Servir, sem desejar nada em troca

servo-inutil

Olá, a Paz de Deus!

Continuamos a nossa série sobre relacionamento com Deus, e hoje, falaremos de um dos níveis mais difíceis de relacionamento com Deus: o nível “senhor-servo”.

Sim, você leu corretamente: difícil.

Difícil, porque este é o único dos níveis onde apenas oferecemos algo a Deus, sem desejar receber nada em troca.

Já parou para pensar o que significa ser servo de Deus? Já parou para pensar sobre o significado da palavra “servo”?

1. Referente a alguém que não é dono da própria pessoa ou dos respetivos bens;
2. (História) Designação do indivíduo que pertencia a determinada terra e servia o seu senhor;
3. Relativo ao indivíduo que, não sendo escravo, presta serviços de a outra pessoa; criado;
4. Indivíduo que serve, de forma subserviente, outra pessoa, dependendo da mesma; escravo;

adj.
5. Diz-se do indivíduo que não tem direito a possuir bens ou à sua própria liberdade;
6. Pessoa que se encontra na posição de criado ou escravo;
7. Diz-se de quem é dominado por outra pessoa ou por algo.
(Etm. do latim: servus)

(Fonte: http://www.lexico.pt)

Criado? Escravo? Palavras duras, não?

Ainda mais em tempos onde conscientemente ou não cultivamos o egoísmo. E talvez entender o ato de servir seja o “antídoto” perfeito para combater o egoísmo.

Nosso relacionamento com Deus esta se tornando tão egocêntrico que achamos que devemos servir a Deus para receber algo em troca. Alguns chegam ao absurdo de achar que deve até receber dinheiro, fama, status, bajulações em troco do serviço que presta a Deus. Mas até nós que não recebemos dinheiro e coisas do tipo sempre estamos crendo que nossas boas ações deveriam nos livrar das provações que enfrentamos nas nossas vidas.

Isso está errado.

A ideia de servir é “servir a Deus sem desejar receber nada em troca”.

Se você supre as necessidades de uma família faminta, se você prega para um presidiário ou ora para um doente, obviamente você não espera receber nada em troca por parte destas pessoas, não é verdade?

Aí você pergunta: “E da parte de Deus, não vou receber nada em troca?”

Não, e sim.

Não, suas boas ações não te fazem merecedor de nada, pois você continua sendo um pecador, cheio de erros. O que nos livra do inferno e nos aproxima de Deus é a sua Graça, que nos justifica todos os dias. E é por ela que sim, receberemos tudo aquilo que precisamos. Pela Graça de Deus, pelo favor dEle, não por nossas raras boas ações.

Pela Graça do nosso Senhor Jesus Cristo, e só por ela temos a certeza de que o Senhor já supriu todas as nossas necessidades. E assim temos a liberdade de o servimos sem visar qualquer tipo de lucro.

Se servir a Deus não nos torna aptos a receber nada em troca, então por que servimos?

Servimos por amor. Por amor ao nosso Senhor, e por amor ao próximo (os dois mandamentos que Jesus deixou em Marcos 12:30-31). Da mesma maneira que pelo serviço de algum servo de Deus o amor do Pai chegou até nós, esperamos que pelo nosso serviço a Deus, esse mesmo amor chegue a alguém, e a Palavra do Pai se cumpra, e as almas que o Pai tanto ama (e que nós passamos a amar por causa do amos dEle) também conheça esse amor.

No inicio de diversas cartas, Paulo se apresenta como “Servo de Cristo”. Em Efésios 3:1, Paulo se coloca como “prisioneiro de Jesus Cristo” por causa da necessidade de levar a Palavra aos que não a conheciam.

E também devemos lembrar que o próprio Jesus se fez carne e nos serviu, morrendo numa cruz por nós, mesmo sabendo que jamais nós poderíamos pagar por esse favor.

Está vendo? Servir a Deus não é algo que fazemos para nós. Aliás, a palavra “servir” já nos dá a ideia de que se trata de algo que sai de nós e vai para o outro.

E Jesus diz que nós devemos nos classificar como “servos inúteis”, porque fazemos “somente o que devíamos fazer”. (Lucas 17:10)

Este é o sentimento que devemos cultivar quando nos classificamos como servos de Deus. por um lado isso é difícil, pois isso acaba espremendo o nosso ego até a morte, e nos tira do centro da situação. Diferente de outros níveis de relacionamento com Deus (pai-filho, amigo-amigo, noivo-noiva, que trataremos nos próximos textos), este relacionamento senhor-servo não se trata do que receberemos, mas trata totalmente e somente daquilo que daremos: ao nosso Senhor e ao nosso próximo.

Semana que vem a série continua. Clique e leia os outros textos dessa série: “O cuidado do Criador” e “Como anda o seu relacionamento com Deus?”

Fiquem na Paz de Deus!

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s