretriz em Jericó que foi perdoada junto aos seus de família; assim o que sempre vale é a consciência diante de Deus.

– AINDA DOUTRINA

O amasiado é uma parte finíssima na Obra de Deus, não se tem tido uma liberdade em poder atende-los cada semana, pois tantos são os casos apresentados. O plano de Deus só Ele é quem os conhece; onde há o Espírito Santo há liberdade. As vezes um casal amasiado vivendo no erro, ao receberem o Espírito Santo é iluminado e sente o que deve fazer pois entrou no conhecimento da doutrina. É uma parte delicada essa questão; e uma parte delicada é aquela dos que ainda não chegaram a altura madura para poder dar o necessário esclarecimento, convindo nesse caso deixar parado até que Deus venha com sua luz esclarecer o que ainda na lhe foi dado compreender.

– SANTA CEIA

No cumprimento desse sacramento, o pão deve vir inteiro para a mesa; para ser usado não deve ser cortado com faca. Não deve ser pão doce, porém pão comum; a bandeja pode ser apropriada, assim como pode ser um simples prato. Deve ser usado um cálice e não copo e nem cálice pequenino de aperitivo; os irmãos de fora podem pedir um modelo ou comprar o cálice aqui em São Paulo…. – …O vinho deve ser tinto, feito de uva “o fruto da vide, como diz o Evangelho”. Não há bebida alguma ou qualquer refrigerante ou refresco que possa substituir o vinho na Santa Ceia; se não há vinho é impossível realisa-la. ….. – Lembremo-nos que o povo de Deus muitas vezes não tendo cultura é sábio e nota tudo o que está fora da palavra. A santa ceia deve ser feita a tarde ou a noite e nunca pela manhã.

– CARTA DO SERVO DE DEUS IRMÃO LOUIS FRANCESCON

Por ocasião destas reuniões gerais foi lida que bastante confortou a quanto ouviram a seguinte carta desse servo de Deus:

Fevereiro 20, 1961.

“L. Francescon aos meus caros irmãos anciães, cooperadores, diáconos e administradores presentes a reunião anual que tendes em 29 de Março a 1º de Abril próximo na cidade de São Paulo. A Paz de Deus seja multiplicada. Com a ajuda de Deus vos posso enviar também neste ano estas poucas linhas, no geral, baseadas nas Sagradas Escrituras, afim de que vosso progresso em tudo cresça num templo santo ao Senhor…….”

– INSTRUMENTOS MUSICAIS

Existem instrumentos para músicas sacras e instrumentos para músicas profanas. Esses últimos são para moverem com a carne porém os de músicas sacras para moverem com o espírito. Na Obra de Deus nossa carne está sacrificada com Cristo e vivemos em espírito; o som dos últimos instrumentos em referência, preenchem o efeito das palavras do espírito. Assim não se adotam em nossos conjuntos musicais, violões, banjos, bumbos, cavaquinhos, bandolins, e alguns outros instrumentos desse gênero. Todavia não e proibido tocar esses instrumentos em casa; não se pode dar mandamento nessa parte, proibindo-se somente nas casas de orações. Existem irmãs que estudam harmônicas, porém convém deixar claro a todos que nas congregações só é permitido a irmãs tocarem órgãos. Outros instrumentos podem estudar e são livres, porém só para tocarem em suas casas. Sabe-se que uma irmã diz haver tido uma revelação para tocar harmônica nos cultos, está errado, pois os irmãos anciães se sentiram há tantos anos em os tirar. Estará ela então certa e os irmãos anciães errados?

O Senhor tem esclarecido aos irmãos anciães de as excluírem dos conjuntos musicais, a não ser no órgão, ficando assim impedida toda e qualquer oportunidade para o inimigo causar dano à Obra de Deus.

– PREGADORES EXTRANHOS A NOSSA FÉ

Em hipótese alguma jamais devemos convidar ou permitir que pregadores de outras denominações ou de seitas se levantem perante o povo de Deus para pregarem a Palavra em nossas casas de orações. Se porventura se levantassem e lançassem entre a irmandade uma doutrina extranha, o único responsável seria o servo de Deus que, deszmazeladamente cedeu o seu lugar a quem não devia. Os servos de Deus são suficientes para explicar as coisas de Deus, não obstante algumas vezes a astúcia do adversário. Veio a nosso conhecimento que Americanos de seitas dizem que precisam estudar um meio de se infiltrar na Obra de Deus no Brasil; todavia as suas manobras são conhecidas e que já ocorreu quando um, tentou assim fazer na casa de oração do Brás, quando o Senhor guiou um seu servo para impedi-lo. Isso é importante para os irmãos anciães que tem grande responsabilidade pelo rebanho e pela Obra de Deus. Não se pode dar entrada em nosso meio de pessoas extranhas a fé, quer de seitas, quer políticos. Nessa última parte em especial o povo de Deus é livre, no entretanto nunca devem apoiar àqueles que negam a existência de Deus. Não se respeita a qualidade da pessoa, não se dando liberdade a quem quer que seja extranho a fé e a doutrina da Congregação. Nada temamos pois Aquele que está conosco é superior a todos e o Senhor nos tem posto como atalaias. Ele nos guarda dos destruidores, especialmente daqueles que arruinaram a Obra de Deus na Itália, na Argentina e na América do Norte. Esses grupos de Americanos, afirmam que não saíram dos fundamentos no entretanto sabe-se que, em tudo se afastaram do que o Senhor deu por revelação a seu servo ensinar. Vemos como é diferente o nosso espírito e o que os domina: nós oramos constantemente para que Deus os abençoe e os ilumine e em contra-posição eles estudam meios afim de destruírem a Obra de Deus.

– AJUDANTES PARA TRABALHAR NA OBRA DE DEUS

Os servos de Deus não necessitam de ajudantes ou auxiliares não colocados por Deus; existem casos de servos que inadvertidamente solicitaram a irmãos que se exoneraram de seus cargos de cooperadores, ou procuradores em outras localidades, para ficarem colaborando com eles, para ajudarem a Obra de Deus a progredir. Mais tarde muitos se arrependeram, pois tais irmãos não tendo sido colocados por Deus, porém pelo homem, vieram a dar muito trabalho. Houve até um caso em que por fim o Senhor teve que recolher deste mundo a um desses perturbadores, cumprindo-se assim o que vem dito na Palavra de Deus: “Maldito o homem que confia em outro homem”

– QUADRO REVELAÇÃO DO IRMÃO LOUIS FRANCESCON

O Senhor preparando não há mal algum em se ter no saguão de uma casa de oração a inscrição em um quadro da revelação que o Senhor deu ao irmão ancião Louis Francescon e que se encontra no preâmbulo do Estatuto da Congregação. No entretanto convém que seja uma coisa em ordem e em proporção em tamanho, com o local onde venha a ser colocado. Não há mal algum nisto como não há lei sobre o caso.

– QUADRO EXTERNO COM HORÁRIO DOS CULTOS

Pode ser usado nas grandes cidades com especialidade, uma pedra geralmente de mármore ou granito que será colocada em um canteiro na parte externa da casa de oração quando própria, onde poderá ser gravado horários dos dias de cultos.

– REUNIÃO PARA COOPERADORES E AUXILIARES DOS CULTOS DE JOVENS E MENORES

Fica abolida essa reunião que era costume ser feita no último sábado de janeiro de cada não. Não deram bons resultados, trazendo até determinada confusão entre irmãos cooperadores de cultos de adultos com os de menores. Esses últimos vinham a essas reuniões, faziam perguntas e as vezes não interpretando as respostas que Deus dava oportunidade em serem dadas, entravam em choque com os cooperadores e mesmo anciães da comum congregação de sua localidade; essas reuniões assim, em vez de proveito, traziam transtornos causando as vezes sérios aborrecimentos. De agora em diante quando os cooperadores das reuniões de Jovens e Menores desejarem saber alguma cousa, que busquem o ancião local ou aqueles que atendem a sua cidade. Esses anciães devem se esforçar para assistir uma ou outra vez a reunião de Jovens e Menores, tendo oportunidade então em ver si tudo corre em ordem.

– CULTOS DE JOVENS E MENORES

É importante que se doutrinem os filhos enquanto estão sob o domínio dos paes. A semente da palavra de Deus semeada em seus corações na infância frutificará quando forem adultos; e assim, se alguém se desviar indo para as coisas mundanas as palavras que então ouviram na infância estarão tinindo em seus ouvidos chamando-os a razão para voltarem ao caminho da Verdade. Os anciães devem prestar toda a colaboração a esse trabalho da Obra de Deus, dando o exemplo ao enviar seus filhos às reuniões. Alguns irmãos relegam esse serviço a um plano inferior, porem si se ensina a doutrina e a Palavra da Verdade aos pecadores e a todos os homens, como não as ensinar aos nossos próprios filhos? Nossos filhos bem doutrinados e firmes nas coisas de Deus não são úteis somente em seus lares e na Igreja, são de utilidade até para a Nação e para a sociedade. Nossos filhos são guiados a fugir do erro e da corrupção do presente século.

– OBRAS DA PIEDADE

Esta parte não é mandamento nem lei que devemos estabelecer; sempre houve na Obra de Deus, a piedade atendida por diáconos e algumas irmãs cada qual em sua comum congregação. Hoje nesta Capital, a Obra cresceu grandemente e Deus permitiu que há alguns anos passados se iniciasse em comum o ser atendido a piedade, instituindo um grupo formado por diáconos e irmãs de quasi todas as congregações dos arredores de São Paulo. Reúnam-se aqui no Brás por ser uma congregação central, …. – ….Ocasionalmente surgem casos de necessidade que se nota a mão de Deus estar sobre eles, castigando-os por desobediência; esses casos costumam então deixar para o fim das reuniões quando novamente oram especialmente para eles. Se o Senhor nada responde, ficam em paz, no entretanto si responde, atendem prontamente sem colocar objeções. Os irmãos e as irmãs põem em prática o que aconselhou o servo de Deus irmão Louis Francescon: Deus castiga mas não abandona, faz a ferida porem a enfaixa…, Todavia se fazendo guiar pelo Espírito Santo que nos é enviado para nos guiar em toda a Verdade. É solicitado aos irmãos cooperadores a incentivar a irmandade a colaborar nessa parte e também para viagens de servos de Deus.

– FREQUENTAR SEITAS

Tem existido no meio da irmandade irmãos que não se satisfazendo, aliás, acham talvez, que o que o Senhor envia pelo Espírito Santo nas congregações não é suficiente para saciar suas almas buscando assim ser alimentados pela sabedoria humana, freqüentando seitas onde predomina o saber e a ambição do homem. Até no espiritismo tem ido irmãos nossos; aquele que iluminado pelo Espírito Santo deve saber discernir a moeda falsa da verdadeira. Sabemos por quem somos guiados e quem opera em nosso meio; todavia, não é possível ser admitido que nossos irmãos freqüentando seitas e denominações extranhas a nossa fé possam ser considerados nascidos da água e do espírito como um fiel que tem aceito o Senhor nosso Jesus Cristo como o seu único e Pessoal Salvador. Assim devem taes irmãos serem exortados com veemência e, si porventura não renunciarem a taes habitos, não serão mais considerados como irmãos e impedidos assim da comunhão da Igreja. Existem irmãos que tem em si o desejo de ser pregadores, não possuindo para tal o Dom de Deus, em casos taes alguns tem ido para seitas onde lhe dão a liberdade desejada. Devemos nos guardar desses espíritos de ambição e inveja pois mais tarde ou mais cedo o Senhor esclarece o que se encontra no coração daquela pessoa.

– CIRCULARES FEITAS FORA DA CAPITAL

A não ser no Estado do Paraná onde a Obra de Deus vem tendo grande surto e os irmãos anciães deliberam tudo em conselho, não pode ser admissível que se faça circular espelhando-se no meio da irmandade, especialmente pedindo auxílio para qualquer caso particular da comum congregação, o que já tem ocorrido. Isso está completamente fora dos ensinamentos que até então temos recebido. Qualquer circular que se fizer convém passar pelos irmãos anciãos em São Paulo que, com mais experiência deliberarão o caso e se for necessário também a assinarão.

– NOVOS ESTATUTOS

Na reunião do ano passado falou-se que este ano seriam submetidos a apreciação da irmandade os novos estatutos; todavia, devido a constantes viagens de alguns irmãos anciães ainda não houve tempo. O assunto foi levado ao servo de Deus irmão ancião Louis Francescon, por alguns irmãos anciães que ali estiveram em missão em Chicago, juntos em oração foram concluídas as alterações necessárias, guiados e orientados pelo Senhor.

– MUDANÇA DE ANCIÃES E COOPERADORES

Geralmente a mudança de um irmão ancião para uma localidade onde já existe a Obra e um cooperador a frente dela, ocasiona perturbação e muitas vezes provoca até divisão e partidos. Se existe um cooperador é natural que ele fique enciumado com a vinda e mudança de um ancião para a sua cidade. Quem recebeu a graça de Deus sendo instável nas coisas desta vida também o será nas coisas espirituais. Deixar o lugar onde o Senhor o colocou faz parar a prosperidade do ancião se bem que ele não tenha fronteiras para atender a Obra de Deus. Entretanto existem casos que são necessários serem meditados; não se pode imputar como desobediência a mudança de um irmão de uma localidade onde não possa mais subsistir materialmente. Deus vê a necessidade e sabe que não é por inconstância ou falta de zelo pela Obra mas por motivo de força maior; entre nós existem casos de irmãos que foram forçados a assim agir e o Senhor continuou abençoa-los na nova localidade para onde se destinaram. No entretanto existem casos de irmãos que receberam forças para resistir a miséria e a fome e o Senhor ao fim lhes deu a vitória e libertação. Que cada qual se faça guiar da parte de Deus procurando obedece-lo; temos visto famílias que se moveram sem ordem da parte do Senhor e sofreram duros castigos tendo que voltar para o lugar de onde tinham saído.

– COMPARECIMENTO A ESTAS REUNIÕES

Não se devem trazer irmãos que não estão investidos de ministério; tanto se tem falado sobre esse assunto e os irmãos já deveriam ter atendido. Se ouvissem os conselhos evitar-se-iam aborrecimentos. Nesta reunião se tem visto que até esposas acompanharam seus maridos servos de Deus, contrariando os ensinamentos já dados.

– LOTERIAS, RIFAS E CESTAS DE NATAL

É determinação da Palavra de Deus que um resgatado no sangue do concerto eterno não se envolva em jogos de qualquer espécie, muito menos sendo tentado a comprar loterias, rifas, cesta de natal ou outra qualquer espécie de jogos. Ocorreu em uma cidade do interior do Estado de São Paulo que um irmão foi sorteado na loteria com determinada importância, imediatamente a irmandade ficou alarmada. Como o irmão pertencia ao conjunto musical, foi deliberado então que fosse afastado, e tirado toda a liberdade nos cultos. Quem joga, compra bilhetes de loteria ou rifa perde a liberdade não estando mais em comunhão na igreja; todavia, poderá continuar a se congregar até que Deus mostre novamente os frutos desta alma. Com referência a cesta de natal é a mesma coisa pois a pessoa compra comestíveis que vem nessas cestas que valem por suposição dois mil cruzeiros e pagam o dobro. A intenção está no prêmio que corre pela loteria. Todos também são exortados a se abster da idolatria não só aquele que se refere a ídolos e imagens assim como em qualquer aspecto que se apresentar. Os servos de Deus devem advertir o povo, os anciães e cooperadores são atalaias e só Deus é o Senhor.

– MISSÕES NA OBRA DE DEUS

Foi dada oportunidade ao irmão ancião Miguel Spina em relatar a viagem em missão que preparado por Deus fez a Chicago, América do Norte, Portugal e Espanha, no primeiro país, juntamente com os irmãos anciães Rizzieri Lavander e Vitório Angare. Acompanhou-o também o irmão Francisco Gonzáles Garcia, que foi até Portugal e Espanha. Nesse país o servo de Deus esteve preso juntamente com os irmãos que o acompanharam por haver realisado um batismo determinado por Deus; todavia tudo foi para testemunho da Obra de Deus. Trouxeram todos os servos de Deus saudações de toda a irmandade onde o Senhor preparou visitassem, assim como os servos de Deus, irmão ancião Louis Francescon, a quantos hoje se encontram aqui reunidos e que também fossem portadores a irmandade das respectivas localidades. Na viagem a Espanha foram acompanhados por dois irmãos de Portugal, sendo um o irmão ancião José Batista do Nascimento. Levantaram-se também em testemunho os irmãos: ancião Samuel Grecco e diácono Luciano Leo, da igreja de Chicago, os quaes expressaram sua alegria por se acharem em visita a Obra de Deus aqui no Brasil, aproveitando a oportunidade para tomarem parte nesta reunião. Transmitiram saudações de toda a irmandade daquela cidade, assim como também do irmão ancião Louis Francescon. Foi ouvido a testemunhança do irmão ancião José Batista do Nascimento, do Porto, Portugal que o Senhor preparou se encontrasse presente que se confessa maravilhado com tudo o que Deus está lhe dando oportunidade em contemplar nesta visita a Sua Obra no Brasil. Trouxe as saudações dos servos de Deus de Portugal, de toda a irmandade e especialmente do irmão ancião Domingos de Sá. Dizendo mais que a Obra de Deus em Portugal demorou em florescer porém hoje os seus olhos choram de alegria ao ver as casas de oração repletas. O Senhor tem tudo aplainado pela Sua Palavra vem sendo recebida a vitamina para o espírito não só em Portugal assim como nas províncias ultramarinas e agora também na Espanha. Ainda o Senhor preparou que se encontrasse em nosso meio o irmão Manoel Lourenço Tubia da Espanha, para cujos familiares foi feito o batismo nessa nação.

DIRETORIA ADMINISTRATIVA – Terminaram estas reuniões de ensinamentos com a assembléia geral realisada no dia 1º de abril quando foi reeleita para o lustro 1961/1966, a seguinte administração:

Presidente: Antonio Marques

Secretario Geral: Reynaldo Ribeiro

Vice-Secretário: Gregório Ros Soto Filho

Tesourreiro Geral: Paschoalino Danielo

Vice-Tesoureiro: José Baltazar Affonso

Conselho Fiscal para o ano de 1961: Antono Di Pompo

Rufino Lopes da Silva

Miguel D’Angelo

Suplentes: Arnaldo Herbet; Jeremias Guido e Ângelo Lavander

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 17 A 20 DE ABRIL DE 1962

= PREGAÇÃO:

– Palavra: S. Tiago, cap. 1, v. 16/18 (Por um dos servos presentes):

….Ai de nós, si Deus mudasse o que está escrito; passará o céu e a terra, mas a Sua Palavra não passará. Muitos outros exemplos, Deus nos deixou mostrando que a Igreja precisa ser alimentada e nutrida com o que vem do Alto. Os dons perfeitos que Deus derramou é que edificam a Igreja. Esses dons não são dados para que sejamos engrandecidos, glorificados e honrados, porém para edificar a Igreja, até que seus componentes cheguem à medida de varão perfeito.

….Na igreja às vezes existem dons que não vem do Alto; muitos falam linguagem mas sua vida é um horror. Se falassem pelo Espírito Santo, Este dirigiria suas vidas pelo caminho do bem; pode existir também o caso de algum pregador que prega bonito, mas sua vida é de pecado. Acaso Cristo é ministro do pecado? Permite Ele que a pessoa permaneça no pecado e ensine a Igreja? Qualquer um está sujeito ao erro, mas o que não é admissível é permanecer no erro. Examina a tua vida, se tu pregas bem, mas se tua vida é vida de horror, olha que Cristo não está contigo. Todo dom perfeito vem do Alto; como pode o que sai de uma boca aperfeiçoar os outros e não a ti próprio? …..

….Quem é guiado por Deus cumpre o seu ministério e nada lhe acontece mas, o que se aventura sozinho, fica embaraçado, vem sobre ele as trevas e com elas também o demônio. Ele é o príncípe das trevas, rei da confusão. Se tu pregas a Palavra sem ser pelo Esírito Santo, olha que vem as trevas sobre ti;…..

….Quem permanece no erro não ama sua alma e nem a Obra de Deus; lembra-te que todo dom perfeito vem do Alto não vem da tua escrivaninha, nem da tua biblioteca, nem dos teus livros. …..

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1962:

– ASSUNTOS EM PAUTA PARA ENSINAMENTOS

Antes de serem feitas as explanações sobre os assuntos em pauta o servo de Deus que presidia o serviço lembrou a todos que, Deus permite que erremos para então vir o ensinamento necessário. Porisso estamos sujeitos a errar, errar é humano, o que não podemos é permanecer no erro. Se tropeçamos em algum ponto, procuremos para o futuro não cair nesse mesmo ponto, antes devemos conservar essa experiência. Sendo a Palavra, luz aos nossos olhos e lâmpada aos nosso pés, só cae quem quer. Pela “Mensagem”, Deus nos diz que quer provar o Seu povo, pois a viagem é longa; é como um exército onde os soldados são adestrados. É por essa razão que o Senhor tem preparado estas reuniões, para termos os ensinamentos, vermo-nos face a face e conservarmo-nos unidos na fé que uma vez foi dada ao santos.

– SANTA CEIA

Foi apresentado o caso de um irmão cooperador do Ofício ministerial que recusou perdoar a uma irmã nas proximidades da santa ceia, só porque conhecia a vida dessa irmã e julgava que ela não merecia ser perdoada e participar do corpo e do cálice do Senhor. Chegando o caso ao conhecimento dos servos de Deus, aquele cooperador após muitos conselhos entendeu e chegou a uma compreensão e perdoou a nossa irmã. Não devemos nos carregar dos pecados alheios, antes como nos ensinou o Senhor Jesus, devemos perdoar a quem faltou contra nós até setenta vezes sete ao dia. Se a pessoa se arrepende com sinceridade, Deus a abençoa; porém si é com fingimento ela terá que prestar contas a Deus. De nossa parte, cumpre-nos perdoar e permitir que a pessoa tome a santa ceia; Cristo não negou a santa ceia nem a Judas Iscariotes.

– CASAIS AMASIADOS

No Brasil não existindo a Lei do Divórcio, casais em tais condições, quando em impedimento legal, não podem casar-se; no entretanto sempre se apresentam pedindo batismo. A Palavra de Deus é universal; lei alguma pode impedir a sua execução. Não há lei que não tenha sido posta por Deus; porém os homens procuram desvirtuar o que na Palavra de Deus é determinado. Nós aceitamos a Palavra de Deus em toda a sua plenitude. O servo de Deus nosso irmão ancião Louis Francescon aconselhou-nos, quando não fosse possível resolver o problema de um casal em tais condições, que se levasse diante do Senhor, realisando após aquilo que Ele fizer saber. Orando-se, o Senhor que tem todos os corações em suas mãos, faz compreender Sua vontade no caso. Ignorando-se o motivo da separação, sempre se apresenta ao Senhor. Não sendo por motivo de infidelidade matrimonial, que é o único caso que o Senhor permite divórcio, apresentando-se um casal, não se pode impedi-lo pois tudo o que cometeram, foi no tempo do pecado e tudo o que foi feito nesse tempo, o Sangue de Cristo lava de todo o pecado. No entretanto sempre se ora em casos tais. Sendo a pessoa selada com o Espírito Santo não se pode impedir a obediência ao sacramento do batismo. Si alguém perguntar ao servo de Deus que tem conhecimento de casal amasiado que batisou-se, ele responderá que o Senhor foi Quem determinou fazer o batismo, pois se são almas predestinadas a vida eterna, mais cedo ou mais tarde o Senhor operará. Em um casal amasiado, ambos sendo solteiros, não podem ser considerados como irmãos si não se casarem; este assunto não é para ser pregado na Igreja.

– PASSES LIVRES NAS ESTRADAS DE FERRO

Não havia ensinamento sobre esse assunto; não somos impedidos em recebe-lo, no entretanto a Congregação não deve agradecer porque em regra geral tais ofertas, tem sempre um fundo político. Todavia sendo o caso movido pelos diretores de estradas é de se agradecer pessoalmente; embora não sejamos políticos devemos cumprir os nossos deveres de educação e de cidadãos, embora não se traga para a Congregação, facções partidárias de qualquer espécie.

– DOUTRINA – MINISTÉRIO DE ANCIÃO – DIÁCONOS – COOPERADORES DO OFICIO MINISTERIAL

O ministério do diácono é muito importante na Obra de Deus, é o ministério da piedade, é um complemento distinto da Palavra de Deus. O ancião e cooperador têm um ministério e o diácono tem outro completamente distinto. Deus se usou de Felipe para batisar ao Eunuco porque Felipe era também evangelista. Quando ficou constituída a Igreja Apostólica e havia tudo em comum os apóstolos sentiram-se da parte de Deus em constituir diáconos para atender as mesas, ou seja as necessidades materiais do povo de Deus e foram ordenados diáconos, sete varões de bom testemunho, cheios do Espírito Santo. Vindo por essa ocasião da perseguição, dispersaram-se os discípulos e, por onde passavam anunciavam o evangelho e batisavam; assim Felipe não batisou porque era diácono porém porque era evangelista também. Não se pode por uma barreira ou u’a medida para o Espírito Santo que se usa de cada um como o Senhor determina. O ministério do diácono é excelente e fino, nele se manifestam grandemente as virtudes da paciência e da humildade. Os anciães e cooperadores no ministério da Palavra, e também esses Deus os tem constituídos para substituírem os anciães, menos em batismos e santa ceia. Deus tem se usado de irmãos grandemente abençoados e cheios do Espírito Santo neste ofício de cooperadores.

Numa Congregação onde existe ancião, cooperador e diácono, na falta do ancião o cooperador deve presidir o culto. Quanto a ler a Palavra não podemos pôr limite; se o diácono se sente de ler, tem liberdade. Alguns diáconos tem o dom da Palavra e outros não o tem; não é necessário que o diácono tenha o dom da Palavra, seu ministério é diferente. Mas na ausência do ancião e do cooperador, compete ao diácono presidir ao serviço e também fazer unções sobre enfermos. Si ele não tem o dom da Palavra, pode dar oportunidade a quem Deus levantar. O modo como o Senhor opera para constituir um cooperador é diferente do modo que são ordenados os anciães ou diáconos.

Tantas e tantas vezes um irmão sente-se de levar o testemunho a uma determinada localidade; quando então passam a se reunir em uma sala. Começa assim a obra, vae aumentando, são feitos os batismos, o irmão vae lendo a Palavra e Deus vae desenvolvendo nele o dom. Posteriormente surge uma congregação ficando esse irmão atendendo a essa Obra. Outros cooperadores são constituídos para atender obra já existente, mas de ambas as maneiras é diferente da ordenação do ancião e diácono. Esses são ordenados com imposição das mãos do presbitério e só são ordenados si tem a Promessa do Espírito Santo. Os cooperadores tem o mesmo trabalho dos anciães; só não efetuam batismos e não presidem os serviços de santa ceias. Embora nem todos tenham ainda o dom do Espírito Santo com evidência de novas línguas, tem entretanto em si o dom de Deus pelo qual Este dispensa Sua Palavra ao povo. São estas as funções diferentes umas das outras destes três ministérios. Cabe a Igreja orar a Deus para que Ele levante mais obreiros também nessa parte de Sua Obra.

– SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL – NOVAS BÍBLIAS

Foi relatado os resultados de u’a missão junto a Sociedade Bíblica do Brasil sobre o caso das Bíblias novas editadas por essa Sociedade. Estas Bíblias são da edição originada de uma versão e revisão das Bíblias do padre João Ferreira de Almeida e Grega. A comissão que trabalha nesta versão empregou termos atualizados populares da língua portuguesa do Brasil, entretanto essa adaptação prejudicou um pouco o sentido e principalmente alterou a forma com a qual nossa irmandade está habituada. Sentiram-se os servos de Deus em oração de enviarem alguns irmãos ao Rio de Janeiro em Junho do ano passado. Lá foram muito bem recebidos pela diretoria da Sociedade Bíblica e Deus preparou de serem atendidos no que foram solicitar. Bíblias impressas pela versão antiga de Almeida. Sendo assim em Maio do corrente ano esperemos ter essas Bíblias na nossa disposição conforme prometeram. Oremos para essas pessoas para que Deus as abençoe nesse serviço de distribuição das Escrituras, já que nesta contingência as evidências e maneira gloriosa pela qual Deus guiou aos seus servos, há alguns anos atráz ao lhes fazer sentir que deveria a Congregação contribuir para auxiliar a Sociedade Bíblica. Assim sendo a Congregação a maior contribuinte e a maior consumidora de Bíblias, tivemos força moral para expormos nossa opinião sobre o caso das Bíblias novas e Deus nos deu plena vitória.

– CASA DE ORAÇÃO QUE FOI DE SEITA

Em determinada localidade uma pessoa que ainda não obedeceu ao sacramento do batismo, quis ofertar-nos o prédio onde atualmente se realisam cultos de determinada denominação religiosa. Não aceitamos essa oferta, pois poderia parecer uma provocação; o que não queremos para nós não devemos fazer para os outros.

– FALECIMENTO DOS IRMÃOS FRANCISCO ROMANO GUILHERME E JANUÁRIO TETTI

Foi notificado a todos os presentes o falecimento daqueles dois servos de Deus. O irmão Romano a 3 de fevereiro e o irmão Januário a 26 de março, ambos no corrente ano. Foram obreiros que muito trabalharam na Obra de Deus,

– MANDAMENTOS

O povo de Deus aumenta; muitos sem entendimento ainda das determinações da Palavra de Deus trazem para o meio da irmandade certos costumes e moda perniciosa e de má aparência. Não podemos entretanto determinar às irmãs se vestirem como freiras no entretanto podemos exorta-las porém, não obriga-las a se vestir com vestidos até aos pés e fechados até ao pescoço e mangas até nas mãos. Todavia não podemos deixa-las em modas livres e decompostas acompanhando o modernismo, fazendo-lhes ver que não se devem vestir escandalosamente pois tal não é a porte de uma serva de Deus. Tudo o que é para o bem da Obra de Deus traz ordem e testemunho devendo ser feito com entendimento e em conjunto. Pessoas que não estão decentemente trajadas, nem deveriam vir à frente testemunhar, pois assim estão mostrando que a Palavra de Deus não operou em seus corações. Todavia não se deve ser exigente demais, fazendo tudo com oração e com entendimento para que as irmãs mesmas aprendam como entrar na casa de Deus. Que se peça a Deus que envie a Sua Palavra pois vindo Ela pelo Espírito de Deus acomoda a situação e assim todos igualmente procedamos no amor de Deus e no entendimento mútuo.

Si surge uma desobediência, convém dar o conselho e deixar nas mãos de Deus. Tem os servos de Deus que pedir para o Senhor mandar a Sua Palavra que é como um trator; arranca as coisas existentes no coração do crente. Pois o povo é de Deus; assim temos que esperar que Deus faça a Sua obra nos corações; um conselho é bom, porem o Senhor mandando a Palavra é melhor ainda, pois os servos de Deus querendo falar acabam por dar um mandamento. Existe servo de Deus que ensina com exagero, com zelo demasiado na Obra de Deus; ninguém pode se constituir como autoridade sobre a herança de Deus. A Palavra de Deus é que remodela e remove as dificuldades. Não podemos impôr mandamentos; não podemos ter domínio. O que é vaidade o Senhor é Quem tira com Sua Palavra.

– OBRA DE DEUS NA ARGENTINA E BOLIVIA

Levantou-se o irmão Ricardo Rebuffo, de Buenos Aires (Vila Lyneh) fazendo um rápido histórico como começou a obra na República Argentina. Em 1909 chegou o testemunho a eles por intermédio dos servos de Deus, irmão Louis Francescon e Giacomo Lombardi, vindos de U. S. A. A Obra prosperou grandemente espalhando-se por quase todo o país; entretanto de uns tempos para cá, as coisas não seguiram como deviam seguir. Alguma cousa que não convém a sã doutrina infiltrou-se no meio da Igreja e entrou a desunião danificando a obra. Nas reuniões, como a que estamos assistindo aqui, deveríamos ter também um grande número de irmãos de todas as partes, mas pela divisão não foi possível isso, a divisão não serve. Ela não nos leva a nada bom; é permanecendo unidos que Deus agrega a nós os que devem ser salvos conforme Deus mandou Sua Palavra ainda nesta manhã “O dom perfeito desce do Alto”. Vós vos reunis sob estas palavras: Em Nome do Senhor Jesus e tudo é feito por Ele entre vós. Quanto a nós da Argentina, não queremos que a mão do Senhor se afaste de nós, mas sim que continue a nos levar avante.

– OBRA DE DEUS NO PARAGUAI

Já tem o Senhor Sua Obra em Assunção, Capital do Paraguai. Já foi efetuado o batismo e existe uma sala de oração onde diversas almas se congregam. Um dos irmãos batisado recentemente levantou-se e testemunhou perante todos nesta reunião dando graças a Deus, pela salvação de sua alma e pelo conhecimento dessa graça e pediu as nossas orações pela Obra de Deus naquele país.

– IRMÃOS BOLIVIANOS

Deu-se oportunidade a três futuros irmãos de La Paz, capital da Bolívia, pertencentes a uma seita evangélica de fundação estrangeira; eles se interessaram pela Obra de Deus, quando receberam o testemunho por um irmão que foi para aquele país, e quando há alguns meses se aprouve enviar um irmão ancião no meio deles, sentiam-se convertidos ao Senhor e desejaram vir assistir estas reuniões. Confessaram-se cheios de júbilo e consolação por ouvirem os benditos conselhos que Deus está enviado, desejando retornar logo para seu país afim de testemunharem o que viram e ouviram. Estão cansados de padecer sob o jugo humano, debaixo de ordens de pessoas que não tem a guia do Espírito Santo e que só visam auferir lucros pregando o Evangelho. Assim pedem nossas orações para que Deus estabeleça Sua Obra entre eles. Também o Senhor deu ao seu servo irmão ancião Luiz Sanches que visitou os dois países, Argentina e Bolívia há alguns meses atráz, em fazer um relato sobre a missão determinada da parte de Deus juntamente com o seu companheiro de ministério, irmão ancião Vitório Angare. Estiveram na Argentina (Buenos Aires e Mondeza) e nesta última localidade o Senhor deu de pôr em ordem todas as coisas conforme havia necessidade. Em Buenos Aires oraram ao Senhor e Este respondeu ser de Sua vontade que o irmão Ricardo Rebuffo viesse ao Brasil assistir esta reunião. Já em Janeiro deste ano o irmão ancião Luiz Sanches partiu para fazer batismo no Chile e na Bolívia, e em La Paz esteve atendendo a solicitação daquele grupo a que petencem estes três futuros irmãos bolivianos. Deus deu ao seu servo de ficar vários dias dando esclarecimentos e conselhos sobre como é esta graça e o que é a Obra de Deus. Vários deles louvavam a Deus e queriam romper com aquela organização imediatamente para obedecerem conforme os servos de Deus lhes estavam ensinando. Mas este com toda a prudência, aconselhou-os a ficarem provisoriamente como estavam até poderem vir a São Paulo e verem e ouvirem com seus próprios olhos o que é a Obra de Deus. Terão assim autoridade para orientar na verdadeira dotrina os que querem obedecer ao Senhor. Oremos por essas almas pois tem grande fome e sede de justiça; pelo que dizem, seus pastores não possuem alimento algum espiritual para lhes dar, somente lhes tiram o dinheiro.

– ORAR EM CASA DE IRMÃOS QUE TEM TELEVISÃO

Existem anciães e cooperadores que não oram em casa de irmãos que possuem televisão; não podemos ser tão rigorosos. Devemos ir orar sem olhar a essas coisas, assim como vamos orar para pessoas que não são crentes e não olhamos si existem rádio, televisão ou ídolos na parede ou à cabeceira da cama. Tem havido casos em que vamos a funerais de nossos irmãos, cuja família não é crente; os familiares colocam velas, crucifixos e todos os outros aparatos e, tem havido mesmo casos até em que o padre, após o serviço do funeral, entra para fazer o seu serviço. Não podemos impedir pois não podemos mandar nas casas dos outros. Isso não faz bem nem mal para o corpo do irmão que Deus levou, e não devemos ordenar que a irmandade saia da sala pois isso provocaria transtornos e confusão.

– RATEIOS

Os rateios eram feitos para atender necessidades momentâneas da Obra de Deus, porém não foram instituídos por meio de oração como comumente se faz para construções e outras necessidades. Determinaram os servos de Deus não permitir mais que os mesmos sejam feitos e nem que se use da Palavra rateio. Chegou a ser feito nesta Capital, num desses rateios até uma espécie de leilão e, assim começaram pelo espírito e acabaram pela carne, saindo fora da Palavra de Deus que nos recomenda: “não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita”. ….

– CASAMENTO SEM SER DA VONTADE DE DEUS EMBORA CRENTES

Também nos casamentos entre crentes, quando não é preparado por Deus, as pessoas não encontram bênçãos e as vezes até recebem pesados castigos. Houve o caso de uma irmã que, estando noiva com um incrédulo, sendo repreendida e exortada pela Palavra desfez aquele noivado. Pouco tempo depois começou a namorar um irmão nosso; pediram a confirmação pela Palavra e o Senhor lhes respondeu claramente que aquele casamento não era de Sua vontade; se insistisse, vindo a realisar essa união, a pesada mão de Deus os castigaria. Estes dois irmãos apesar desta Palavra, resolveram se casar e o cumprimento do que veio pela boca do servo de Deus realisou-se, nunca tiveram um dia de felicidade; passaram por tudo; miséria, fome e enfermidades sobre a filha e por fim o marido adoeceu com gravíssima moléstia que o deixou paralítico e quase à morte. A esposa, então ao pedir oração para o próprio servo que lera a Palavra, chegou até a lhe pedir perdão, por não haver obedecido ao que Deus mandara pela sua boca. Depois de ser apresentado em oração, o enfermo começou a melhorar e já está andando; este exemplo deve ser conhecido por todos e ficar patente a toda mocidade.

– CASAMENTOS NA IDOLATRIA

Quanto ao que foi dito que não devemos entrar em templos de ídolos, sabemos que o ídolo nada é, mas se um irmão nos vê entrar nesses lugares, será induzido a participar também da idolatria e o culto da idolatria é o culto de demônios. Ferindo assim a consciência dos fracos pecamos contra os irmãos. Não podemos ir à festa e participar nos manjares de casamento de quem casa na idolatria, todavia ressalvando-se o caso de um irmão cujos familiares não são crentes e há em sua casa um jantar por ocasião do casamento.

– UNÇÃO PARA DESVIADOS OU PARA AQUELES QUE SE CASAM COM EXTRANHOS Á FÉ

Quando somos solicitados a fazer unção para esses, deixemo-nos guiar pelo Senhor. Só Deus é quem sabe o íntimo da pessoa; às vezes pode ser que Ele já deu o arrependimento ao irmão ou à irmã e já foi ao encontro da pessoa. Ao ungirmos a um e deixarmos de ungir a outro não estamos livres de sermos criticados e murmurarem contra nós, porém somos servos de Deus e não do povo. Estamos prontos a servir ao povo em tudo, mas a nossa guia vem do Senhor. Devemos com referência aos que casam com incrédulo ou se desviam, considerar as circunstâncias que levaram as pessoas a taes situações, ninguém está livre de tentações e fraquezas, porém só o Senhor é potente para dar o perdão.

– LITÍGIO JUDICIAL

Deus nos tem sempre guiado desde o princípio desta Obra, a nunca entrarmos em litígio judicial. A Congregação nunca deve envolver-se em casos que tenham de ser levados à Justiça terrena. Nos casos que tem surgido, com referência a imóveis do patrimônio da Congregação e pessoas que não pertencem à irmandade temos o Senhor Jesus como nosso advogado. Ele sempre nos tem dado a vitória, melhor é confiar N’Ele do que nos homens. E temos como ensinamento que é melhor perdermos e abrirmos mão quanto ao que nos exigem, do que litigarmos; se nos pedem a túnica, devemos também dar a capa. Houve um caso que o terreno da irmandade estava sendo prejudicado em sua largura, o visinho pretendia se apoderar de uma faixa de setenta centímetros. Os irmãos e principalmente os procuradores, desatendendo a orientação do servo de Deus que atende a região, levaram o caso perante as autoridades, constituíram um advogado, dispenderam dinheiro e tiveram muitas contrariedades. Ao ter conhecimento do caso dois irmãos administradores dirigiram-se então a localidade, sustaram o processo e requereram seu arquivamento, explicando tamém às autoridades que aos procuradores de uma localidade não assiste o direito em abrir processos judiciais. Essa competência é da alçada do Presidente da Congregação, com a assistência do Conselho de Irmãos Anciães. No caso em referência vendeu-se aquela faixa de terra ao vizinho e assim, foi eliminado este tão grande transtorno que afligia a irmandade.

– APRESENTAÇÃO EM FORMA TEATRAL DE PASSAGENS BÍBLICAS EM CULTO

Temos conhecimento que, nas reuniões para jovens e menores durante o culto, em alguns lugares do interior de São Paulo, surgiu a novidade de se fazer representações em forma teatral de trechos bíblicos. Não se deve assim agir com a Palavra de Deus; Ela deve ser temida, reverenciada e obedecida. Não podemos deixar passar essas coisas, transformando em abominação a Verdade de Deus e incutindo nas crianças o espírito de teatro. Rejeitemos pois essas coisas que não são determinadas pelo Senhor.

– IRMÃOS PERTENCENTES AO MINISTÉRIO QUE NÃO GOSTAM DE TRABALHAR

Para ensinarmos aos outros temos que dar o exemplo; irmãos que se encontram no caso em referência, vivendo à custa da irmandade dão um péssimo testemunho. Cada um precisa trabalhar para sustento próprio e da sua família.

– COOPERADORES DO OFÍCIO MINISTERIAL, PREPARAR-SE PARA ENFERMEIRO

Chegou ao nosso conhecimento que um irmão cooperador está fazendo curso de enfermeiro para que, quando chamado por um irmão enfermo possa levar a Palavra da Fé e também o medicamento. Isso está errado; compete ao servo de Deus quando chamado, levar ao enfermo só a Palavra da Fé. Como é possível ministrar a fé juntamente com o medicamento? Si existe no cooperador o intento de se aproveitar de seu cargo ministerial para aplicar o medicamento, ele não pode exercer o ministério. Essa resolução entretanto não se aplica à aqueles que já antes de exercerem o ministério tinham a profissão de enfermeiro, farmacêutico, como temos entre os irmãos, onde até médicos tem sido dispertos a esta Graça.

– HINOS QUE NÃO CONSTAM DE NOSSOS HINÁRIOS

Se tem conhecimento que em várias congregações estão cantando hinos que não constam de nosso hinário. Até irmãos anciães tem escrito hinos e determinam que sejam cantados em cultos e batismos. Já temos sido ensinados a não cantar hinos que não constam do nosso hinário; está em andamento a compilação do novo hinário e estamos fazendo traduções de hinos de Italiano, Inglês e Espanhol. Quanto aos hinos que a irmandade envia quase nada se vem aproveitando para o novo hinário. Os músicos devem executar os hinos tocando só o que está escrito, sem aumentar nem diminuir nem fazer passagens nem floreados, e nem tocar em menor. As cousas de Deus são santas quer nas Congregações ou em outro qualquer lugar. Espera-se no novo hinário modificar a clave de fá de vários hinos que tenham o ritmo de valsa, procuraremos dar a eles um sentido mais sonoro.

– COOPERADORES QUE DÃO LIBERDADE DE PREGAÇÃO A PESSOAS EXTRANHAS A NOSSA FÉ

Já temos tido inúmeros ensinamentos com referência a essa parte, mas tem chegado a nosso conhecimento que irmãos cooperadores sem entendimento dão liberdade a pastores ou quaisquer pregadores em ler perante o povo. Não é permitido, de maneira alguma. Somos responsáveis pelas ovelhas que Deus nos tem confiado e se alguns desses pregadores insuflarem no coração do povo de um veneno, ou uma nova doutrina, Deus pedirá contas a nós. Sejamos intransigentes e vigilantes nesta parte, caros irmãos, e não permitamos em hipótese alguma, que taes fatos se registrem. Quando algumas dessas pessoas, seja reverendos, pastores ou quem quer que seja nos visitarem, expliquemos-lhes claramente que podem nos visitar e ouvir a Palavra, porém quanto a pregar ou se manifestar não é permitido nem o povo aceita.

– OUVIR PREGAÇÕES EM RÁDIO OU TV

Nós temos a guia do Espírito Santo, não tendo necessidade assim em ouvir pregações por rádio, televisão, jornais e revistas. Não nos traz bom resultado ouvirmos, termos ou lermos essas propagandas que estão completamente fora da vontade de Deus. Temos que estar sempre acertados que é Deus que nos revela pela Sua Palavra para a distribuirmos ao Seu povo. Se nossa mente está cheia daquilo que temos ouvido pelo rádio, ou lido nas revistas e jornais, que alimento iremos dar ao povo? Iremos dar-lhes o alimento falso, já que muitas vezes calam em nossa mente o que temos ouvido, visto ou lido.

= ATA DA REUNIÃO EXTRA PARA AS IRMÃS ORGANISTAS REALIZADA A 22 DE SETEMBRO DE 1962

Às quatorze horas e vinte minutos iniciou-se esta Reunião, em Nome do Senhor Jesus, estando presentes os irmãos Anciães João Finotti, Luiz Sanches e Luciano Carbone, o irmão Miguel Oliva, auxiliar de Encarregado Geral das Orquestras, assim como alguns encarregados de Orquestra e demais irmãos, bem como irmãs organistas da Capital e arredores….

– REGULARIZAÇÃO DO SISTEMA DE EXECUTAR A MEIA HORA

Diversos servos de Deus tem comentado que, em muitas Congregações, as irmãs organistas executam os hinos da meia hora antes do culto, de uma maneira incompreensível e inadequada. Exageram no colorido, tocando às vezes muito alto; floreiam muito; empregam demasiada expressão. O hino acaba ficando irreconhecível. Quem ouve não sabe qual é o hino que estão tocando. Na Reunião de Encarregados de Orquestra deste ano tratou-se deste ponto importante, ou seja, o de se recomendar a todas as irmãs organistas a tocarem de modo mais claro, mais suave de maneira mais apropriada. É necessário que todas procurem tocar essa meia hora de maneira conveniente. Não é preciso tanto floreado, nem tanto colorido e nem muita interpretação; isso não se coaduna com o momento. ….

= ASSEMBLÉIA DE 1963 – TÓPICOS SÓ PARA MÚSICOS

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 25 A 27 DE MARÇO DE 1964

= PREGAÇÃO:

= Palavra: II Coríntios, 3, versos 4 a 6.

…..Aquele que prega ao povo, porem em si mesmo não tem sua vida transformada, o povo entra na glória de Deus mas ele fica de fora. Por outro lado, si o Senhor abençoa bastante aquele que prega e ele começa se considerar muito grande, o Senhor acaba por lhe tirar tudo que já havia dado. Nesta Obra quem deve aparecer é Cristo e não nós, temos por exemplo um pintor e suas obras de pintura. Quando um quadro famoso é exposto e aparece nos jornais a fotografia do pintor, porventura é a fotografia da mão do pintor que aparece? Não é a fotografia da mão que aparece é a do rosto; assim é a cabeça do pintor que aparece. Nesta Obra é a mesma cousa, a cabeça é Cristo. Enquanto Cristo for Cabeça este povo terá grande força e nada o poderá deter; porém temos que deixar que Ele seja a cabeça entre nós. Si nos consideramos incapazes, nossa capacidade virá de Deus; porém si nos considerarmos capazes, estaremos sós. Portanto não estejamos preocupados da maneira pela qual nos apresentaremos ao povo de Deus. Pode ocorrer às vezes que o servo de Deus não tem ao menos uma roupa apresentável; isso não importa .

….Quando Deus chama uma pessoa ela conserva-se em seu devido lugar, com humildade; mas à medida que o Senhor o vai abençoando e revestindo, pode suceder que o povo ponha os olhos em nosso irmão e comece a engrandece-lo. O resultado é que, quem se ensoberbece cai na condenação, cilada armada pelo diabo. Lembremo-nos sempre que o único grande no meio de nós é o Senhor. Aquele que tem o espírito de grandeza, não irá adiante nesta Obra. É necessário tomarmos o exemplo de Cristo Jesus, revestindo-nos do espírito de humildade….. – Nunca se exaltou; nunca quiz ser grande. Recusou ser chamado “bom mestre”. Por conseguinte, irmãos, si o Senhor nos abençoa devemos dar-Lhe graças por tudo, mantendo-nos na humildade e Ele fará ainda uma maior obra entre nós.

= CONSELHOS EM CONTINUAÇÃO A PREGAÇÃO – 1964:

….O Senhor preparou um povo Seu, especial zeloso e de boas obras. Completar-se-ão 54 anos que Ele iniciou esta gloriosa Obra em nosso país.

….Paralalelamente a isso inúmeras são cartas que nos enviam convidando a que nos unamos com denominações. Nunca as respondemos. A igreja de Cristo jamais se unirá com seitas ou organizações de espécie alguma, permaneceremos sobre este fundamento: Cristo Jesus. Ele é a Cabeça deste glorioso corpo, que é a Sua Igreja. Ele a governa e dirige pelo Espírito Santo. Porisso é que esta Obra aumenta, progride. O Senhor realisa tudo por nós. Não possuímos propaganda, não temos pregações em praças públicas. Os servos de Deus não tem estudos de seminário; não damos dízimos e nem pagamos salários aos pregadores. – … Se quebrássemos essa união e ligássemos a organisações humanas, o Senhor se retiraria de nós. Ele não precisa de nós.

….Recomenda-se aos servos de Deus a que permaneçam fiéis como os que receberam os talentos e grangearam outros. Que tratem o rebanho sobre o qual estão colocados, com amor e tolerância, esperando de Deus a orientação e a guia. Não se guiem por si próprios, também não devemos permitir interferências das esposas, no ministério. Quem se deixa dirigir pela esposa não é servo de Deus, mas da esposa. Si nossa esposa nos deseja aconselhar sobre alguma falta nossa que ela tenha notado, isso é outra cousa. Devemos aceitar e procurar corrigirmos; porém si ela nos vem trazer comentários e novidades de uma e de outros, não aceitemos. É conveniente que o servo de Deus fique alheio aos comentários sobre as cousas que correm entre a irmandade, …..

…. quanto ao que já foi falado sobre as denominações evangélicas, de fato inúmeras são as propostas para que nos unamos. Mas a resposta nossa tem sido sempre a mesma. Não nos uniremos com denominações alguma e, assim lhes temos sempre fechado as portas. Não despresamos ninguém porém, queremos nos conservar livres. Em nosso meio existem pregadores e até pastores que aceitaram esta graça. Mas não vieram para pregar, e sim para estarem assentados ouvindo somente a Palavra que Deus dispensa a Seu povo.

…. Vemos portanto como Deus opera em nosso meio e certamente continuará a operar, porém temos que permanecer firmes neste fundamento, na humildade e sinceridade, fazendo tudo com oração, deixando-nos assim guiar e controlar pelo Espírito Santo.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1964

– CADA CONGREGAÇÃO OU SALA DE ORAÇÃO DEVE TER O SEU PRÓPRIO COOPERADOR DO OFICIO MINISTERIAL

Os nossos irmãos cooperadores que estão atendendo a mais de uma congregação ou sala de oração devem orar ao Senhor para que Este levante cooperadores nesses locais, ficando assim cada qual atendendo uma única própria localidade. Devemos dar oportunidade quando vemos que Deus quer se servir de algum irmão no ministério da Palavra. Não devemos demonstrar ciúmes, nem ambição. Existem cooperadores que atendem até oito Congregações. Será que não existem outros irmãos preparados por Deus que poderiam ser colocados a frente do povo em algumas dessas congregações? Será que Deus se usa só desse cooperador? Não deve ser assim. É necessário que cada localidade tenha o seu cooperador, morando este no bairro, estando assim mais próximo da irmandade para atende-la no que for necessário, seja durante o dia ou a noite assim sendo os irmãos que estão atendendo várias localidades comecem a pedir ao Senhor que levante um obreiro para cada congregação; não sendo isso uma lei, porém um ensinamento. Do mesmo modo quando o cooperador de uma congregação atende também a Reunião de Jovens e Menores, deve clamar a Deus para que Este aponte algum irmão com requisitos necessários afim de ser colocado a atender essa reunião. Ficando assim cada qual em seu setor; o cooperador da congregação atendendo aos cultos dos maiores e o de Jovens e Menores, atendendo as respectivas reuniões.

– COMUM CONGREGAÇÃO

Os irmãos anciães e cooperadores e diáconos tem compromissos onde Deus os colocou, porém a irmandade e os músicos não precisam ficar sob um mandamento de que devem freqüentar obrigatoriamente a sua comum congregação, ou seja, a do bairro onde residem. Para nós toda a extensa Obra de Deus nos é comum, pois temos um só Deus, uma só fé, um só batismo. Todos somos uma só família; em qualquer congregação que estamos, esta é a nossa comum congregação. É necessário haver bastante cuidado por parte dos servos de Deus e principalmente pelos irmãos encarregados de Orquestras para que não oprimam algum irmão pelo fato dele se congregar em outros bairros e, não na congregação de sua própria localidade. Não podemos obrigar o povo de Deus a freqüentar a Congregação de seu bairro. Muitos irmãos moram em um bairro e por necessidade do seu trabalho são forçados a freqüentar outra congregação. Outros ao assumirem compromisso do noivado com irmãs de outra localidade passam a se congregar na congregação onde se encontra sua noiva. Não devemos ir contra e nem oprimi-los pois, se nós os oprimimos sem necessidade nós os transformamos em rebeldes e os fazemos errar pela nossa imprudência. Em qualquer caso os irmãos tem faculdade em se congregar onde o Senhor lhes der oportunidade; são livres, não os podemos impedir. Porém o que podemos fazer é aconselha-los quando sabemos que não se congregam na congregação de seu bairro porque não gostam do servo de Deus ou se encontram incompatibilisados com outros irmãos. Deus não aceitará o louvor de tais pessoas, devem se por de acordo a Palavra de Deus.

– OBRAS DE PIEDADE – NÃO DEVEM SER ANUNCIADAS PUBLICAMENTE

Não se deve anunciar os resultados das coletas destinadas a Obra da Piedade. A Palavra de Deus nos diz: “não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita”. Os nossos irmãos diáconos que atendem esta parte anotem tudo particularmente para o seu controle, podendo mostrar aos servos de Deus de sua congregação, pondo-os a par do andamento dessa importante parte da Obra de Deus. Mas não se deve anunciar perante o povo os resultados de coletas para a Obra da Piedade.

-VIAGENS DE SERVOS DE DEUS

Existem servos de Deus que contraem dívidas para poder viajar e atender a Obra de Deus. Não havendo diáconos compete aos cooperadores ou administradores providenciar o necessário; a irmandade deve ser doutrinada sobre esta parte. Deve aprender a colaborar nas viagens dos servos de Deus; estes não viajam a passeio porém para atender a necessidade da Obra de Deus e, em benefício do próprio povo. Deixam seu trabalho e sua família durante dias e até semanas; não trabalhando não ganham cousa alguma. Compete então a irmandade olhar pela família desses servos, visitando-as para ver se lhes falta alguma cousa, colaborando então com o que Deus lhes faz sentir. Temos por certo que Deus abençoará ao seu povo e isso não será de peso para ninguém, pelo contrário, Deus nos retribuirá tudo o que fazemos pela Sua santa Obra. As coletas para viagens dos servos de Deus também não devem ser anunciadas publicamente, pois si assim o fizermos iremos humilhar a esse servo. É necessário que se tenha entendimento em tudo.

– ABRIR SALA DE ORAÇÃO COM INTUITO DE SER COOPERADOR

Geralmente a pessoa tem esse bom desejo; abre então uma sala em sua própria casa e conta prontamente com a presença de algumas famílias da redondeza e também vizinhos. Passam então a se reunir regularmente; acontece entretanto que a pessoa às vezes não está preparada para o ministério. Não tem o dom de Deus; tem o espírito da solicitude, começando agir segundo suas próprias idéias sem consultar a servos de Deus mais antigos no ministério, atraindo a irmandade após si. É preciso muito cuidado; não se pode começar uma reunião de qualquer maneira só porque desejamos nos tornar cooperador. A Obra deve começar em um lugar onde realmente haja necessidade; quando por exemplo, a congregação mais próxima seja muito longe e se torna desconfortável para a irmandade freqüenta-la. Entretanto às vezes vemos que iniciam-se reuniões familiares quase que encostadas a uma congregação. Não convém que isso se faça; para se abrir uma sala de oração é necessário esperar a guia do Senhor pois, os que agem com outra intenção movidos pela solicitude, só poderão causar trabalhos e complicações futuras e a Obra de Deus acaba sofrendo vitupério perante os de fora.

– DESASTRES COM IRMÃOS ANCIÃES

Tem havido casos em que, devido a desastre um servo de Deus fica temporariamente impossibilitado sem poder prover o necessário a sua família. A irmandade compete olhar para essas cousas e estar preparada para auxilia-lo em casos tais. Si o povo da localidade não possue recursos é conveniente que as igrejas dos arredores ou outras localidades tratem disso, todavia, faça-se tudo com discrição, sem alarde, pois isso não fica bem para quem estiver sendo ajudado. É obrigação da irmandade estar atenta a esses casos, demonstrando prontidão e zelo em benefício dos que Deus se usa nesta Obra.

– CONSTRUÇÕES

…..- Este importante ponto deve se notar, deve estar ligado ao comportamento ao Ancião ou Cooperador, perante toda a irmandade. Em certos lugares a construção pára; porém não é por culpa da irmandade e sim daquele que está à frente do povo, de quem deve obter a simpatia e a confiança. Temos que atender a parte espiritual mas também nos toca, pensar pela parte material; quando o povo se acostuma a estar ligado ao corpo ministerial participando do empreendimentos, tudo vai avante no amor e temor de Deus. Nas grandes cidades o povo coopera monetariamente com mais facilidade. No interior é mais difícil, entretanto si não puder dar dinheiro pode-se dar material ou outras ofertas que vendidas produzirão o que é necessário. Não se obriga nem se manda o povo fazer isso ou aquilo; leva-se a irmandade com boas maneiras e com bom exemplo. Se o ancião ou cooperador pede a colaboração da irmandade ele mesmo não se esforça para também dar, Deus endurece o coração da irmandade e esta não dá nada. Não é preciso que sejamos ricos, damos segundo nossas forças e o Senhor operará no coração de todo o povo a quem ajudará nas coletas. …..

….. – O prazo normal para iniciar e concluir uma congregação vai entre dezoito e vinte meses; quando se vê vai passando esse prazo, tem que exortar a irmandade para o máximo esforço, pois não podemos deixar a construção parada dando assim um péssimo testemunho para os de fora. É indispensável pois antes de se dar início a construção, obter todos os cálculos e orçamentos feitos por engenheiros, pessoa habilitada, etc… devemos levar em conta também a ação desfavorável da constante desvalorização da moeda pois a inflação altera os orçamentos. Além do mais devemos planejar uma obra sempre de acordo com a possibilidade da irmandade local.

– CONSTRUÇÕES SUNTUOSAS E EXÓTICAS

Compete aos irmãos anciães da localidade ou que atendem a zona a orientarem aos demais irmãos tanto da parte administrativa assim como do Departamento de Construções para que evitem construir congregações com linhas cheias de ornatos, com muita suntuosidade ou em formato exótico. O prédio atendendo a necessidade da irmandade é o suficiente; não se devendo pois ambicionar uma congregação muito maior que a estritamente necessária. Quanto maior o templo maiores são as despesas e o custo da construção.

– OFERTA DE ALIMENTO PELO POVO NORTE AMERICANO

O povo dessa nação tem proporcionado ajuda a população pobre de nosso país, dando alimentos, principalmente latas de leite em pó. Estas doações eram confiadas a alguns políticos para que as distribuíssem; porém como houve irregularidades e abusos o governo americano deliberou confiar essa distribuição às igrejas evangélicas. Quanto a nós podemos também aceitar para distribuir a nossa irmandade; não se trata de doação com fundo político. Não vem propaganda junto e nem nos comprometemos com quem quer que seja. Também não iremos dar o nome da congregação para ser incluída na lista dos distribuidores.

– ÁGUA DE BATISMO

Nunca se deve dizer que a água do batismo é santa água. Batisar na água por imersão sepultando o velho homem é cumprimento do santo mandamento da Palavra de Deus, mas a água não é santa. É uma água como outra qualquer, de um rio, de uma vasca, de um lagoa, etc…

– MANDA TUA PALAVRA

Outra frase muito comum é se dizer: “Senhor faz com que tua Palavra venha pelo Espírtio Santo”. Esta deve vir sempre pelo Espírito Santo. Si não vem pelo Espírito Santo, não cura, não ensina, não liberta e não traz virtude ao povo. Nunca a Palavra poderá vir pela carne; quando vier da carne é terrena, animal e diabólica.

– CARTA DE APRESETAÇÃO MENCIONANDO DONS

Nas cartas de apresentação que fazemos para irmãos que se mudam de localidade para outra ou vão em visita, não se deve mencionar que o irmão tem este ou aquele dom. Alguns põem na carta: o irmão que está mudando tem o dom da Palavra. Nada se deve por sobre o assunto e nem outras qualidades ou dons. Somente se declara que o irmão tem bom testemunho.

– ORAÇÕES NA CONGREGAÇÃO

O servo de Deus que preside ao culto deve ter entendimento também nessa parte da oração. Não é obrigatório ficar esperando que haja três orações, quando estamos de joelhos dobrados perante ao Senhor e Este toma um irmão ou irmã numa oração fervorosa, cheia de inspiração e edifica a Igreja. Não é necessário pois ficar de joelhos esperando que haja mais uma ou duas orações. Muitas vezes ficando ajoelhados esperando mais um pouco, começa a orar um que não foi chamado pelo Senhor. Isso rouba toda a comunhão e alegria que a primeira oração trouxe ao povo; tenhamos pois entendimento nessa parte evitando tais cousas.

– ESTÁ FECHADA A LIBERDADE PARA TESTEMUNHANÇAS

É essa a frase que devemos dizer quando queremos encerrar a liberdade para os irmãos testemunharem. Não podemos dizer de modo algum, como dizem muitos: “está fechada a liberdade do Espírito Santo”. Isso está completamente errado. O Espírito Santo tem livre curso em nosso meio, pois esta é Obra de Deus. Ele é o Dono da Obra. Ai de nós se, em determinada hora fechássemos a liberdade do Espírito Santo. É necessário pois que todos aprendamos com toda atenção a maneira certa de se falar as cousas.

– HORÁRIO DE DURAÇÃO DE CULTO

Existem determinadas congregações que geralmente o culto passa da hora e meia levando até duas horas. Isto já é um costume e sucede porque o cooperador ou mesmo o ancião costuma exortar antes da oração, antes do testemunho, fazendo longas admoestações sem ser necessário. Há tempo para tudo; os hinos não são para serem exortados e sim para com eles louvar a Deus. Mesmo quanto a exortar a Palavra é melhor poucas palavras porém que sejam fixadas como pregos no coração do povo.

– RESSALVA QUANTO A FALAR DA OBRA DA PIEDADE

Ficou dito anteriormente que não convém dar publicidade ao povo quanto deu a coleta em benefício da Obra da Piedade; porém não é porisso que não se pode falar mais desta Obra na Congregação. Temos obrigação de falar admoestando o povo a se esforçar para colaborar na Obra da Piedade, expondo a todos a necessidade de que a irmandade abra o coração ao Senhor e Ele o mova para contribuir nessas coletas. O que se não deve falar é quanto rendeu, quanto entrou, quanto saiu.

– ADMINISTRAÇÃO E OUTROS CARGOS

Existem lugares em que o cooperador quer tomar conta de tudo; havendo diáconos, administração, departamento de construção, obra da piedade, não é pre ciso o cooperador se sobrecarregar com esses assuntos. Nós do ministério espiritual devemos deixar isso a cargo dos que Deus preparou para esses assuntos. O que compete ao ancião ou cooperador é doutrinar o povo a colaborar com amor e alegria nas coletas, na obra da piedade, necessidades da Igreja, viagens de servos de Deus, etc… Os que estão na frente do povo devem pedir franqueza a Deus para falar, ensinar, esclarecer a irmandade sobre a necessidade de sermos cheios de frutos na Obra de Deus.

– UNÇÃO PARA ENDEMONINHADOS

Si chamados a orar por pessoas endemoninhadas, possuídas por espíritos malignos, não as devemos ungir com azeite. Somente se faz uma oração; a unção de acordo com a Palavra de Deus é para enfermos e não para endemoninhados.

– SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL

Já há alguns anos que esta Congregação vem colaborando com a Sociedade Bíblica, enviando donativos anuais, fruto de coletas realisadas entre toda a nossa irmandade no Brasil. Isto Deus nos fez sentir em fazer em virtude do preço das Bíblias no geral, ser inferior ao seu valor de custo e a Sociedade nessas condições necessita de contribuições para poder produzi-las. As Bíblias não dão lucro; assim é em quase todo o mundo. – …. Entretanto ultimamente a Sociedade Bíblica do Brasil editou uma versão de João Ferreira de Almeida corrigida e revisada que foi profundamente alterada, a ponto de ferir a Sã Doutrina. Inúmeros pontos estão completamente modificados; assim não a podemos aceitar e nem adotarmos para o uso de nossa irmandade. Tem sido feito confronto entre a velha versão e a nova, encontrando-se muitos erros de doutrina na nova, pois esta foi modificada pelos homens. Existe uma lista bem grande de erros encontrados. Dada essa situação esperamos na Guia do Senhor quanto às contribuições daqui para o futuro; devendo a irmandade esperar orientação quanto ao que convém fazer.

– ANCIÃES COM RECURSOS E ANCIÃES SEM RECURSOS

Ocorre às vezes em algumas localidades existirem dois anciães; um possue recursos financeiros não dependendo de auxílio da irmandade para viajar a serviço da Obra de Deus. Porém outro não possue recurso algum, competindo então àquele que tem recursos exortar a irmandade a colaborar para as viagens do que tem necessidade.

– SINDICATOS

Já temos tido inúmeros ensinamentos sobre isso, porém o Senhor permite que novamente venha este conselho; “nós crentes, não devemos aceitar cargo algum nos sindicatos. Quem aceita cargos necessita se sujeitar a organizar greves, a ir contra patrões, etc., e nós crentes devemos fugir de tudo isso”. O que nos compete é unicamente pagar o imposto sindical porque a lei assim o determina. Fujamos de todo o embaraço. É necessário semear no Espírito, pois do espírito ceifaremos a vida eterna.

– HORÁRIO DE VERÃO

Quando é instituído o horário de verão os relógios devem ser adiantados uma hora; isso é feito para se economizar energia elétrica. Nas cidades é evidente que temos que respeitar o horário de verão em tudo, inclusive para o horário do inicio dos nossos cultos. No campo entretanto onde quase ninguém se baseia pelo relógio e sim pelo giro do sol, não há importância em não se observar o horário de verão. Sabemos que, quem trabalha na lavoura, trabalha de sol a sol e assim devemos nos conservar conforme o próprio ambiente a que estamos habituados.

– VENDA DE CASA DE ORAÇÃO VELHA

Quando Deus prepara uma nova Congregação para a irmandade de determinada localidade e a velha precisa ser vendida, é necessário que se tomem certas precauções na venda. Onde esteve por muitos anos a Obra de Deus, não podemos vender para seitas de espécie alguma. Os sectários poderiam se prevalecer do local e ludibriar o povo, querendo fazer crer tratar-se da mesma irmandade, acarretando graves prejuízos a Obra de Deus. É evidente também que não podemos vender um prédio que serviu para a irmandade se reunir e louvar a Deus, para ser nele instalada uma casa de diversões, cinema, salão de baile, etc…..

– BATISMOS EM PRESÍDIOS

Esses batismos são geralmente permitidos em particular pelos diretores. Muitas vezes não são eles comunicados a Corregedoria Geral. Assim não devemos anunciar esses batismos nas listas pois colocaríamos os diretores em má situação. Fazendo tudo com reserva indo o ancião acompanhado do cooperador ou de mais alguns irmãos si houver oportunidade. Não se avisa na Igreja que se vai realisar tais batismos. Nunca se deve marcar o batismo sem antes conversar com o diretor, pois ele é que determina e autoriza o dia para realisá-lo.

– EMPRESTAR CASA DE ORAÇÃO

Tem nos chegado solicitações de entidades diversas e de pessoas que ocupam cargos públicos para que lhes emprestemos nossas casas de orações a fim de realisarem conferências, conclavos políticos ou para outros fins particulares. Temos respondido sempre que não podemos atender a essas solicitações. Não cedemos nossas salas de orações. Si o Tribunal Regional Eleitoral requisitar qualquer sala de oração para realisação de uma eleição, o caso é diferente; não podemos recusar. Porém temos o direito de fazer que se respeite o horário do culto. Em casos tais geralmente se recebe o aviso com bastante antecedência dando margem e tempo a que a irmandade seja também notificada.

– NOVOS ESTATUTOS E ASSEMBLÉIAS DE DESCENTRALIZAÇÃO

Em cumprimento ao que Deus tem determinado por meio de seu servo, estamos fazendo gradativamente essas assembléias e constituindo administrações locais, desmembrando assim cada patrimônio da parte total da Congregação – São Paulo. ….. – Os Estatutos são os mesmos para todas as localidades do Brasil.

– COOPERADOR DE ANTA BRAVA

Esse nosso irmão cooperador levantou-se perante todos e pediu perdão a todo o ministério reunido de todas as partes do Brasil pelo fato de ter ele acompanhado as idéias do ex-irmão Nilson Santos. Pediu perdão também a Deus. Naquela ocasião quis se separar de nós para acompanhar tal pessoa, porém Deus lhe fez ver que estava fora da comunhão e fora da humildade. Reconciliou-se assim novamente com todos o que foi motivo de alegria e conforto geral.

– PANFLETOS DE PROPAGANDA

Um servo de Deus do Estado do Paraná preveniu a todos os presentes a esta reunião sobre a distribuição de folhetos de propaganda e convite a um batismo que se iria realisar na cidade de Pitanga, daquele Estado. O servo de Deus declara a todos que tais folhetos não foram impressos pelos irmãos responsáveis pela Obra de Deus, porém por irmãos novos na graça sem entendimento, entretanto movidos pela boa vontade. Estes irmãos foram admoestados e ensinados a não repetirem tal cousa; a Obra de Deus é Ele Quem a realisa. Não temos necessidade de propaganda, nem publicações em jornais e revistas, nem de programa de rádio ou televisão. Não fazemos também pregações em praças públicas; Deus é Quem manda as almas em nosso meio.

– TANQUE DE BATISMO EM SÍTIO

Em determinadas fazendas ou sítios nossa irmandade tem feito tais tanques, para realisação de batismos. Todavia o proprietário da fazenda ou do sítio costuma cede-los também para sectários fazerem o seu batismo. Isso ocasiona confusão. Quem vem assistir suporá que a Congregação e as seitas são a mesma cousa; na medida do possível devemos impedir que tais cousas aconteçam. Si porventura não formos nós os únicos a usar o tanque façamos então o batismo em um rio.

– IRMÃOS ANCIÃES JOÃO CLARO, LUIZ COSTA E ALFREDO DE SOUZA

É comunicado a todos que o Senhor nosso Deus tem se comprazido em recolher ao repouso eterno os caros irmãos anciães em referência.

– PORTO NOVO – ESTADO DE SÃO PAULO

É comunicado também que que o ex-ancião desta localidade irmão Gentil Ribeiro do Nascimento, renunciou ao ministério, pois caiu em pecado de adultério.

– VIAGEM MISSIONÁRIA DE IRMÃOS DIÁCONOS

É necessário que todos compreendam que o Senhor tem constituído o ministério de diácono “Atos 6, 1:7 e I Timóteo 3, 8:13” para o importante negócio de atender o povo de Deus em suas necessidades materiais. Os pobres, as viúvas e tantas outras cousas que se apresentam na extensa Obra de Deus. Atendem a Obra da Piedade; competindo-lhes também abrir e presidir os cultos na ausência do irmão ancião ou cooperador. E o Senhor pode se usar deles com a Palavra. Filipe e Estevão foram pregadores e evangelistas. Se bem que Felipe tenha batisado ao eunuco; ele o fez na dispensação; o sacramento do batismo pertence aos irmãos anciães. Em localidades onde ainda não haja diáconos pode surgir às vezes dúvidas quanto a Obra da Piedade por parte de irmãos e irmãs que atendem. Estes irmãos pedem então a presença de um diácono o que é uma boa cousa, principalmente si podem ir em companhia de um ancião, facilitando a que qualquer necessidade que surgir na Congregação possa assim ser solucionada. Entretanto as viagens de nossos irmãos diáconos não podem ser feitas por um costume, só em casos de necessidade, pois cada um tem sobre si grande responsabilidade e ocupação na Congregação onde o Senhor o constituiu.

– MUDANÇA DE ANCIÃES – NÃO TOMAR O LUGAR DO COOPERADOR

Irmãos anciães que mudam de uma localidade para outra por conveniências particulares, não devem tomar o lugar do cooperador. Pode ajuda-lo, colaborando com ele; porém tirar o seu lugar, só porque é ancião isso não é permitido. Não se pode obrigar o ancião a permanecer na localidade onde Deus o colocou; já que não recebe ordenado como nenhum de nós recebemos. Mas si ele mudou-se de localidade deve se lembrar que não poderá deslocar o cooperador da cidade para onde vai. Às vezes um ancião sai de mudança da cidade onde mora por falta de trabalho material e vai se radicar em outra onde há cooperador na Obra de Deus. Nessa cidade as cousas da Obra correm tudo muito bem, qual é a atitude conveniente ao ancião? Ficar assentado em seu lugar, deixando que Deus mova tudo em Sua Obra. Muitos irmãos anciães já fizeram isso e depois de certo tempo o Senhor lhes preparou outra localidade onde não havia ancião e nem cooperador e lá ficaram definitivamente. Esclarece-se todavia, si algum irmão ancião muda de sua localidade não é porisso que perde o ministério. Pode continuar a fazer batismos e santas ceias, ler a Palavra de vez em quando na localidade onde passa a morar. Porém o que não deve é tirar a oportunidade do cooperador da Congregação. Devendo o irmão ancião esclarecer ao povo que o cooperador não o impede em se levantar com a Palavra antes lhe dá liberdade; porém as cousas devem ser feitas com entendimento, dentro da ordem sem menosprezar a pessoa alguma na Obra de Deus. Quando o ancião vai de mudança em missão, é Deus que o está enviando, o caso é diferente. Deus o reveste de toda autoridade necessária. Irmãos anciães e cooperadores devem se conservar no lugar em que Deus os colocou. Provas e apertos da vida todos nós passamos; porém não serão essas cousas que nos farão deixar o nosso posto onde fomos colocados como um sentinela. Devemos pedir forças a Deus para poder atravessar os apertos e necessidades da vida. É certo que nós todos somos livres, mas convém esperar pela Guia do Senhor. Temos visto muitos exemplos e alguns deles bastante lastimável, de ancião que se mudaram, por conveniência de seu trabalho material. Uns transtornaram completamente a congregação para onde foram e outros acabaram caindo da graça. Portanto no lugar em que fomos postos pelo Senhor nesta Obra esperemos muitas bênçãos, mas esperamos também as provas materiais e espirituais. Conforme já ficou dito se a mudança é em missão, si é pela conveniência da Obra de Deus, devemos receber com alegria. Às vezes é necessário mesmo que o ancião se mude de sua localidade para um lugar mais centralizado de onde poderá melhor atender a Obra. Porém deve ser feita com oração do ministério; existindo muitos Estados no Brasil em que a Obra deve ser atendida por setores havendo muitas dificuldades. É conveniente então que o ancião se transfira para o lugar mais central.

– SUBSTITUIÇÃO NA PRESIDÊNCIA DAS ASSEMBLÉIAS E REUNIÕES SEMANAIS NO BRÁS

Com o falecimento de nosso irmão Luiz Pedroso, o Senhor tem colocado para presidir essas reuniões nas assembléias, o nosso irmão ancião João Finotti, na ausência deste sempre atendia o irmão Romano. Com o falecimento do irmão Romano, passou a atender o irmão João Claro; porém agora o Senhor recolheu o irmão João Claro, ficando assim determinado, para atender a presidência o irmão João Finotti, como mais velho no ministério. Em sua substituição o irmão ancião Miguel Spina e na ausência deste o irmão ancião Rizieri Lavander.

– VIAGEM MISSIONÁRIA DO IRMÃO ANCIÃO MIGUEL SPINA E ESPOSA

O Senhor concedeu oportunidade ao seu servo de fazer um breve relato da viagem realisada no ano passado: Europa, Oriente Médio e Extremo Oriente e Norte América. Fez ele juntamente com sua esposa uma volta em torno do globo terrestre; visitaram irmandade de países onde já haviam estado em viagens anteriores, confirmando-os na fé. Visitaram outros países principalmente os do Extremo Oriente onde o Eterno Deus lhes concedeu em apresentar àquelas almas famintas e sedentas de justiça as boas novas desta Graça que Deus vem realisando nestes últimos dias em nosso meio, no Brasil. Visitaram grupo de crentes nesses países onde, pelo Espírito Santo o servo de Deus apresentou todos os pontos os quais essas almas deveriam obedecer, a fim de se encontrarem dentro do firme fundamento e da Sã Doutrina, pois a volta de Cristo está próxima às portas.

– IRMÃOS ESTRANGEIROS PRESENTES A ESTA REUNIÃO

Deus preparou de estarem presentes a esta reunião neste ano os nossos irmãos de vários países, como sejam: ESTADOS UNIDOS: Nicola Di Gregorio; Emigdio Puglia e Venâncio Boléa, todos anciães e a irmã Conceta Boléa. REPÚBLICA ARGENTINA: ancião José Lopes de Mar Del Plata; Daniel Caparrota, diácono; José Palma, administrador; Daniel Orega, músico; todos estes de BUENOS AIRES. José Cercamondi e João Syria, de Mendoza. REPÚBLICA DO PARAGUAI: Fidencio Franco, oe João Alcaraz, cooperadores. REPÚBLICA DO URUGAUI: Vilar Rodrigues, ancião da cidade de Paissandu.

– APÓSTATAS DA FÉ – MARINGÁ, ESTADO DO PARANÁ

O servo de Deus que atende a esta Congregação trouxe-nos a notícia sobre a rebelião promovida por um pequeno grupo de pessoas que eram nossos irmãos, porém se deixaram iludir pelo adversário. Começaram a estudar materialmente a Bíblia tendo sido tomados por um espírito de engrandecimento que os leva a menosprezar os servos de Deus. Blasfemam contra a Sã Doutrina e contra as cousas santas de Deus. Utilizam-se também da liberdade de se levantar perante o povo para lançar doutrinas totalmente extranhas, intentando dividir a Obra de Deus. Tendo sido chamados e admoestados diversas vezes pelos irmãos anciães, não acataram e não se humilharam; antes continuam a promover a dissolução no meio da irmandade. Em reunião do Conselho de irmãos Anciães realisada a 25 de março de 1964, deliberou fazer-se uma circular excluindo essas pessoas, nome por nome, de membro da irmandade, aliás da Congregação. Que ninguém os receba e nem tenha parte com eles, pois colocam-se no lugar de Core, Datham e Abiram, que se rebelaram contra o servo de Deus Moisés, e a terra abriu sua boca e os enguliu e vivos desceram ao sepulcro. “Números 16; 1/35”. A palavra de pessoas que apostatam da Fé roerá como a gangrena; escapemos nossas almas evitando tais criaturas corrompidas.

– FUNERAL

Não existe determinação quanto a funeral para crianças recém-nascidas; não há mandamentos si fazemos ou não o serviço. Fazemos como o Senhor guia no momento. Temos notado pelas experiências de vários casos em que os servos de Deus tiveram de comparecer a funerais de irmãos que perderam o testemunho, que o Senhor não permitiu que se faça às vezes nem uma simples oração. Cada qual que se deixe guiar e orientar da parte de Deus nesses casos, pois temos visto por outro lado o Senhor restaurar pessoa que perdeu o testemunho, recolhendo-o para Sua Glória.

Quanto aos suicidas não tem parte no Reino de Deus; não se faz serviço algum. Se os familiares são crentes, pode-se orar por eles depois que o féretro saiu, para conforto de seus corações. É o que temos feito nesses casos.

Não há mandamento de se fazer ou não funeral quando uma pessoa na é crente. Havendo na família pessoas contrárias a graça de Deus é bom sempre consulta-los para saber si tem prazer que se faça o serviço de funeral. Assim fazendo evitaremos dissabores e contrariedades. A prudência é necessária. Si tem prazer, fazemos; e si não tem, deixamos de fazer. Cada qual manda em sua própria casa. Nunca se deve prolongar demasiadamente o serviço de funeral; abreviado é mais adequado. Temos que considerar que a hora de saída do corpo está marcada e ainda devemos deixar após terminar o serviço, pelo menos um quarto de hora para os familiares e parentes se despedirem do corpo.

– CARTEIRA DE IDENTIDADE PARA ANCIÃES

As Diretorias das Estradas de Ferro de que os servos de Deus se usam e ainda as dos Hospitais onde os servos de Deus necessitam entrar freqüentemente para orar para enfermos, têm sugerido que usem eles carteira de identidade que os identifiquem como membros do ministério da Congregação, aliás da Obra de Deus. Tudo isso é bom, porém si tal cousa fizéssemos, iríamos sair fora do fundamento desviando-nos do que Deus nos tem ensinado.

Os irmãos anciães, quando Deus os manda a qualquer lugar não necessitam de prova de identidade como ancião; o único documento que devem apresentar é a Palavra de Deus.

E quanto a gozar desconto nas passagens de trens não há necessidade; ou julgamos que Deus seja pobre ou impotente para nos preparar todo o valor da passagem? Deus é potente e dono dos céus e da terra; tudo preparando suficientemente para passagem e o mais que for necessário sem termos necessidade de sair fora de seus ensinamentos ao querer obter os descontos. Podemos entretanto, usar e levar conosco, como simples cidadãos nossa prova de identidade pela secção da polícia encarregada dessa parte. Isso é um documento que qualquer pessoa deve ter pois a qualquer momento nas grandes cidades está sujeita a ser inquirida pelas autoridades. O que podemos ter também conosco e é muito útil é o ultimo relatório e os Estatutos da Congregação.

– APRRESENTAÇÃO DE IRMÃOS PARA ANCIÃES

É necessário bastante prudência nesse caso. A experiência também nos vai ensinando, às vezes Deus permite erremos para aprender. Tem se cumprido em muitos a parte que vem mencionada em I Timóteo, cap. 3, verso 6 “…Não neófitos, para que ensoberbecendo-se não caia na condenação do diabo”. Sabemos que o neófito é o novo na fé; inexperiente na fé. Também não se deve olhar a aparência da pessoa; Samuel olhou ao ir ungir um rei para Israel, na aparência. Deus porém o advertiu a não olhar as aparências mas ungir aquele a quem Ele lhe indicasse. E assim foi ungido David o menor de todos aqueles irmãos. Entretanto devemos apresentar aqueles que Deus nos aponta de acordo a Sua Palavra, sem nos basearmos na aparência física, isso para o nosso bem e para o bem da Obra de Deus. Da mesma maneira o Senhor Jesus ao escolher seus apóstolos, não foi busca-los de entre os legisladores, doutores, principais da lei, magistrados e entendidos desta vida. Jesus buscou a pescadores e os elegeu apóstolos desta gloriosa Obra.

– CARTA DO SERVO DE DEUS IRMÃO ANCIÃO LOUIS FRANCESCON

É lida perante esta assembléia, como anualmente é feito uma carta que o velho servo de Deus irmão Louis Francescon enviou. Em sua avançada idade (98) anos tem sempre o seu pensamento e seu espírito voltado para a Obra de Deus aqui no Brasil. E por ocasião destas reuniões gerais anuais de ensinamentos remete-nos uma carta, com conselhos inspirados pelo Senhor, que tem servido de grande edificação e conforto para o ministério. Louvado seja o Senhor.

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 14 A 16 DE ABRIL DE 1965

= PREGAÇÃO:

= 1ª Palavra: Salmos, 74 – 3 a 7 e 21 a 22.

…..Esta é a herança de Deus na terra. O templo não é mais o de Jerusalém. O templo somos nós. Dentro deste templo somente Deus deve ser exaltado e glorificado. O povo de Deus se reúne nas casa de oração em muitos lugares e todos vem buscar o alimento para a alma, os sinais e as promessas. O crente vive pela fé e em suas necessidades vai consultar a Deus. Os servos devem viver prudentemente, com temor e tremor revestidos de caridade, ……..

Na Congregação também o adversário entra. Mas se fica só dentro do salão e não encontra oportunidade de entrar nos corações, ainda não é nada. Porém se entra em algum coração, faz grande estrago. Principalmente se é no coração do que está na frente do povo. Quando um demônio se apossa de uma pessoa, faz um estrago somente no corpo daquela pessoa. Mas quando penetra nos que estão no Ministério, com sentimento de ciúmes, inveja, avareza, pode fazer estragos em uma Congregação inteira. Às vezes o que está perante o povo é tomado por esse espírito e nem percebe. E é levado a destruir a Obra de Deus. Pela ganância, a pessoa pode ser levada a introduzir falsas doutrinas no meio do povo. Pelo espírito de soberba, pode se transformar em um ditador. Quem se deixa levar pelo espírito de ciúmes, pode dividir e derrotar a Obra de Deus. É por meio desses espíritos que o inimigo faz desolações no meio da herança de Deus….. – ….Quando os servos de Deus estão cheios de virtude, e de graça ministram os dons ao povo, o Senhor colabora com sinais, respostas e maravilhas. Mas quando em uma Congregação um Ancião ou Cooperador permitem que em seu coração se instale a inveja ou a presunção de que um é maior do que o outro, surge o assolamento na Obra e os sinais, maravilhas e respostas desaparecem naquela Igreja. E quando desaparecem isto, logo surgem os sinais de nosso adversário. Esses sinais são conhecidos: dissenção, divisão, inveja, ódio, malícia, murmuração. Que ninguém se engane a si próprio….

….A irmandade se esforça por vir a casa de oração. E se em vez de alimento encontra contenda, dissenção, pancada, ódio e inveja, a irmandade volta vazia para casa. Saibam todos então que os pequeninos de Deus chegam em casa e elevam a queixa perante o Altíssimo, dizendo: “Senhor, hoje eu não me alimentei. Voltei vazio para casa!”. E, quando o povo começa a clamar, chega o dia em que Deus se levanta e acerta contas contigo. Coloca-te em uma cama, ou te envia para o cemitério , ou faz com que caias no pecado….. -…. Não consintas mais em seres instrumento nas mãos do adversário para este destruir e assolar o santuário de Deus!….- ….Não esperando pacientemente que o Senhor da seara levante um obreiro, a pessoa coloca quem ela pensou que iria servir. Depois começam os combatimentos, os ciúmes, a inveja. Assim, não devemos pretender insistir com o Senhor, ou querer fazer prevalecer o que pensamentos. Esperemos que Ele execute Sua santa vontade e jamais erraremos.

…. – Um servo fiel a Deus é como uma locomotiva, que leva 20 ou 30 carros. A força motriz que move a locomotiva é o vapor obtido da água e do fogo, na caldeira. A força que move o servo é o amor. Quando falta isto é como quando a caldeira deixa de funcionar na locomotiva. O servo ao qual lhe falta o amor começa a espancar o povo e a machucar as ovelhas do rebanho. Deus hoje chama tal pessoa à responsabilidade, para que não torne a tocar no rebanho. …. -…. Mas se alguém insiste em dividir a Obra de Deus, Deus o destruirá. Somos testemunhas de muitos casos em que o Senhor tem tirado da face da terra certos maus obreiros, que não quizeram se arrepender e se emendar. Deus edifica e Deus derriba. Cura mas também mata. Enfermidade e morte são como emissários de Deus e tem que servi-Lo também.

= 2ª Palavra: Efésios, cap. 04.

…Paulo sofreu muitas prisões e açoites, mas nunca desanimou…. – ….Se ele recomendava a humildade, ele próprio a tinha. Se falava em misericórdia, ele mesmo estava cheio de misericórdia…. – ….O povo, quando vê que um servo já não anda mais como é digno da vocação em que foi chamado, não recebe mais tal servo. Quantas e quantas cartas que recebemos, da irmandade se queixando do Ancião ou do Cooperador de sua Congregação! … – …. O povo nota também quando o servo vem a esta Reinião e o Senhor opera nele, tirando-lhe as cousas que não estavam de acordo. Impaciência, orgulho, arrogância e outras falhas. A pessoa, ao ser colocada no Ministério, estava revestida de humildade, bondade, mansidão, caridade, amor fraternal, piedade, misericórdia. E agora, algum tempo após estar no cargo, modificou-se? Perdeu aquela paciência que antes tinha, deixou a mansidão, já não usa mais de misericórdia? A irmandade sabia que tu tinhas os requisitos e por isso te recebeu. E agora? Pensas que, mudando de atitude continuarás a gozar do mesmo crédito perante o povo de Deus? Enganas-te! O povo, quando vê que um servo já não anda mais como é digno da vocação em que foi chamado, não recebe mais tal servo. Quantas e quantas cartas que recebemos da irmandade se queixando do Ancião ou do Cooperador de sua congregação!.

… Se estava fora do rumo certo, como um trem que saiu da rota, coloca-te novamente sobre os trilhos e chegarás ao rumo certo. E se alguém, embora ouvindo esta advertência, não pretende voltar ao que era antes, o Senhor que o colocou no cargo o tirará. E talvez até o tire do mundo. Lembremo-nos, queridos, que não estamos tratndo com um homem, mas com o Deus Todo-Poderoso. Não estamos ocupando um cargo maerial, como o de chefe em qualquer oficina ou companhia. Estamos lidando com as cousas santas de Deus!

Há irmãos Anciães e Cooperadores que agem com rigorosidade excessiva e lançam pessoas fora da Igreja. Nessas localidades a Obra vai sempre de mal pra pior. E há Anciães e Cooperadores que nunca lançaram fora ninguém. E a Obra nas localidades que atendem vai as mil maravilhas, abençoadas por Deus.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1965

– CIRCULARES E CONVITES – ABERTURAS E BANQUETES

Tem chegado até nós circulares sobre muitos assuntos, de diversos lugares. Isto não é cousa boa. ….

As aglomerações não trazem proveito para a irmandade. Não convém também convidarmos políticos ou autoridades para o dia da abertura. Geralmente estes desejam se manifestar e temos que negar. Compete aos irmãos do Ministério advertirem a irmandade para não estarem a convidar este ou aquele.

Circulares para Reuniões de Mocidade também não devem ser mandadas. …

Nunca uma circular deve ser mandada sem a assinatura dos servos de Deus. E só se faz circular quando é para alertar a irmandade, e com a autorização dos irmãos Anciães que atendem a região…..

É preferível uma Congregação menor, mas terminada. Somos ensinados pela prática a planejar uma casa de oração que comporte três vezes mais o número da irmandade do momento. Isso é o bastante.

– PÁSCOA E SANTA CEIA

Muitos confundem uma cousa com outra. Pensam que Santa Ceia e Páscoa são a mesma cousa. Mas não é assim. Jesus celebrou primeiro a Páscoa que quer dizer Passagem e assim cumpriu e encerou o Velho Testamento. Depois celebrou a Santa Ceia, instituindo o Novo Testamento em Seu sangue, deixando-nos esse mandamento. (Mateus 25: 17/30; Lucas 22: 7/23; I Cor. 11: 23/29.)

– HINOS PARTICULARES: CANTAR HINOS QUE PERTENCEM A SEITAS

Veio ao nosso conhecimento que, em inúmeras localidades a nossa mocidade e a irmandade em geral estão tomando este hábito de cantar hinos de seitas. Cantam em suas casas e pelas casas de famílias. Este hábito é uma novidade que está entrando e se não fazemos atenção acabaremos nos misturando com as seitas. Nunca jamais façamos isso. Deus tem preparado para Seu povo o novo hinário: “HINOS DE LOVUORES E SÚPLICAS A DEUS” Nº 04, contendo além da maioria dos hinos antigos, mais cento e quarenta hinos completamente novos. Assim pois, não é necessário estar cantando hinos de seitas. Recomendamos também a irmandade para deixar de cantar hinos feitos por irmãos nossos. Há irmãos que fizeram hinos até para casamento! Nós não temos este costume. Assim, devemos nos contentar com os hinos que o Senhor preparou de serem incluídos no novo Hinário e sejamos gratos a Deus também por esta benção e permaneçamos na obediência.

– SEMINÁRIO TEOLÓGICO EVANGÉLICO – PERGUNTAS DE SECTÁRIOS SOBRE COMO A OBRA DE DEUS CRESCE E PROGRIDE TANTO EM NOSSO MEIO

Pessoas pertencentes ao Seminário Teológico Evangélico, que fazem estudos sobre a origem e o desenvolvimento das diversas Igrejas Evangélicas, tem vindo, muito frequentemente, assistir aos nossos cultos. Desejam saber que segredo usamos para a Obra progredir tanto. Temos respondido sempre que não é absolutamente segredo algum, nem virtude e qualidade nossa. É porque esta Obra é de Deus. Pertence a Ele e não a nós.

Temos sido convidados também a fazer parte de debates sobre a Bíblia. Temos recusado, pois o que temos não é sabedoria nossa mas é dom concedido por Deus. Não podemos exibir uma cousa que não é nossa.

– FALSOS DOUTRINADORES

Os servos de Deus que estão perante o povo devem ter grande prudência ao presidirem os cultos, não podemos dar, de maneira alguma, liberdade a pessoas estranhas à nossa fé ou pessoas que não conhecemos ou não se apresentam com carta, para ler ou exortar a Palavra. E mesmo na testemunhança, se começa a falar sobre seitas, religiões ou cultos estranhos, devemos faze-lo calar-se e ir sentar. Temos que ter cuidado com os falsos doutrinadores que rondam a Obra de Deus e desejam se infiltrar em nosso meio. Os dias são maus.

– ESPERTALHÕES – PADRES, ETC.

Há espertalhões que procuram saber os nomes dos irmãos Anciães e Cooperadores, para se prevalecerem disso, apresentando-se em casas de nossos irmãos como se tivessem sido recomendados pelos Anciães e Cooperadores cujo nome decoraram. Devemos então estar prevenidos: quando vier alguém pedindo dinheiro e disser que foi recomendado pelo Ancião tal ou pelo Cooperador tal, tenhamos cuidado e não nos deixemos enganar. Tem havido também casos de sacerdotes romanos que surgem em nosso meio vestidos à paisana. Fazem uma encenação pretendendo demonstrar que se converteram, chegam até a se batizar. Depois andam por diversas outras localidades em meio da irmandade para enganar os simples e obter lucros. Por fim o Senhor os tem desmascarado, livrando Seu povo de tais exploradores. Um servo de Deus, que já dorme no Senhor, disse certa ocasião a respeito dessas pessoas: “Só acreditarei que essas pessoas estão convertidas quando eu ver os frutos.”.

– SUBVENÇÃO DO PODER PÚBLICO

Deputados à Assembléia Legislativa todos os anos obtém do poder público as chamadas verbas pessoais. Estão autorizados a oferece-las a Igrejas, escolas, hospitais, etc. Assim fazendo eles conquistam novo eleitorado. Muitas vezes diversos políticos tem votado essas verbas à Congregação, tanto aqui em S. Paulo e arredores como no Interior e outros Estados. Mas temos sempre recusado. Fazemos um ofício agradecendo e explicando que não podemos receber. Recusando tais donativos, permaneceremos sempre livres, sem nos comprometermos com quem quer que seja. O povo de Deus é livre para votar em quem desejar, sem nossa interferência. Não tratamos de política na Congregação.

– ORAR POR TODOS OS HOMENS E POR TODAS AS AUTORIDADES

Recebemos, há pouco tempo, um ofício de uma entidade religiosa, convidando-nos a enviar um nosso representante a uma determinada convocação, onde iriam orar por todas as Autoridades. Nós não aceitamos tal convite. Respondemos que já temos ensinamento para orar sempre por todas as autoridades e por todos os que se acham em eminência

Nesta parte é conveniente que os irmãos Anciães e Cooperadores exortem constantemente o povo, na hora em que vamos orar, nos cultos, a fim de apresentarem as autoridades em oração a Deus. Ensinamos o povo a orar pelos Reis, Presidentes, Governadores, Magistrados, Senadores, Deputados, vereadores, enfim por todas as Autoridades, civis e Militares.

– REUNIÃO DE CASADOS

Vinha-se notando que essas Reuniões não davam bom resultado. Consultamos então, em 1964, por carta o nosso irmão Ancião Luiz Francescon, este nos respondeu que essas reuniões não podiam continuar, pois estava fora da Palavra de Deus. Houve então uma Reunião de todo os Anciães do Brasil aqui em S. Paulo, na qual foi apresentada essa carta do servo de Deus. Todos unanimemente aceitaram o conselho, vindo da parte de Deus. Ficou deliberado então, a partir dessa data, não haver mais Reuniões de Casados.

– ATENDER REUNIÕES DA MOCIDADE

As Reuniões para a Mocidade devem ser atendidas pelos irmãos Anciães e não por Cooperadores. Quando houver oportunidade de se realizarem essas reuniões deve o Cooperador depender do Ancião. Não deve atender por si próprio.

– OBJETOS E MATERIAIS USADOS PELA IDOLATRIA

Sabemos que tudo o que foi apresentado aos ídolos foi ofertado aos demônios. Portanto, não empregamos nas construções. – …. irmãs usar vestidos de noivas alugados, pois tais vestidos são usados por noivas não crentes perante os ídolos não servem para fazer véus para nossas irmãs orarem ou congregarem.

– COOPERADOR NÃO RECEBER E NEM GUARDAR COELTAS

Há irmãos Cooperadores que costumam guardar o dinheiro das coletas de sua Congregação. Isso pode dar a impressão que a pessoa não tem confiança nos irmãos que foram colocados para receber e guardar a coleta. Não se justifica também que o Cooperador queira exercer controle sobre esta parte, ou fiscalizar. A Obra é de Deus e não nossa.

– ALTERAÇÃO DOS ESTATUTOS

Sendo os nossos Estatutos passíveis de reforma, conforme está previsto no Art. 17º, com o fim único de melhor adapta-los ao desenvolvimento da Obra de Deus, sãos os artigos alterados nesta Assembléia. Assim, em Edital de Convocação publicado no Diário Oficial de S. Paulo, realizou-se perante os irmãos representantes de todas as localidades do Brasil, Anciães, Diáconos e Cooperadores, uma Assembléia Geral Extraordinária, sendo colocados em votação e aprovação, as alterações que se fizeram necessárias. Todas as modificações apresentadas foram unanimemente aprovadas, passando a vigorar os Estatutos e essas disposições a partir da data de registro dessas alterações.

– TANQUES PARA BATISMO

Em algumas localidades tem se colocado azulejos nos degraus e no fundo desses tanques, tornando-se muito escorregadios. Portanto, é necessário colocar nesses degraus e nos do fundo, material rústico. Também é aconselhável esvaziar os tanques após terminado o Batismo para não ficar a água parada e produzir mau cheiro. Em lugares onde o tanque é debaixo do púlpito ou no quintal devemos também cobri-los logo depois do Batismo. Em muitos lugares tem caído pessoas dentro e se machucado e em um lugar caiu a filhinha do Cooperador e morreu afogada. Também, quando os tanques ficam debaixo do púlpito, as tampas devem ser feitas bem resistentes, para suportar o peso de qualquer pessoa ou mais do que uma pessoa.

– SERENATAS

Há irmãos músicos que se reúnem e vão fazer serenata defronte da casa de outros irmãos, com hinos ou outras músicas. Isto não está de acordo, e não resulta em boa cousa. Não passa de uma satisfação carnal. Devemos tocar os hinos para louvar a Deus e não para isso.

– FRASE QUE DEVE SER USADA AO TÉRMINO DA ORAÇÃO NAS CONGREGAÇÕES

O Senhor nos fez sentir de usar uniformemente, em todas as Congregações no Brasil, uma frase que de há muitos anos vinha sendo adotada e empregada pela cara irmandade do Estado do Paraná. É a seguinte: Na hora da oração, quando a irmandade está ajoelhada perante Deus, e o Senhor já deu uma ou mais orações e o servo que preside ao culto ou reunião se sente de levantar, deve pronunciar em voz bem alta a seguinte frase: “DEUS SEJA LOUVADO!”. Assim a irmandade já fica sabendo que o servo está se levantando da oração e todos se levantam juntos.

Fazendo isso evitaremos que suceda o que algumas vezes sucede: A irmandade, estando de olhos fechados, não percebe se o servo se levantou ou ainda está de joelhos, e alguém começa a orar. Então o servo é obrigado ajoelhar-se de novo, ou então bater palmas, avisando quem está orando para interromper a oração. Assim, usando-se aquela frase, não acontecerá mais isso, e fica uma cousa boa e aceitável aos olhos de Deus, pois Deus ama a boa ordem.

– EXORTAÇÃO E COMENTÁRIOS DEPOIS DA PALAVRA

Há em certos lugares, o costume de se exortar as palavras do último hino cantado no culto, após o Senhor já haver mandado a Palavra. Isso não é útil, pois tira a comunhão da irmandade no assunto da Palavra. Outros costumam ler a lista de Batismos após a Palavra. Também não está de acordo, pelo mesmo motivo. Convém que a irmandade volte para casa relembrando a Palavra que Deus enviou.

Há também irmãos Cooperadores que têm dificuldades em ler lista de Batismos. Se quizerem, podem pedir a algum irmão que leia para eles. Mas leiam antes de Deus enviar a Palavra.

– BATISMO – PASSAR PELAS ÁGUAS

Muitos irmãos e irmãs, ao testemunharem tem o costume de dizer: Eu passei pelas águas do Batismo. Esta frase não se deve dizer, pois ocasiona confusão. Quando somos batizados não passamos pelas águas. Entramos nas águas e somos imergidos pelo servo de Deus que faz o Batismo, imersão que é o símbolo do sepultamento do velho homem, ressuscitando nova creatura em Cristo. Assim, o que devemos dizer é: Fui batizado nas águas.

– ASSEMBLÉIA DE DESCENTRALIZAÇÃO – É NECESSÁRIO LEVAR UM ADMINISTRADOR JUNTO

Os irmãos Anciães de quem Deus se usa na realização de Assembléias de Descentralização do Patrimônio da Congregação, devem ir acompanhados quando possível, de um irmão Administrador que tenha prática nesses serviços. Assim serão prestados amplos esclarecimentos aos novos Administradores em cada lugar, para as providências que devem tomar após a Assembléia.

– ÓRGÃOS E BAIXO TUBA

Antes de compramos órgão, devemos verificar se temos possibilidades para adquiri-lo. …..

Quanto aos BAIXO TUBAS, ficou deliberado que sejam tirados das orquestras. Além de ser um instrumento que não orna em nossos conjuntos, tira também a visão dos irmãos que se assentam nos bancos de traz. Ora, não é uma resolução para ser executada imediatamente. Os irmãos que possuem esse instrumento devem clamar a Deus, para que Ele lhes prepare de trocar por um outro instrumento menor. Pode ser por um bombardino, bombardão, etc., ou outro qualquer que seja necessário na orquestra. Consulte-se sempre o irmão Encarregado da Orquestra. Enquanto Deus não preparar a venda ou a troca, o irmão pode ir tocando, porém procurando atender a essa parte logo que possível.

– SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL

Deus fez sentir de constituirmos um FUNDO DE CAIXA PARA ENCOMENDA DE BÍBLIAS. Para isso será feita uma coleta geral em todo o Brasil, encerando-se a 15 de setembro de 1965. Tendo esse fundo de Bíblias, poderemos encomendar e pagar as Sagradas Escrituras na versão Antiga de João Ferreira de Almeida. Quando vendermos essas Bíblias, por meio de nossas distribuidoras, o dinheiro volta para o referido FUNDO DE CAIXA. Então mandamos fazer mais Bíblias, em vários tipos, encadernações e formatos. Nunca mais nos faltarão Sagradas Escrituras. A Sociedade Bíblica do Brasil se prontificou gentilmente a nos imprimir todas as Bíblias que desejarmos, compondo para nós uma chapa da Versão Antiga de Almeida.

Esclarecemos também que, as contribuições para a Sociedade Bíblica que tos os anos Deus prepara de serem feitas, por ocasião da Assembléia Geral Anual, devem continuar normalmente. Foi Deus Quem determinou este auxílio e devemos permanecer na obediência de Sua Vontade. Confirmando estes assuntos expediremos uma Circular que vai ser lida em todas as Congregações do Brasil.

– TOCAR NA CONGREGAÇÃO SEM PALETÓ – PRESIDIR CULTO SEM PALETÓ

Não podemos fazer isso, pois desmoraliza o santo serviço de culto a Deus. Se, perante uma autoridade material, vamos bem trajados e nunca de mangas de camisa, quanto mais perante o Senhor dos Senhores?

Porém temos que nos lembrar de que, se em outras partes os irmãos não tem paletó, isto não é um mandamento e nem uma imposição. Apresentem-se a Deus da maneira que puderem, e Deus aceitará.

– COOPERADOR QUE DEIXOU O MINISTÉRIO PODE LER A PALAVRA

O caso de cada um deve ser considerado. O Ancião que atende a zona deve saber se pode ou não.

– ADVERTÊNCIA SOBRE MANOBRAS DE ESPERTALHÕES

Temos que alertar a irmandade sobre as atividades de indivíduos que fingem ser nossos irmãos para lesar e iludir a muitos. Alguns desses declaram que são vendedores de instrumentos musicais, tomam dinheiro adiantado e desaparecem. Há um outro que diz ser fotógrafo e toma dinheiro adiantado, mas nunca mais ninguém o vê. Assim, quando vemos uma pessoa não conhecida se infiltrar em nosso meio, como irmão, e apresenta determinados negócios, tenhamos prudência. Costumamos dizer que homem avisado é meio salvado. Devemos ser simples como pombas mas prudentes como serpentes.

– RELAÇÃO DAS ALTERAÇÕES HAVIDAS NOS ESTATUTOS EM ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA….. A 17 DE ABRIL DE 1965.

……

Art. 15 – A fim de conservar a unidade de Espírito entre o povo de Deus, far-se-á realizar ANUALMENTE NA CAPITAL DE SÃO PAULO, UMA REUNIÃO DE ENISINAMENTO PARA TODAS AS CONGREGAÇÕES EXISTENTES NO BRÁS, devidamente representada pelos irmãos Anciães, Cooperadores e Diáconos e que será presidida pelo ANCIÃO LOCAL mais antigo no Ministério.

…….

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 07 E 08 DE ABRIL DE 1966

01 – SOLICITUDE PARA O EXERCÍCIO DO MINISTÉRIO DE COOPERADOR ABRINDO SALAS DE ORAÇÃO PRÓXIMAS UMA DA OUTRA

O ministério é um Dom de Deus, não depende da boa vontade nem da solicitude. Quem abre salas de oração com o intuito de ser cooperador, mais não é destinado por Deus para isso, provoca combatimentos e transtornos, colocando peso sobre a irmandade. Quando alguém quer abrir casa de oração, aqui em São Paulo, ficou determinado que deve falar com o cooperador e este fala com os anciães, ora-se e espera-se a vontade de Deus.

05 – ENSAIOS DE MÚSICOS – HINOS NOVOS

Deve-se continuar a fazer de vez em quando os ensaios com a irmandade, para aprender os hinos novos, para gravar bem na memória.

06 – SUBVENÇÃO DOS PODERES PÚBLICOS

Temos no Diário Oficial do Estado que Congregações do Interior continuam a receber subvenções do Estado. Somos ensinados a esperar do Senhor tudo o de que precisamos, não podemos receber esses auxílios. Eles tem fundo político e a Congregação deve se manter afastada completamente da política. Se recebermos, estaremos também infringindo a Lei do País, pois existem disposições que vedam essas subvenções.

07 – HORÁRIO DE CULTOS

Deve-se ter entendimento sobre o atendimento de culto. Se não há testemunhança, abrevia-se e o culto acaba mais cedo. Não é necessário o Ancião ou o Cooperador falar tanto. E se já é tarde, não é necessário cantar o hino final. Há irmãos que falam demais e cansam o povo. Também quando Deus der uma oração completa, já basta. Devemos levantar.

08 – BATISMOS FEITOS MUITO ÀS PRESSAS

Não é conveniente o servo de Deus fazer batismos em localidades, muito correndo, sem doutrinar o povo. É necessário o irmão Ancião fazer se possível, algum culto, para que Deus envie os ensinamentos. Às vezes o cooperador não tem o dom e o povo necessita dos ensinamentos. Fomos chamados para atender a Obra, não só Batismos, mas as necessidades, cuidando da Obra, cultivando, regando, cuidando da lavoura de Cristo.

09 – CASO LEVY DE SOUZA LIMA

Esta pessoa não é mais considerada cooperador e nem nosso irmão. Cometeu atos que feriram a moral, tendo confessado, o mal que praticou. Foi feito circular para toda a irmandade do Brasil, avisando que não recebam tal criatura.

10 – UNÇÃO

Estando um irmão enfermo e pedindo a unção, o Cooperador ficou três dias orando para saber se era da vontade de Deus ir. Não se deve fazer isso. A unção é mandamento da Palavra de Deus. E se o doente morresse? Quando o servo é chamado, deve atender. Quem não atende está fora da Palavra de Deus. Sabemos que a unção não tem o mesmo valor do Batismo. A salvação e a condenação pertencem a Deus. Mas temos grande responsabilidade quando somos chamados a ungir.

11 – MARCAÇÃO DO BAIXO

Com a deliberação dos baixos não fazerem marcação trouxe inconvenientes e desânimo em muitas localidades aos irmãos que tocam esses instrumentos, determinamos nesta reunião fazer voltar a marcação. Podem fazer marcação nas Congregações ao tocar os hinos, como antes.

12 – BAIXOS TUBA

Por serem de campânula muito grande e prejudicarem a visão de quem se assenta atrás, deliberou-se tirar da orquestra esse instrumento, mas não tirar de uma vez só; vão tocando, e quando puderem vender vão se desfazendo comprando outro instrumento.

13 – SERVIÇOS DE FUNERAIS PARA PESSOAS NÃO CRENTES

Se somos convidados a ler a Palavra e a realizar um serviço para pessoa não crente, podemos faze-lo, pois a Palavra não é para o morto, mas para os parentes. Deus pode salvar muitas pessoas que ali estão por esse meio. Entretanto, se vierem sacerdotes de outras crenças não podemos misturar um cousa e outra. Deixemos de ir.

19 – VASOS DE FLORES E FOLHAGENS NOS PÚLPITOS

Não convém colocar vasos de flores e folhagens nos púlpitos ou em outras dependências das congregação. Este é um costume que não aprendemos desde o princípio e devemos eliminar; é uma vaidade e não fica bem. O templo do Espírito Santo é o nosso coração. O importante não é o prédio mas nossos corações. Deus não ama o enfeie e o luxo mas a simplicidade. O povo de Deus deve ser atraído não pelos enfeites e adornos na casa de oração mas, pela presença de Deus. Cristo é o nosso modelo de simplicidade e pela Sua Palavra nos ensina a modéstia.

20 – LEITURAS EXTRANHAS

Sempre fomos ensinados a não ler leituras extranhas à fé, tudo o que necessitamos se encontra na Bíblia. Também não devemos freqüentar outras igrejas evangélicas ou crenças religiosas, pois o que é de necessidade o Espírito Santo que guia os servos de Deus envia à Igreja na ocasião própria.

21- ANCIÃES E COOPERADORES FALAREM ALTO

Há às vezes reclamações da irmandade, de que os Anciães e Cooperadores falam baixo e não se pode ouvir o que falam. Devem se esforçar por falar alto ou providenciarem microfone. O microfone é de grande necessidade e utilidade nas Igrejas, principalmente nas grandes. Deve-se fazer essa despesa e providenciar instalações de microfones, para o bem da irmandade.

22 – LEPROSOS QUE SAEM DOS SANATÓRIOS DE LICENÇA E QUEREM SER HOSPEDADOS EM CASAS DE IRMÃOS

Certos irmãos leprosos internados não tendo obtido alta, mas com licença, procuram a irmandade para ser hospedados. Não é prudente a irmandade hospedar, pois essa moléstia obriga o isolamento do doente do convívio com os sãos.

Os enfermos de lepra, ao saírem, devem ter a devida precaução de não procurarem se hospedar pela irmandade. Os irmãos Anciães e Cooperadores, procurem orientar a irmandade e os enfermos de lepra nesse sentido. Os nossos irmãos doentes de moléstias contagiosas tem licenaça médica para visitar a família e não ficar em convívo com a irmandade. Não é por uma falta de fé e amor, de nossa parte, mas é determinação das Leis do País. Estão livres para se congregar conosco; se não são conhecidos devem trazer carta do Cooperador de onde pertencem, mas serem hospedados não devem pedir.

23 – NÃO DEVEMOS TER IRMÃOS QUE FISCALIZEM A IRMANDADE

Outro ponto que não convém na Obra de Deus, é colocar irmãos na Congregação para ficarem vigiando a irmandade durante a oração, ou durante todo o serviço de culto. As localidades que ainda tenham fiscais, devem atender a este ensinamento e terminar com este sistema. Mesmo os irmãos que estavam como fiscais eram prejudicados, pois nem a Palavra podiam ouvir direito. Assim, os olhos do Senhor é que fiscalizam a Obra e não os nossos.

26 – ALTERAÇÕES DE DELIBERAÇÕES

Tudo o que se delibera pode ser alterado conforme a necessidade do momento. Há cousas que o Senhor responde “SIM” e outras que responde “NÃO”. Nisso nós ficamos e não alteramos, mas, quando Deus não responde nada não há responsabilidade de nossa parte. Assim é que nós consideramos, pode-se alterar segundo as necessidades do momento; é o caso das compras a prestações. Foi sugerido por vários irmãos a conveniência em se comprar terrenos a prestações, porém em nome da CONGREGAÇÃO.

27 – COMPETÊNCIA DE UNGIR ENFERMOS

Ungir enfermos é competência do Ancião ou Cooperador e não do Cooperador de Jovens e Menores. Que cada qual fique dentro de suas funções. Quando o Ancião, ou Cooperador ou o seu substituto não puderem por algum motivo de força maior atender, chamem um Ancião ou Cooperador de outra localidade. E mesmo podem pedir para o irmão Cooperador de Jovens e Menores, fazer só a oração, sem ungir; não é o óleo que sara, mas a oração da fé.

No ano passado foi dito que os Cooperadores de Jovens e Menores, podiam ungir, na ausência do Ancião ou Cooperador, mas agora o Senhor nos iluminou que isso não é da competência dos Cooperadores de Jovens e Menores. É da competência do Presbítero.

28 – NÃO ATRAIR CRIANÇAS PARA OS CULTOS DE JOVENS E MENORES COM PRÊMIOS, BALAS, ETC

Fomos ensinados, desde o princípio a não atrair as crianças com balas, doces ou brinquedos, para que freqüentem as reuniões de Jovens e Menores. Deve se atraí-las com a Palavra de Deus. Devemos despertar em nossos filhos o interesse pela vida eterna e não pelas cousas desta vida.

29 – CARAVANAS PARA IR A CULTOS DE JOVENS E MENORES

Já foi exortado a não se fazer caravanas de Jovens e Menores para visitar outras congregações. Caravanas não dão bom resultados. Deixam os pais preocupados, as crianças se cansam e enfim há muitos inconvenientes.

30 – ÓSCULO SANTO

As irmãs costumam dar três ósculos. Isso é novidade. Devemos nos saudar com um ósculo só. Na Palavra de Deus vem dito: “Saudai-vos uns aos outros com ósculo da caridade”. Alguns irmãos ao saudarem com o ósculo, apenas fazem menção de beijar, mas não beijam. Também está fora da vontade de Deus.

31 – VÉUS

O véu deve ser simples, sem enfeites. Devemos também nisso permanecer na modéstia. Mantilhas ou outro tipo de véus enfeitados não são convenientes, pois demonstram vaidade.

35 – CASAMENTOS

Esse mandamento divino vem bastante se difundido no meio da irmandade. Quando a Obra era nova, pouco se falava; ela era muito pequena. Hoje porém é rara a localidade em que semanalmente não sejam realizados casamentos entre a irmandade. Fazendo-se geralmente uma oração após a cerimônia do civil, evitando-se que, isso possa ser feito em um ambiente que fere a moral cristã. Não se deve realizar cerimônia de casamento nas casas de oração, porque a casa de oração é para se louvar a e apresentar a eterna Palavra de Deus. Necessitamos ter muito cuidado para não irmos para o formalismo, pois um abismo chama outro abismo. Conservamo-nos pois nos primitivos rudimentos que aprendemos do servo de Deus irmão ancião Louis Francescon.

36 – REUNÕES FAMILIARES

Em geral um solícito começa a levantar-se com a Palavra, em uma reunião familiar, contrariando o que sempre temos sido ensinados de levar o caso ao conhecimento do irmão Ancião que atende a zona que julgará essa necessidade, junto aos demais servos do ministério. Algumas vezes a Obra de Deus é colocada em lugares onde alguém da família não está preparado; assim que se examine antes de abrir, para que se compreenda onde se vai coloca-la. A própria família dona da casa necessita estar preparada. Também não deve ser permitido ser aberta em lugares de meretrício ou próximo a ele. Também existem os que com determinada pretensão abrem a Obra em sua própria casa. É necessário que o irmão ancião tudo compreenda, deixando-se para isso, guiar da parte de Deus.

37 – PONTOS DE DOUTRINA

Existem servos de Deus que o que escutam em nossas reuniões lançam na casa de oração que atendem de modo diferente do que o Senhor tem dado. Existem casos em que o ensinamento não é para ser lançado a irmandade. O que é para a irmandade, na ocasião própria o Senhor manda. Deve ser levado a irmandade o que ensina e edifica; quanto a pontos de doutrina é para que cada um dos servos aprenda como deve exercer o Ministério.

39 – CASOS DE OBRA DA PIEDADE

Para se colocar irmãs na Obra de Piedade é preciso usar de prudência. Temos que saber se é da vontade de Deus. Necessitamos examinar se a pessoa tem os requisitos exigidos pela Palavra de Deus. Às vezes, a irmã tem os requisitos, mas o esposo não é crente e isso poderá provocar combatimentos e aborrecimentos para todos. Em casas de oração pequenas não deve haver muitas irmãs e irmãos para a Obra de Piedade. Tem que ser proporcional à irmandade. Não é o grande número de irmãs de piedade que vai solucionar o caso dos pobres, em nosso meio. Quando os diáconos viajam geralmente os irmãos costumam pedir para fazer reunião da piedade, porém eles só poderão faze-las se forem enviados para tal fim, em missão da parte de Deus.

41 – ESTATUTOS

Os irmãos Cooperadores podem presidir as assembléias gerais anuais em sua própria localidade, para prestação de contas do movimento financeiro e eleição do Conselho Fiscal. Não é necessário que o irmão ancião que atende a localidade esteja presente, porém é o irmão presidente da administração que faz a declaração para essas assembléias, assinando as atas juntamente com o secretário pois é uma determinação da lei.

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 01 E 02 DE NOVEMBRO DE 1967

= PREGAÇÕES:

= Filipenses, 2, versos 1 a 18.

…..Nunca façamos cousa alguma por contenda ou vanglória. Coloquemos em tudo o senhor adiante de nós. O campo nesta obra não é nosso, mas Dele. Deixemos de lado a expressão de que somos nós os realizadores de alguma cousa nesta obra. O “Eu” não deve existir. Lembremo-nos que o único que poder dizer “Eu Sou” é o Senhor. Portanto, convém que o Senhor cresça e que nós diminuamos. – …. O povo receberá o que é de Deus. Nunca nós devemos considerar os proprietários deste campo bendito, mas sim, trabalhadores neste campo. Tenhamos sempre muito afeto e carinho para com os santos de Deus. O amor é vínculo forte de união. Sabemos que a falta de afeto pode destruir um lar. E da mesma maneira, nas cousas de Deus, a falta de afeto pode destruir muitos lares. Pode desagregar até Congregações.

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1967:

02 – OS DIÁCONOS CONVÉM ESTAR ENTROSADOS COM OS ANCIÃES E COOPERADORES, PONDO-OS A PAR DO ANDAMENTO, PROGRESSO E TAMBÉM DIFICULDADES DO TRABALHO DA PIEDADE.

Embora os irmãos Diáconos tenha autonomia em sua atuação, é conveniente para si próprio, estarem entrosados com os anciães e cooperadores da localidade ou zona que atendem. Sabemos que, conforme a situação do caixa dos diáconos, necessitando demais contribuição os sevos de Deus podem exortar a irmandade a produzir mais frutos para a Piedade.

Grande parte das localidades já tem congregação construída e a irmandade está acomodada. Estes podem ainda mais colaborar eficientemente nas contribuições para as necessidades e para as viagens. Anciães, cooperadores e diáconos tem funções definidas, mas trabalhem unidos.

2.1 – DIÁCONOS DAS DIVERSAS LOCALIDADES UNIREM SEUS ESFORÇOS……

Existe grande importância a colaboração entre diáconos de diversas localidades entre si, conforme o dom que Deus tem dispensado a cada um, quando o povo recebe o ensinamento de que quem contribui para a obra de Deus está entesourando para o bem de sua própria alma, este povo contribui com generosidade, obedecendo a voz do Senhor em seu coração também em casos de enfermidade, digo de enfermos ou necessitados, ou qualquer outra necessidade é de grande ajuda a ação conjunta de vários diáconos. Vemos também a utilidade de trabalho em conjunto, nos casos em que seja preciso aconselhar ao necessitado e seus familiares. (Nem sempre é preciso socorrer com dinheiro; tantas vezes a pessoa precisa é de admoestações. E aconselhando pelo Espírito Santo, desperta a fé no coração de quem ouve, falando com que alcance o livramento). Carinho, amor e misericórdia são tão indispensáveis quanto a importância que se oferece ao necessitado.

2.3 – IRMÃOS ANCIÃES E COOPERADORES EXORTAREM SEMPRE A IRMANDADE A CONTRIBUIR PARA A OBRA DA PIEDADE

Estes servos devem pedir a Deus que lhes abra as portas da exortação para ensinar a irmandade, movidos pelo Espírito Santo. Onde há diáconos, podem também contar com sua colaboração ao doutrinar a irmandade nesta importante Obra da Piedade. Em lugares onde a Obra é pequena e há pouca irmandade, não convém colocarmos muitas irmãs para o atendimento da Obra da Piedade. Havendo muita gente a trabalhar e a procurar casos de necessitados, surgem também casos que não vem a nosso encontro mandado por Deus, mas pelo desejo de fazer aparecerem casos. Os verdadeiramente necessitados, Deus os encaminha para nós ou no-los aponta. Para esses casos e para as viagens dos servos, necessidades da Igreja, construções, a irmandade, tem que entregar o coração a Deus e se esforçar. E compete aos irmãos Anciães e Cooperadores colaborarem com os diáconos, trazendo sempre à memória da irmandade essa permanente necessidade. Deus recompensará a todos com suas gloriosas benções.

2.4 – VIAGENS DA IRMANDADE A NEGÓCIOS – NÃO DEVEM SE HOSPEDAR, ALMOÇAR OU JANTAR NA CASA DE SERVOS DE DEUS

Este costume de muitos irmãos negociantes tem prejudicado sensivelmente os servos de Deus. E compete aos irmãos Cooperadores, principalmente, levarem este ensinamento ao povo. Quando se viaja a negócios particulares, tendo consequentemente os lucros e vantagens dos negócios a que nos dedicamos, não se deve procurar a casa do servos de Deus da localidade onde estamos negociando para que ali nos hospedamos. …. – Temos notado que estes que sobrecarregam os servos de Deus são geralmente os negociantes de cereais, os mascates e os que negociam com criações. ….

2.6 – ERROS DOUTRINAIS E PREGAÇÕES E ORAÇÕES NOS CULTOS

Os erros de doutrina são prejudiciais, pois induzem os ouvintes a uma compreensão e interpretação errônea dos textos da Sagrada Escritura, trazendo também um critério diferente quanto aos ensinamentos que temos recebido desde o princípio. Certo é que esses erros são involuntários, feitos pelo engano no falar. Então os servos devem ter espíritos de humildade e renúncia ao amor próprio, aceitando de bom grado a correção, retratando-se perante o povo.

2.7 – CORREÇÕES DE ERROS – FAZÊ-LO DE BOM GRADO RETRATANDO-SE PERANTE A IRMANDADE

….quando erramos em algum ponto de Doutrina ou mencionamos uma passagem da Palavra de Deus em lugar de outra passagem e um servo ou qualquer simples irmão nos advertem o erro, agradecemos e aceitamos de boa grado a correção, desfazendo prontamente perante a irmandade o engano, ou se não o pudermos fazer prontamente, façamo-lo na primeira oportunidade. Assim demonstraremos nossa humildade, crescendo então no conceito do povo e dos demais servos, podemos evitar cair em erros de Doutrina no falar,…. – Devemos evitar também aprofundarmos em certos assuntos. Convém usar também nas pregações somente expressões que já conhecemos e entendemos seu significado. Muitos erram porque querem falar com um palavreado difícil, usando palavras cuja significação desconhecem. E daí surge o engano e o falar uma cousa por outra. Portanto, usemos o falar simples, com o qual estamos acostumados ao pregar a Palavra. E Deus nos guiará tudo.

2.9 – CAIXAS DE ESMOLAS

As caixas de esmolas destinadas a se colocarem as contribuições para as diversas coletas, são às vezes expostas muito à vista, à porta de entrada da Congregação. Isto dá uma deplorável impressão como se tratasse de uma caixa de esmolas. Convém então deixarmos estas caixas em lugares mais escondidos. Ou melhor dizendo, conviria eliminarmos as caixas de coletas, fazendo com que o irmão Diácono ou o irmão incumbido de receber a coleta ponha o dinheiro em seus bolsos para cada assunto a que a coleta se destina. Convém decorar cada bolso, tendo sempre em memória qual a coleta que se colocará nele. Para um bolso, coleta para a Obra da Piedade, para outro Construções, para outro, necessidade da Igreja e para outro viagens de Anciães. Pode-se também encomendar ao alfaiate calças com bolsos maiores, ao fazermos nossa roupa, se nossa função é receber coleta. Nas reuniões para a mocidade no Brás, em São Paulo, quando há coleta especial usamos excepcionalmente umas caixas de papelão. Isso porque são quase oito mil pessoas a contribuir e temos quatro portas de saída. Mas em outros casos não usamos caixa alguma. Envelopes podem se usar.

2.10 – CARTAS DE APRESENTAÇÃO – NÃO EMPRESTAR FOLHAS DE BLOCOS

Quem assina carta de apresentação são os anciães e cooperadores. Saibam os que assinam, quão grande é o valor de uma assinatura. É de valor jurídico incalculável. Nunca se deve assinar cousa alguma em branco. E nunca devemos emprestar folhas de carta de apresentação do nosso bloco, pois este tem um número que corresponde ao número que está no relatório, com código de reconhecimento. ……

2.13 – TESTEMUNHO A CRIATURAS SÓ DEVE SER DADO APRESENTADO A SALVAÇÃO – NÃO OFERECER AUXÍLIOS DA OBRA DA PIEDADE NEM PROMETER

Não devemos dar esperanças a testemunhados de que o Senhor os curará de enfermidades se batizarem, ou que a Obra da Piedade os socorrerá. Temos que apresentar somente a salvação em Cristo Jesus. Nunca prometemos curas, pois isto está nas mãos de Deus, não é cousa nossa. E não podemos prometer aquilo que não nos pertence.

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 02 E 03 DE NOVEMBRO DE 1968

= PREGAÇÕES:

= Zacarias, 4, 6/14

….Zorobabel simboliza Cristo Jesus. O servo de Deus está com o Senhor Jesus. Quem afronta ao servo afronta o Filho de Deus. E Deus arrazará quem se coloca contra Sua obra. As mãos do Senhor tem começado esta obra. Também suas mãos a acabarão. Tudo nesta obra é feito pelo Espírito Santo. Sem força ou violência. Não somos nós os que realizamos a obra. Não pelo esforço humano. O Espírito do Senhor é que opera.

Quanto aos dois raminhos de oliveira que estão junto aos tubos de ouro (visão que Deus mostrou ao profeta) esclarece-nos o Senhor: Os dois filhos do óleo representados pelos ramos de oliveira são os dois povos de Deus na terra: O povo de Israel e a Igreja de Cristo ( fim da exortação da Palavra).

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1968:

– I – RECOLHIMENTO DO IRMÃO SECRETÁRIO GERAL DO PARANÁ, ALEXANDRE ADIB ABDULACK

No dia 07 de setembro do corrente ano o Senhor se comprazeu recolher para o repouso eterno o nosso caro irmão Alexandre Adib Abdulack, Secretário Geral do Estado do Paraná. Este fiel servo esforçou-se por fazer a vontade do Senhor por todos os dias de sua vida, até o fim. Oremos por seus familiares a fim de que o Senhor conforte e console seus corações.

– II – NOVO SECRETÁRIO GERAL PARA O ESTADO DO PARANÁ

Nesta reunião é apresentado a todos o novo Secretário Geral para o Estado do Paraná. É o irmão David Rodrigues Alves, colocado por confirmação da parte de Deus, em substituição ao irmão Alexandre Adib Abdulack que já dorme no Senhor.

– III – NOVOS ESTATUTOS E INSTRUÇÕES

Em Assembléia Geral Extraordinária realizada a 12 de abril do corrente ano na Casa de Oração do Brás, em São Paulo, Capital, nossos. Estatutos foram alterados e consolidados. Com registro em São Paulo, tem validade para todo o Território Nacional. ……

VI – CASAMENTOS COM ESTRANHOS À FÉ

Moços e moças que casam com estranho à nossa fé, costumávamos, aqui no Estado do Paraná, a cortar da comunhão da Igreja, não os considerando mais como irmãos. Anunciava-se isso perante a irmandade. Para este critério notava-se entretanto um inconveniente. Posteriormente o Senhor dava lugar de arrependimento ao faltoso ou a faltosa, chamando a esta graça o cônjuge que não era crente, e às vezes batizando até a ambos com a promessa do Espírito Santo. Éramos então obrigados a recebe-los novamente na Igreja. Tal critério ocasionava confusão. Deliberam os servos de Deus que, a partir desta data, não mais serão cortados da Igreja os que se casarem com estranhos à fé: TIRAM-SE-LHES TOTALMENTE AS LIBERDADES NA CONGREGAÇÃO. Não poderão mais chamar hinos, orar, testemunhar, levantar com a palavra, nem exercer ministério algum ou ocupar qualquer cargo. Mas continuam com a liberdade de se congregar. Não podemos tirar-lhes o hinário, a Bíblia ou o véu, pois tais objetos lhes pertencem. E com referência a Santa Ceia, não podemos negar a tais irmãos e irmãs. Participar da comunhão da ceia do Senhor é caso de consciência. Como exemplo podemos mencionar a própria Palavra de Deus, onde se lê que Cristo Jesus não negou a ceia nem a Judas Iscariotes, havendo já o diabo colocado em seu coração trair o Divino Mestre. E também vem dito: Examine-se o varão a si próprio e assim participe deste pão e deste cálice. Portanto, a Santa Ceia não negamos. Quando em nossa Congregação surgirem casos de moços ou moças que estão namorando com estranhos à nossa fé, podemos orar ao Senhor e chamar estes irmãos ou irmãs a conselhos, exortando-os a esperar no Senhor que Ele tudo prepare. Aconselhamo-los dentro da Palavra de Deus a não se unirem com um jugo desigual com os infiéis. Se estão realmente namorando pessoas não crentes, peçam forças ao Senhor e cortem prontamente o namoro, pois certamente Deus se agradará disso e abençoará grandemente quem se colocar dentro da obediência. Se a pessoa atender louvado seja Deus. Se não atender e o casamento vier a se realizar, faz-se então como foi ensinado nesta Reunião: Corta-se a liberdade da pessoa faltosa. Mas continua a ser considerada irmão ou irmã, podendo se congregar.

Convém, os servos de Deus, sempre que o Senhor ponha isso adiante para falar, exortarem a mocidade a não se prender com jugo desigual com os infiéis. Que procurem um santo ou santa de Deus para se unir em matrimonio, clamando a Deus e esperando nele para dar um passo tão importante como esse. Os moços tem mais responsabilidade do que as moças, pois há mais moças do que moços e as moças esperam que os moços as peçam. Se estes, que são em menor número, procurarem pessoas não crentes, a situação a se agravará ainda mais.

Quanto àqueles que, depois de se casarem com estranhos à nossa fé o Senhor perdoa e aceita novamente, não nos compete julgar o operar de Deus. A Obra é dele e não nossa.

Em conclusão: Quem casa com infiel perde o testemunho e é-lhe cortada toda liberdade. Mas cortar não cortamos. Todo membro do corpo que é cortado apodrece. E não queremos ser responsáveis pelo apodrecimento de alma alguma nesta Obra. E quem perdeu toda a liberdade poderá obtê-la novamente quando se notar, pelos próprios frutos, que Deus perdoou e recolheo novamente com a aprovação do alto. Ruth a Moabita, era estranha às Repúblicas de Israel. Mas humilhou-se e amou o povo de Deus e Deus a recebeu. De sua linhagem proveio Cristo segundo a carne. Em nosso meio também casais nas mesmas condições muitas vezes se tornam muito fervorosos, cheios de frutos de justiça. Assim, que os servos de Deus estejam sempre preparados com discernimento, justiça e equidade para julgar e considerar os casos, tendo sempre em mente os amaestramentos que pelo Espírito Santo foram apresentados nesta reunião sobre este delicado assunto. Deus iluminará a todos, não permitindo que os servos de Deus interpretem estes assuntos de modo diferente.

VII – EVITAR FILHOS – ABORTO

Estamos em uma época em que é moda evitar filhos. Os que evitam secretamente, pecam diante de Deus e acertam o caso com Deus. O que não devem fazer é ensinar a outros casais esse procedimento. Se sabemos que alguém ensina a outros como evitar filhos, chamemo-lo a atenção.

Quanto a provocar aborto, é crime. O homicida não entrará no reino de Deus. Assim, se marido ou a mulher, ou ambos juntos, praticarem um aborto, não os podemos ter na Igreja. Não podemos usar de misericórdia com quem não teve misericórdia com a vida do próprio filho.

VIII – PARTEIRAS NOSSAS IRMÃS NA FÉ – CASOS DE ABORTO

Havendo caso de aborto feito por parteiras nossas irmãs, é necessário examinar as circunstâncias. Se a irmã parteira faz isso voluntariamente, por ganância de dinheiro e por exploração, é uma criminosa sujeita ao juízo e condenação pelas leis. E deve ser cortada da Congregação. Mas se nossas irmãs parteiras faz um aborto por ordem do médico, não pode ser acusada nem condenada. É por força da profissão, no atendimento de uma necessidade.

IX – MARIALVA – CASO DO EX-IRMÃO FRANCISCO NOGUEIRA

Este ex-ancião caiu no mal, promovendo vários escândalos. Na reunião geral de ensinamentos deste ano de 1968, em São Paulo, Capital, todos os servos de Deus reunidos julgaram seu caso, considerando-o cortado da comunhão da irmandade. Não é mais nosso irmão.

Há pouco tempo, entretanto, Francisco Nogueira mudou-se para, digo, de Umuarama para Marialva, passando a congregar-se. E por ocasião da santa ceia nesta congregação forçou o Ancião que presidia a este serviço, a dar-lhe permissão de participar na mesa do Senhor. Além disso, quer se inocentar de seus pecados. A irmandade de Umuarama e Marialva, sabendo dessa ocorrência, indignou-se, declarando que, se Francisco Nogueira continuasse a ser considerado nosso irmão, deixariam de se congregar, passando para as seitas. Assim que, o aceitamento desta pessoa em Marialva, está prejudicando grandemente a irmandade, principalmente a de Umuarama.

Para livrarmos a irmandade do Paraná da influência dessa pessoa, é necessário que se faça uma circular assinada pelos anciães de São Paulo e do Paraná, dando-se uma solução definitiva a tal caso e advertindo a toda a irmandade para não o receber.

– XI – CASO RAYMUNDO CAVALCANTE DE PAIVA

Esta criatura não é considerada nosso irmão. É um egresso da Penitenciária Estadual de São Paulo. É estelionatário. Batizou-se em nosso meio por interesses mas não se converteu nem se regenerou de sua vida anterior. Na Capital de São Paulo prevalecendo-se da boa fé e confiança de um servo de Deus, conservou-se de posse de documentos quitados que deveriam ser restituídos àquele irmão ancião, e passou a pressiona-lo desejando receber novamente. Aplicou este golpe de estelionato porque queria que o servo lhe desse permissão para levantar com a palavra. Mas foi reprovado publicamente pelas maldades que maquinou contra os servos de Deus. Não é nosso irmão. Agora este elemento perigoso mudou-se para Ourinhos, onde se apresentou falsamente como um dos cooperadores de Guarulhos. Estado de São Paulo, e teve a audácia de se levantar para pregar a Palavra. Mas foi desmascarado, tendo-se em seguida advertido a irmandade a livra-se dele. Soubemos então que ele mudou-se para Londrina, onde pretende fixar residência, preparando-se para agir em meio à irmandade. Os servos de Deus desta localidade já estão prevenidos e preparados para advertir a irmandade a impedir que ele se infiltre em meio ao povo de Deus.

51 – APRESENTAR-SE PERANTE A IRMANDADE CONVENIENTEMENTE TRAJADO

Dentro de nossas possibilidades procuremos sempre apresentarmo-nos decentemente trajados e em condições higiênicas perante a irmandade. Estando perante um povo o servo de Deus deve usar gravata, assim como diáconos e administradores e até os irmãos músicos. Não se fala de congregações situadas em zonas rurais; cujo costume nos trajes são outros, porém falamos com referência a irmãos pertencentes a Congregações situadas em cidades e centros grandes. É conveniente também cada irmão ter seu lenço, pois por um princípio de higiene antes de nos saudarmos com o ósculo da caridade, se faz calor e estamos suando, devemos usar o lenço. Convém que façamos este aviso nos cultos por causa de irmãos e irmãs simples que necessitam ser orientados.

53 – CONSIDERAÇÕES VÁRIAS SOBRE O BATISMO

O batismo feito por João Batista era um sinal para despertamento dos Judeos e para que os caminhos estivessem aparelhados perante o Filho de Deus e houvesse boa vontade entre os homens. O batismo de Cristo Jesus feito por seus discípulos e apóstolos e tomado como um mandamento até o dia de hoje, veio para arrependimento, lavagem do pecado e regeneração para os povos. Assim que para ser salvo, é preciso crer primeiramente em Cristo, reconhecer-se pecador perante Deus, arrepender-se, aceitando o batismo e renascendo nova criatura perante Deus e o mundo. É o primeiro passo na senda com Cristo Jesus; em seguida, importa ser fiel até o fim da vida, para ganhar a coroa da glória eterna. Quando João Batista terminava sua carreira, declarou, referindo-se ao Filho de Deus: “Convém que eu diminua e que Ele cresça!”. Sobre nós cumpre-se também pela graça de Deus, a parte da Palavra que diz: “Ele (Cristo), os batizará com o Espírito Santo e com fogo.” Portanto, sempre é necessário que o servo de Deus ao realizar o batismo apresente a doutrina ao exortar a Palavra. Com poucas palavras e de maneira clara e compreensível, ao alcance de todos, tanto da irmandade como de creaturas ouvintes..

= TÓPICOS – ASSEMBLÉIA DE 31 DE MARÇO A 04 DE ABRIL DE 1969

= PREGAÇÕES:

– 2º dia: II Timóteo, 1 – 1/18:

….Não tememos o homem. Peçamos ao Senhor para nos tirar o medo. Pelo medo o dom que há no servo fica abafado e não se manifesta. E o que deve funcionar e agir nesta obra é o dom. Cuidemos de nós e guardemo-nos de oprimir a algum irmão, infundindo-lhe medo. Por falta de entendimento o ancião pode oprimir ao diácono e vice-versa. Quem é mais velho no ministério é mais experiente e pode orientar. Mas não guiar e dar ordens, o mais experiente não se assenhoreie do menos experiente. Seja seu conselheiro. Respeito entre os servos não é medo, o respeito é necessário e honroso. Mas o dom não pode ser abafado ou atingido pelo medo. Não tememos ninguém quando se trata de cumprir o que Deus nos determina fazer.

– 3º dia: II Samuel, 20 – 1/26:

….Não tenhamos ambição ou cobiça de cargos e de posições. Quem dá dons e cargos no ministério é só Deus.

…Guardemo-nos do espírito de inconformação, malícia e inveja. – …

= TÓPICOS DE ENSINAMENTOS – 1969:

01 – INÍCIO DO CULTO

O Senhor nos tem iluminado para instituir o sistema de, quando o servo que preside o culto fala: “Deus seja louvado”, o povo se levanta unanimemente. Em seguida o servo diz as palavras de abertura de serviço quando a irmandade responderá o “amém”. É um modo solenemente respeitoso e indica veneração pela presença Santa de Deus.

02 – TÉRMINO DO CULTO EM HORA AVANÇADA

Quando o serviço de culto muito se prolongou e julgamos conveniente suprimir o último hino então cantemos um coro. Pode ser, mesmo sem o acompanhamento da orquestra, só em vozes. Temos o modelo do modo como o Senhor Jesus fez com seus discípulos, “e tendo cantado o hino, saíram para o Monte das Oliveiras”. ”Mateus, 26:30”.

04 – PRESIDÊNCIA DOS CULTOS

Soube-se que em determinada localidade onde a obra é nova o cooperador por motivo de serviço precisando se ausentar, deixou em seu lugar uma pessoa sectária. Não era nosso irmão na fé. O cooperador após, sendo chamado corrigiu tendo se humilhado e pedido perdão.

05 – RAZÃO PELA QUAL NOS LEVANTAMOS AO INÍCIO E TÉRMINO DO CULTO

Pela veneração à presença de Deus que invocamos. Deus faz visita a nosso meio quando nos reunimos em Seu nome. Sua presença é reverenciada durante todo o serviço de culto. Porém levantar-se ao ser iniciado e encerrado o culto, é sinal de respeito. Comparando, quando estamos em nosso lar nos levantamos para receber uma visita e outra vez nos levantamos ao despedi-la.

07 – ÓSCULO SANTO

É doutrina o se saudar com ósculo. Se alguém proíbe, está fora de doutrina e não poderá continuar a exercer o ministério, se insistir no erro. A saudação com o ósculo é mandamento da Palavra de Deus. “Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo”. Romanos, 16:16 – I Corintios 16:20 – I Tessalonis. 5:26”. A Saudação é com um só ósculo, dois ou três é um hábito mundano. Não queiramos ser mais santos do que a doutrina de Cristo. Sabemos também que o beijo da caridade não traz contaminação. Ensinamos também que o ósculo não deve ser dado sobre os lábios nem tampouco sobre a orelha, porém na face. Sendo os irmãos e as irmãs entre si mesmos.

08 – VASCA – TANQUE DE BATISMO

Não usamos mais a palavra vasca; é termo italiano que significa: ânsia, convulsão e náuseas. Devido a que esta obra de Deus no Brasil ter sido iniciada na Colônia Italiana, a palavra vasca difundiu-se e passou a ser usada para designar os tanques onde realizamos os batismos. Não é a expressão adequada, não a usemos mais. Porém a palavra tanque de batismo que é a palavra exata no nosso idioma. É bastante útil para as Congregações em cada localidade construírem tanques de batismos. A congregação de S. Paulo fornece esquemas com o risco e as dimensões para sua construção. O tanque deve ser simples, sem luxo, os degraus devem ser rústicos, assim como o piso dos fundos para se evitar escorregões.

09 – HORÁRIO PROLONGADO EM SERVIÇOS DE CULTOS, REUNIÕES PARA A MOCIDADE, PARA JOVENS E MENORES, SANTA CEIAS, BATISMOS E FUNERAIS

É necessária a prudência quanto ao horário. Não é grato aos olhos do Senhor prolongar-se o horário do serviço; é certo que não há prazo de duração rigorosamente estipulado. Deus não dá o espírito por medida; porém, dá entendimento e nos ensina a ordem. Para que o serviço não se prolongue nos cultos, sejamos práticos principalmente na hora da liberdade para testemunhar. Podemos perfeitamente abreviar as cousas; se o culto termina mais cedo, não existe inconveniente. Vamos mais cedo para casa para repousar e muitas vezes grande parte da irmandade ainda vai jantar. Em batismos também é requerida a mesma prudência da parte do servo que preside; não é necessário mais de uma pregação de palavra, quem prega, permaneça sob o controle do espírito santo, pois, poucas palavras dadas pelo Senhor são melhores que muitas ditas pela nossa vontade. Quem repete muito as cousas, não tem o dom. Realmente, até para fazer batismo é preciso ter dom. O apóstolo São Paulo evangelizava, mas não batizava. Em reuniões para a mocidade ou para jovens e menores quando o servo se prolonga eles cansam-se e tornam-se desatentos, não havendo portanto proveito em tudo aquilo que se diz. Este cuidado deve sempre existir mesmo ao serem realizadas santa ceias e funerais.

10 – LETREIRO INTERNO “EM NOME DO SENHOR JESUS”

Tem havido sempre ensinamentos sobre isso; o letreiro não deve ser enfeitado, nem feito com letras góticas ou em relevo, assim como não convém iluminá-lo. Nós é que devemos ser iluminados pelo Senhor. Que se acompanhe sempre um modelo padronizado………

11 – CONSTITUIÇÃO DA IGREJA DE DEUS

É conveniente que todas as Congregações tenham o quadro revelação da Constituição da Igreja exposto a entrada do salão. A Administração de São Paulo – Capital providenciara a impressão e a armação desses dizeres em moldura. Os quadros serão vendidos pelas Distribuidoras pelo preço de custo. Não é conveniente termos esses quadros pendurados em nossas casas, eles são feitos para uso nas Congregações.

12 – HORÁRIO E DIAS DE CUTOS

É deliberado que cada congregação, afixe-se uma placa externa na parede da fachada ou no jardim com os dias de cultos e respectivo horário. Essas placas são muito úteis, especialmente onde não existe moradia para o zelador e mesmo porque a casa do zelador geralmente é construída nos fundos; assim a placa auxilia e esclarece. Contudo, não deve haver precipitação para cumprir essa resolução; que se deixe o assunto para a Comissão de Construção e a Administração. Aos poucos todas as Congregações possuirão a sua placa externa afixada.

13 – CASAMENTOS DE SERVOS DE DEUS VIÚVOS COM IRMÃS JOVENS OU DESQUITADAS

Não vem tendo boa repercussão certos casamentos realizados em casos tais. Delibera então, agora, o Conselho de irmãos anciães tirar o ministério do servo que proceder desta maneira. Não é proibido casar novamente, especialmente quando um servo de Deus viúvo tem filhos menores ou mesmo porque não pode ficar só. Que ore a Deus e procure uma irmã na idade condizente com a sua, fazendo as cousas com ordem e decência, lembrando sempre a responsabilidade de seus atos perante a irmandade. Que se evite namoro e noivados longos. Que se honre a Palavra de Deus; que se honre o Ministério e a reputação desta obra de Deus. É necessário que sejamos espirituais e não carnais; da mesma forma não é lícito casar-se com desquitada. Que não se vá atráz do nosso gosto, porque ele tem que combinar com o querer de Deus e a boa repercussão em meio a irmandade, assim Deus abençoará a quem obedecer todavia, que se deixe passar longo tempo de viuvez para contrair novas núpcias, temos que evitar a murmuração.

14 – EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO

Os filhos de nossos irmãos alunos de estabelecimentos de ensino devem frequentar aulas de educação física. Não podem ser impedidos; é coisa útil e obrigatória. O que devemos impedir é que nossos filhos participem de qualquer demonstração de caráter religioso ou idólatra. Nos colégios existem a fanfarra, que é uma banda composta de alunos apropriada para acompanhar desfiles escolares, nossos filhos podem ser componentes desses conjuntos, pois não os afeta em cousa alguma. Existem colégios que costumam ter distintivos; nossos filhos podem usa-los porém se tiverem imagens ou outros símbolos de idolatria, não permitamos que use.

15 – INIMIZADES DE SERVOS DE DEUS

Algumas vezes por uma circunstancia adversa, servos de Deus se encontram em controvérsia, ou tendo qualquer acaloramento de palavras que os deixam com a comunhão interrompida. É indispensável que a situação se conserte o mais depressa possível. Enquanto não se regualariza, não é admissível que os servos de Deus envolvidos se levantem para pregar a Palavra. Com poderão pregar estando desligados da comunhão e do amor? Assim é necessário reconciliarem-se e perdoarem-se do fundo do coração, encerrando o assunto e deixando toda prevenção, quando poderão então livremente se levantar para exortar e ensinar.

16 – DESQUITADOS PARA O MINISTÉRIO OU OUTRO ENCARGO NA OBRA DE DEUS

A Palavra de Deus nos ensina o único motivo que é permitido o divórcio ou o desquite é a infidelidade conjugal. Em Nosso país não existe o divórcio; nossas leis não o permitem ainda, todavia a parte ofendida pode desquitar-se. A Congregação não despreza quem busca por necessidade uma outra união matrimonial em país que a lei o permite. É preferível obedecer a lei de Deus do que cair em pecado. A irmandade pode receber como fiel quem, para evitar o pecado necessitou dar esse passo. Porém o que nós, servos de Deus, não podemos fazer é apontar irmãos ou irmãs para algum cargo ministerial ou administrativo ou para qualquer outro encargo na Obra de Deus. Não podemos colocar no ministério pessoas desquitadas; mesmo na lei de Moisés vemos que não era permitido aos sacerdotes casarem-se com mulher repudiada. “Levítico 21; 7/8/14”. Todavia, se faz uma ressalva: se algum servo já estava no Ministério e por infidelidade teve seu lar desmanchado por infidelidade conjugal, tendo então que desquitar-se, este pode continuar exercendo o ministério, reconhecendo-o a Congregação como fiel se porventura casar-se novamente por lei de país que permita.

17 – MANIFESTAÇÕES ESTRANHAS NOS CULTOS

……muitos se introduzem e se infiltram em meio a irmandade embora não pertencentes à nossa fé. Tem havido caso de espírito sedutor se manifestar na hora da oração por meio de pessoas pertencentes a seitas. O servo de Deus atento aquela manifestação estranha, começou a orar, interrompendo assim aquilo que não era proveniente de Deus. O conselho em que temos de nos firmar é o de doutrinarmos sempre a irmandade para que nessas ocasiões clame pelo sangue do Senhor Jesus, em voz baixa ou dentro de si. Se se invoca o Sangue de Cristo Jesus, nenhum espírito contrário pode permanecer no meio de nós. Retira-se prontamente, deixando o povo de Deus em paz. Temos que exigir carta de apresentação de pessoa proveniente de outros lugares que desejam testemunhar. Pessoas estranhas à nossa fé não devem ter liberdade, muito menos devemos convida-las para ler a Palavra.

18 – VASOS COM FLORES E FOLHAGENS DENTRO DAS CONGREGAÇÕES

Não temos por costume enfeitar com vasos de flores e folhagens o interior de nossas Congregações. Isso é um princípio de idolatria; quem enfeita a Congregação é a presença de Deus. E por essa bendita presença devemos ser atraídos. Se não tomarmos toda atenção cairemos no erro da idolatria, desviando-nos do nosso caminho que é para o céu. Temos que permanecer nos fundamentos que aprendemos desde o princípio.

20 – REUNIÕES CLANDESTINAS

Reuniões de cultos, mesmo familiares abertas sem se avisar aos anciães, geralmente ocasionam transtornos, quase sempre tais reuniões estão localizadas bem próximo a uma casa de oração onde a irmandade da vizinhança se congrega. Solícitos abrem então uma sala, realizando reuniões nos dias em que não há cultos na casa de oração principal; pois se for realizado nos mesmos dias não haverá irmandade para frequenta-la. Assim os servos de Deus no geral se encontra na contingência de parar tais reuniões. Que nada se faça arbitrariamente, de forma clandestina, porém às claras, dependendo sempre do Conselho e orientação dos servos que Deus tem colocado para cuidar da obra.

23 – SITUAÇÃO FINANCEIRA DE SERVOS DE DEUS

Já foi deliberado que o servo de Deus que mudar de sua localidade, abandonando o cargo ministerial, perde esse ministério. O ministério lhe foi dado no lugar onde ele está e não para outra localidade em mudança. O critério é um só; se permanecermos nos fundamentos antigos tudo irá bem, porém se tentarmos introduzir o sistema de irmãos de um lado para outro, deixaremos os fundamentos pelos quais Deus nos fez crescer e edificar até o presente, às vezes Deus nos quer provar com situação financeira difícil, todavia confiemos Nele.

24 – CLAREZA NA APRESENTAÇÃO DE CASOS

Ao apresentarmos um caso em reunião, façamo-lo com toda clareza para melhor compreensão, dos demais servos presentes. Um caso deve ser apresentado a Deus para dele receber a resposta, com todos os detalhes necessários e assim em comunhão o Senhor revela a seus servos a sua determinação no caso. De mais a mais é necessário constar de ata para o que também é preciso os detalhes mínimos do caso.

28 – TER O ESPIRITO SANTO E TER O DOM DE EVIDÊNCIA DE LINGUAS

Todos os que temos nascido no Senhor Jesus temos recebido o Espírito Santo, na nova regeneração que então se evidência de línguas, como já o tem feito no meio da irmandade, cumprindo o que prometeu pelo profeta “Joel, cap. 2, vs. 28/29”.

29 – ORAÇÃO

Convém ensinarmos a irmandade este ponto doutrinal, nunca nos dirigirmos a Deus em oração EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRTO SANTO. Dirigimo-nos sempre a Deus Em nome do Senhor Jesus, assim como as demais cousas também o fazemos nesse Nome.

31 – VISITAS A DESVIADOS E ENFRAQUECIDOS NA FÉ

Ao fazermos estas visitas estejamos acertados de que é Deus Quem nos manda; comunicando ao mesmo tempo ao servo de Deus que iremos fazer tais visitas, em se tratando de outras localidades. Assim estaremos em liberdade para convidar ao desviado ou fraco na fé para novamente se congregar. Se não agirmos de tal forma criaremos confusões e transtornos eventualmente para o ministério local.

32 – BAIXO-TUBA E RABECÕES

Conservemos a mesma deliberação já tomada. É para eliminarmos de nossas orquestras. Todavia não oprimamos a músico algum; nem obriguemos a se desfazer do instrumento de um momento par outro. Vamos tolerando e aguardando até que Deus prepare outro tipo de instrumento para esses irmãos, pouco a pouco. Baixo-tuba e Rabecão, desaparecerão de nossas orquestras.

33 – SUICIDIO

São casos raros a ser chamado um servo de Deus para orar em tal caso. Não podemos impor mandamento: nem dizemos para ir ou para não ir. O servo de Deus deve deixar-se guiar da parte do Senhor. Se Deus nada faz sentir, fica em paz. E se o Senhor fizer sentir pode ir que não há prejuízo algum. Não olhemos com os olhos da carne, porém com os do Espírito, pois ninguém pode medir a extensão da misericórdia de Deus. Se na tentativa de suicídio ocorre a morte, nada temos a fazer. Não se faz o serviço de funeral, porém, se nos sentirmos podemos fazer uma oração para a família, após o corpo haver saído. Compreenda-se que para suicidas não se faz serviço de funeral, mesmo que tenha sido orado por ele antes de morrer.

34 – CASAMENTOS COM INFIÉIS

Não podemos orar em tais casamentos, assim como não devemos enviar outro irmão sem ministério para faze-lo. Se enviássemos, estaríamos delegando nossa responsabilidade ao irmão enviado. Não tenhamos respeito por pessoas que não acataram a Palavra de Deus, no entretanto certos casamentos com pessoas não pertencentes a nossa fé, surgiram por causa de grande necessidade. Não massacremos tais pessoas, nem as cortemos da comunhão da Igreja. Porém quem se casar perante o ídolo perdeu o direito de ser considerado como irmão ou irmã da mesma fé. Ao se ter conhecimento que um irmão ou irmã namora ou estão noivos com pessoas pertencentes, aliás, estranhas a nossa fé, procuremos aconselhar com todo o amor. Se houver uma insistência que resulte em casamento, o irmão não terá liberdade em testemunhar ou chamar hino nas Congregações, também não participando da Santa Ceia. O infrator que busque a Deus até que Ele manifeste frutos de Justiça; quando Deus manifestar o perdão, a pessoa se levanta em testemunhança pedindo perdão também em publico a Deus e a toda a irmandade. No entretanto os irmãos cooperadores do ofício ministerial não devem tirar a liberdade na Igreja sem consultar o irmão ancião que atende a região. Se fizer as cousas de comum acordo nunca poderão surgir complicações e aborrecimentos.

37 – REGIÃO

O conjunto de várias congregações atendidas por um servo de Deus deve ser conhecida como Região.

38 – MILITARES PRESIDINDO CULTOS

Existem irmãos cooperadores que são militares; em certos dias de cultos não lhes sobrando tempo parar ir até a casa trocar a farda por trajes civis presidem os cultos fardados. Isto não está bem e não proporciona um bom aspecto. Se não tem tempo para ir para casa trocar-se deixe um terno na Congregação e mude de roupas antes de abrir o culto. Aconselha-se a todos que presidem cultos ter discreção no trajar, evitando roupas muito vistosas ou de cores demasiado vivas. Sempre que possível convém os servos usar gravata. Quanto aos irmãos músicos sempre tem vindo ensinamento, das grandes cidades onde há maior comodidade os músicos devem apresentar-se com gravata, porém nas regiões rurais não é possível exigir isso. Que usem gravata quando as possibilidades o permitirem.

40 – HINÁRIO EM CASTELHANO

Pelo intercâmbio que Deus nos tem proporcionado com a cara irmandade das Repúblicas da Argentina e do Uruguay e pelos testemunhos partidos do Brasil pra o Paraguay, Bolívia e Espanha, onde Deus tem levantado Sua Obra, surge a necessidade de se traduzir nosso hinário para o idioma Castelhano, a fim de que nessa parte também haja uniformidade, e caminhemos todos dentro de um mesmo andamento em unidade de Espírito. Será editado inicialmente um hinário contendo duzentos hinos para adultos e cinqüenta para as reuniões de jovens e menores. Quando Deus preparar que fique pronta a tradução de todo o hinário, editar-se-á o hinário completo. Para esta edição inicial imprimir-se-ão cinco mil hinários simples sem música, sendo que os irmãos músicos desses países usarão o mesmo hinário que usamos com as Palavras em Português. O Senhor tem preparado que essa impressão seja custeada com o auxílio de parte da coleta realizada por ocasião da reunião geral anual de 1969.

41 – ADMINISTRADORES NAS REUNIÕES GERAIS DE ENSINAMENTOS

Nossos irmãos administradores das diversas localidades do País tem comparecido a estas reuniões, um de cada Administração em ocasiões especiais, ou seja quando há alteração estatutária ou outro motivo de força maior. Porque não podem vir todos e em todas ocasiões? Pelo motivo lógico de que não há lugar para todos. No geral os assuntos das reuniões são para os irmãos de ministério; todavia quando há assunto pertinente à administração constam deste resumo e em caso necessário são enviadas circulares pondo os administradores a par das resoluções.

42 – EXPRESSÕES INADEQUEADAS PROFERIDAS PERANTE O POVO

Devemos tomar cuidado com certas expressões ditas perante a irmandade. Mesmo quando se exorta sobre vaidade, modas, televisão, rádio, tenhamos precaução sobre os termos que vamos usar. Temos que nos conservar na santidade; é nosso dever respeitar a irmandade, usando linguagem sã e irrepreensível, isto é o que nos recomenda a Palavra de Deus. Que não se use de violência e nem de palavras ou modos que venham ferir a dignidade de quem quer que seja.

43 – POLÍTICA

O servo de Deus não pode se envolver em política. Esta advertência é feita a todos que participam do ministério; será empregada toda a energia na repreensão a tal erro. Sempre se aconselha aos irmãos do ministério a se conservarem afastados da política, no entretanto se tem conhecimento que alguns irmãos cooperadores do interior deste Estado e também de outros Estados, tomam parte ativa na política fazendo campanhas eleitorais, tornando-se assim cabos eleitorais e filiando-se a partido e alguns candidatando-se. Não permitiremos tal cousa; tomaremos medidas severas contra esses cooperadores que menosprezam o conselho e se rebelam contra uma determinação doutrinal desta obra. Quem quiser insistir e continuar na política, será tirado do ministério. A pessoa terá que escolher: ou o ministério ou a política. Os que desprezarem o ministério estarão desprezando o trabalho para o Rei da glória e abraçando a vanglória deste mundo. Não são dignos de serem considerados como nossos irmãos na fé. A Congregação e os que pertencem ao ministério e a administração devem se conservar neutros, quanto à política. Honramos as autoridades constituídas e ensinamos a irmandade a cumprir com o dever cívico, votando livremente no candidato que preferir. Não é permitido influir ou forçar a irmandade votar neste ou naquele candidato. Somente doutrinamos a irmandade a agir segundo a consciência, não votando em candidato do partido que nega a existência de Deus.

45 – DEVERES CÍVICOS

É dever de qualquer cidadão brasileiro atender, quando for nomeado pelo Tribunal Eleitoral para trabalhar em sessão eleitoral. É só no dia da eleição; nós não podemos nos negar. Estamos sujeitos as leis. Isto nada tem a ver com política, nem com ensinamento que se mencionou no item 43, é simplesmente um dever cívico que a pessoa cumpre.

46 – TRIBUNAL DO JÚRI

Se formos sorteados para esse tribunal não nos podemos negar. É um dever nosso atender e cumprir essa tarefa da lei fazendo parte do corpo de jurados da localidade onde moramos.

47 – QUAL A PESSOA PRONOMINAL QUE DEVEMOS USAR AO NOS DIRIGIR A DEUS

Temos que nos dirigir a Deus com o tratamento da segunda pessoa do singular, ou seja, “TU”. Alguns quando se dirigem a Deus em oração costumam falar “Vós ó Deus”. Nós não aprendemos assim pela Escritura Sagrada. Desde os patriarcas, profetas e apóstolos todos dizem: “Tu ó Deus”. Principalmente encontramos exemplo que nos tem deixado Cristo Jesus, quando nos ensinou o Pai Nosso. Nesta oração somos ensinados a chamar a Deus de Tu.

48 – PONTO DOUTRINAL – CONSIDERAÇÕES SOBRE AS PALAVRAS QUE SE PRONUCNIAM AO BATIZAR

O saudoso servo de Deus irmão Louis Francescon deixou-nos esclarecimentos sobre este ponto. O modo de batizar e a missão do batismo encontram-se em Mateus 18,19 “…”. A palavra ide exprime a ordem que Jesus nos dá e consequentemente a missão com a qual Ele nos envia. O MANDAMENTO DE BATISMO encontra-se em Atos dos Apóstolos 2, 38: “…”, para perdão dos pecados. Unindo-se os que vem dito nessas duas passagens, encontramos as palavras a serem ditas no batismo: “IRMÃO EM NOME DE JESUS CRISTO TE BATIZO, EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPÍRTO SANTO”.

49 – “EM NOME DE JESUS” OU “EM NOME DO SENHOR JESUS”

A diferença no emprego destas expressões no Novo Testamento “EM NOME DE JESUS” é frase usada na apresentação da salvação ao pecador e sempre que a expressão é dirigida a pessoas não crentes, conforme podemos ver claramente nos seguintes pontos: Atos 2-2:38 – 3:16 – 4:10 e Romanos 6:31. “EM NOME DO SENHOR JESUS” é frase usada quando a palavra se dirige aos salvos, aos crentes, conforme os capítulos Atos 8:16 – 19:5 – Colossenses 3:17 e I Corintios 5:14. O filho de Deus veio a este mundo tendo duas naturezas. A natureza humana e a natureza divina. Por isso Ele é chamado verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Como homem padeceu na cruz, para remir a humanidade. Como homem conheceu a morte e desceu ao sepulcro. Nós, quando cremos em Jesus Cristo e o recebemos por fé, ao sermos batisados, na semelhança do sepultamento morremos com Cristo. Mas o Senhor Jesus desceu à morte. Esta não o pôde reter. Ele ressuscitou ao terceiro dia, triunfante e glorioso. Depois da ressurreição é que Deus o fez Senhor e Cristo. E nós quando saímos das águas do batismo ressurgimos em novidade de vida, tendo em nós a vida de Cristo. Temos a natureza de homem glorificada em nós mesmos. O primeiro batismo na igreja apostólica foi feito em nome de Jesus Cristo. E não em Nome do Senhor Jesus. Na Convenção que Deus nos deu de realizar em 1936 ficou deliberado que quem não se conforma com as palavras de batismo não tem o Espírito de Cristo, e não pode ter ministério. Nesta reunião aprendemos doutrina que não é ponto de vista deste ou daquele, mas a Santa verdade encontrada na Palavra de Deus.

54 – TOCAR EM DINHEIRO DA CONGREGAÇÃO É DE COMPETENCIA DOS IRMAOS ADMINISTRADORES E DIÁCONOS

Os irmãos Anciães e Cooperadores não devem tocar em dinheiro da Congregação. Deixem esse encargo para os irmãos a quem o Senhor tem colocado para isso. Tenhamos todos grande prudência. Deus nos tem colocado no ministério para cuidar da parte ministerial e não das cousas materiais. Não existindo administração o Senhor prepara alguns irmãos para lidar com o dinheiro. Todavia ainda existe a faculdade de que seja solicitado o auxílio de administrações próximas para cuidar da parte financeira, caso não existam irmãos preparados na localidade. Os diáconos tratem do ministério da piedade e atendem a todo o setor o qual Deus os tem colocado.

55 – CONTAS EM BANCOS

……- O dinheiro que entra para a obra da piedade os irmãos diáconos depositem em conta também em nome da Congregação, sendo possível em um outro banco para que seja evitada a confusão e mistura de dinheiro. Se for depositado no mesmo banco dá-se uma numeração as contas. Para os diáconos abrirem conta em um banco é necessário que a administração de procuração para movimentar a conta deles. Não havendo mais de um diácono a procuração pode ser dada a um outro irmão que trabalhe na Obra da Piedade.

58 – NOVOS ESTATUTOS

Já estão em vigor os novos Estatutos aprovados a 12 de abril do ano passado (1968) e registrado no Cartório do 1º Ofício do Registro de Títulos e Documentos no Livro “A”, nº 18, do Registro de Pessoas Jurídicas sob nº de ordem 16017….- Após junta-se uma ata dessa assembléia e uma certidão do registro em referência supra averbando-se em cartório ao primitivo estatuto, já que as modificações estatutárias só foram feitas em parte. A certidão é fornecida as administrações pela importância de dois cruzeiros novos, assim como o folheto de instruções dos novos estatutos pelo preço de vinte centavos. ……

59 – PRESENÇA DAS ADMINISTRAÇÕES NAS REUNIÕES MINISTERIAIS – ATAS

Sempre que se delibera alguma coisa, é necessário seja feita ata da reunião. Onde só existem irmãos cooperadores do ofício ministerial, é conveniente as administrações fazerem parte das reuniões assim como também onde existem irmãos anciães, principalmente em casos de resoluções, compras, reformas e outros assuntos que necessitam constar em ata. Os administradores devem sempre se conservar unidos com os servos de Deus; sempre prontos a acatar tudo o que o Senhor dá em ser deliberado, dispostos e de bom ânimo para colaborar nos empreendimentos necessários. Nunca devem tomar posição contrária ao que os servos de Deus deliberarem. Embora algumas vezes não tenham compreendido o que o Senhor dá em resolver em certos assuntos de caráter particular, íntimo só dos servos de Deus, dispensa-se a ata e a presença dos irmãos administradores, como sejam troca de idéias ou considerações gerais sobre o andamento da Obra de Deus. Na apresentação de um nome para um cargo ministerial e mais outros casos semelhantes, não é necessário os administradores estarem presentes.

60 – CONSELHO FISCAL

Os irmãos do conselho fiscal não devem dar qualquer parecer ou parecer anual se tudo não estiver em boa ordem. Não deve ser atendido pedido do servo de Deus para tal fim; caso a documentação não se encontre em ordem, suspendendo-se a realização da Assembléia para que a administração tome as providências necessárias.

63 – RECENSEAMENTO NACIONAL

A 1º de janeiro do próximo ano (1970), de acordo com a lei, será realizado o Recenseamento Nacional. Somos obrigados a responder o questionário e em geral o cabeça de casal, deve preencher esse questionário e, quando responder à pergunta de religião, incluir todos os filhos como crentes da Congregação, embora não batizados. Sendo classificados com protestantes, segundo determina a pergunta do questionário. Quanto às Estatísticas enviadas às Congregações deve cada localidade responder aumentando 30% na quantidade de irmãos para se evitar que menores não batizados, sejam computados para denominação que prevalece no Território Nacional. Sendo irmã viúva deverá também responder o questionário como aqui é explicado.

= REUNIÃO DOS DIÁCONOS – 1969

67 – DESPESAS FUNERÁRIAS

…. – em casos tais não havendo familiares para ajudar cumpre-nos custear o funeral. Não é admissível um irmão nosso ser enterrado como indigente; somos uma família unida, que manifestação de amor estaremos dando perante o mundo e mesmo perante a irmandade, se deixarmos que um irmão ou irmã sejam sepultados como mendigos. Por outro lado, lembremo-nos que a família do morto tem obrigação de custear as despesas de funeral; a Obra da Piedade só atenderá nesse caso quando a família é extremamente pobre e que é conveniente seja conhecido dos irmãos anciães e cooperadores. Pode ocorrer atendimentos momentâneos de despesas de funeral; como o INPS sempre tarda alguns dias para efetuar o pagamento do custeio do funeral e a família não tendo possibilidades a Obra da Piedade pode adiantar o numerário preciso. Quando a família for reembolsada, reembolsará também a Obra da Piedade, este é o critério mais acertado.

68 – ATAS

Só serão lavradas de reuniões regionais; para as semanais ou quinzenais não são necessárias; existindo comprovantes no geral das importâncias distribuídas. O controle do que é distribuído tem caráter inteiramente sigiloso, sendo acessível somente aos próprios diáconos ou à fiscalização pública. A própria lei exige esse controle; anotamos tudo para satisfazer a exigência legal.

69 – RECUSAR-SE A ATENDER A OBRA DE DEUS

Existem servos de Deus que, alegando ocupação no serviço material, embora estabelecidos, recusam-se a atender os casos na Obra de Deus. Isto nem serviço é justificável. Se ocorrer com um diácono não demonstrar ele disposição em servir a Deus, deixe então o cargo. O Senhor colocará outro que tenha desejo e disposição para trabalhar nesta bendita Obra, e que coloque as cousas de Deus acima de qualquer interesse.

70 – CONTRIBUIÇÕES PARA VIAGENS

…..- os frutos são para os servos que partem em missão confirmados por Deus em oração do Ministério. Não é conveniente que a parte da piedade seja fundida com as atividades da administração; temos tido exemplos de ocorrências nesse sentido: as construções da Congregação – S. Paulo poderão sofrer atrasos se for lançado mão de disponibilidades de caixa-geral para atender necessidades de viagens em missão. Caixa centralizada de contribuição para viagens dá ótimos resultados; em São Paulo – Capital, existem cerca de trezentas casas de orações, todas contribuem unidas para uma caixa só de viagem. …..- No Estado do Paraná pela graça de Deus isto tem dado excelentes resultados. Assim sendo em uma Congregação onde exista ancião, realiza-se mensalmente coletas regionais, abrangendo todas as Congregações que esse servo atende..

71 – ABANDONO DO TRABALHO SOB ALEGAÇÃO DE ATENDIMENTO DO MINISTÉRIO

Não se justifica tal atitude. …. – Porém quando existe solicitude por parte do servo ele sae fora do querer do Senhor, e começando assim a prejudicar o seu trabalho. Surgem então problemas com o empregador, ao final a perca do emprego ….. – …quando Deus envia, tudo é diferente. Deixamos tudo em suas mãos e partimos para atender a Obra; Ele cuida do que é nosso e nos faz prosperar, e o Espírito de Deus realiza a obra do Ministério. Nasce às vezes muita precipitação dos servos de Deus ao atender a convite para visitas; procuramos a guia do Espírito Santo e não o desejo de quem quer nossa visita. Quem se encontra em situação difícil, analise-se por ventura não se acha neste artigo, devido a própria solicitude e imprudência.

73 – AUXILIARES DO DIÁCONO NO CONTROLE DE CAIXAS CENTRALIZADAS

Estes auxiliares estão prestando ótimos serviços junto aos irmãos diáconos. Peçamos ao Senhor para que Ele nos ilumine e aponte elementos para esse cargo; irmãos que tenham os requisitos e os dons para trabalhar no serviço da Obra da Piedade, na função de auxiliar de diácono. Mesmo que sejam simples irmãos, sem cargo algum na Obra. Se por ventura tais requisitos e dons estejam em um irmão pertencente a administração e Deus confirmar sua colocação como auxiliar do diácono, o irmão passa a exercer também este cargo continuando na administração.

A função de atendimento a servos que viajam é extremamente melindrosa, não deve ser revelado quanto se deu ou quanto se deixou de dar para o servo que viaja em missão. Não se pode contar nem à própria esposa. O auxiliar de diácono deve também ter a virtude do sigilo; empregando o raciocínio, os cálculos e as regras diversas que regem esse setor, sempre com a guia do Espírito Santo. Não auxiliar a vontade e nem ser avarento. As Caixas centralizadas não se organizam; são instituídas pela guia do Senhor.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s