O barulho nas Congregações

Não durmamos a respeito dos santos princípios que nos foram transmitidos. Muita oração e vigilância tornam-se necessárias. Pela inspiração do Espírito Santo o apóstolo Paulo ensinou o silêncio, a decência e a ordem entre nós, quando a igreja se congrega num lugar para celebrar o santo culto a Deus. (I – Cor. 14, v. 23, 25, 28, 34 e 40).

Preocupava também o apóstolo com a impressão causada aos visitantes que entrassem para assistir ao culto porque, conforme o comportamento da igreja, ou testificariam que Deus estava entre eles, ou as visitas sairiam escandalizadas.

A ordem, a decência e o silêncio nos cultos são reflexos da espiritualidade e da luz que estão no servo de Deus que preside, o qual não só maneja bem a Palavra da verdade em sua pregação, com sábia explicação de conselhos que abrem a mente do povo, como também conduz a irmandade a estar sob o controle do Espírito de Deus, para que haja moderação e luz nas orações, nos testemunhos e no comportamento de cada um durante o culto divino.

Se não for assim, os cultos transcorrerão debaixo de entusiasmo carnal, exibição pessoal nos testemunhos e nas orações, exageros, gritarias infantis, sem discernimento do que é decente para a igreja de Deus; com isso dissolve-se a pureza dos cultos, ocasionando escândalos e mau testemunho.

Insistimos com nossos conservos sobre a vigilância a respeito de certos grupos de irmãos que, sem preparo espiritual, se introduzem nas igrejas e com suas manifestações concentram sobre si a atenção da irmandade, com orações, glorificações e testemunhos exagerados e gritando ao máximo da altura da voz, visando inflamar os presentes, desviando-se totalmente do sentido sacro que deve haver em nossos cultos.

Com o passar do tempo algumas igrejas estão como que habituando-se a essa rotina nos cultos, o que reflete uma dormência espiritual.

Quando o irmão do ministério que preside o culto percebe que isto vai ocorrer, deverá exortar e não deixar o culto à mercê e ao domínio desses grupos, mas exortar pelo Espírito do Senhor a que se controlem e, assim, evitará que um espírito estranho tenha ocasião de perturbar.

Há manifestações que são do Espírito de Deus e outras não. Compete ao que preside discernir o que é de Deus e o que não é, e ensinar a irmandade. Os mais antigos no ministério orientem os mais novos.

 

Carta circular emitida em 2012, reemitida como Tópico de Ensinamento em 2013.

Anúncios

Um comentário sobre “O barulho nas Congregações

  1. Louvado seja Deus nas Alturas os Irmãos estão de parabéns fiquei até tarde aprendendo á servir a Deus pois está escrito muitas cousas que as vezes ficava me perguntando hoje que já são 3 e 27 da manhã aqui no Japan vou Orar ao Criador diferente Deus Abençoe á Todos vcs irmãos,fiquem com á Paz de Deus.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s