Como anda o seu relacionamento com Deus?

comoanda

Relacionamentos. Um grande problema dos nossos tempos.

Mas quando falamos nesta palavra – relacionamentos – logo pensamos em relacionamentos amorosos, o que com certeza provoca dores nos corações de muita gente.

Sim, eu quero falar de relacionamentos, mas em um nível bem mais profundo. Eu quero falar daquele que deveria ser o relacionamento prioritário em nossas vidas, aquele relacionamento o qual deveríamos dar mais atenção, o relacionamento que deveria vir em primeiro lugar: o nosso relacionamento com Deus.

Vivemos tempos onde parece que Deus precisa esperar e torcer para que haja espaço em nossas concorridas agendas. Quem sabe há algum espaço entre as muitas horas de trabalho e as noites mal dormidas por causa dos estudos… Quem sabe sobre algum espaço de tempo entre o dedicado a nova série que estreou na TV e as longas conversas no Whatsapp… e então talvez sobre 2 ou 3 minutos para dizermos “muito obrigado”. E os domingos? A geração anterior a nossa aceitava o domingo como o “Dia do Senhor”: congregar, tocatas, visitas… Já para a nossa geração – que tem mais dinheiro e mais opções de lazer – estar congregado muitas vezes não passa de mais uma opção de lazer: hoje eu congrego, semana que vem eu vou no cinema, na outra eu vou no parque…

Não quero falar contras as diversas opções de lazer que temos hoje. Creio que como cristãos, somos sábios e sabemos o que é licito e o que não convém entre tantas opções. Quero elevar o nível da discussão, e perguntar: será que Deus não se tornou em apenas mais uma opção entre dezenas de opções na sua agenda? Será que ele tem sido a tua prioridade?

Sim, porque quando lemos a Bíblia, percebemos que Deus sempre fez questão de estreitar seu relacionamento conosco o máximo possível. No início, Ele andava conosco, e o víamos face-a-face. Infelizmente o pecado nos tirou este direito, mas Deus nunca desistiu de estar o mais próximo possível de nós.

No Antigo Testamento, para ter contato com Deus era necessário um sacerdote e um animal – um cordeiro – para ser sacrificado. E era essa a única comunicação que um homem dito “normal” poderia ter com Deus. Fora isso, só os escolhidos como profetas e outros raros casos, como Davi, Sansão e Saul por exemplo, tinham em si a manifestação do Espírito Santo. Mas Jesus veio a Terra, morreu e ressuscitou, se fez Sumo Sacerdote e Cordeiro Divino para que entre outras coisas pudéssemos ter um relacionamento direto com Deus, sem intermediários, exceto o próprio Jesus.

Então, de servos e criaturas, passamos a ser chamados de amigos (João 15:14-15), filhos (1 João 3, Hebreus 12:6-10), família (Mateus 12:49-50), noiva (Apocalipse 19) e esposa (Efésios 5:22-33). Essas referências só mostram como Deus faz questão de manter um relacionamento íntimo conosco, um relacionamento de confiança, amizade, amor.

Está vendo a preciosidade que estamos desprezando?

Hoje, muitos se sentem sozinhos, solitários, incompreendidos, muitas vezes estão em  meio a uma multidão, mas se sentem como estivessem só. E quantos (inclusive cristãos) não terminam a sua vida na depressão e até mesmo no suicídio, enquanto temos um Deus disposto a ser o nosso “tudo”: de amigo e pai, até marido…

Mas, não se engane! Ter um relacionamento com Deus não se resume a apenas ficar trancado 24 horas em seu quarto orando. A oração, o louvor e a comunhão são estritamente necessários, mas não é o suficiente. Leia esses versículos da epístola de João:

Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?
E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão.
1 João 4:20-21

Sabe o que isso significa? Que não adianta nada você se considerar amigo de Deus e não tratar bem os seus amigos. Não adianta nada você se achar o filho de Deus, mas não honrar seus pais aqui na Terra. Não adianta você se considerar a noiva de Cristo se seu namoro ou casamento está fora da Sã Doutrina. É necessário começarmos a nos relacionar intensamente com Deus, e é necessário que esse relacionamento comece a refletir nos nossos relacionamento aqui na terra.

E nisso, todos nós temos muito o que aprender. (Começando por mim.)

Se Deus preparar, continuaremos falando sobre este assunto nos próximos textos.

Antes de encerrar, quero agradecer à equipe da CCB Mensagens que me chamou para fazer parte deste blog, o qual estarei postando semanalmente. E quero pedir a todos que nos apresente em oração para que possamos fazer tudo isso sob a guia de Deus, levando o Evangelho, puro e simples como ele é.

Deus abençoe a todos! Fiquem na paz de Deus!

Anúncios

5 comentários sobre “Como anda o seu relacionamento com Deus?

  1. Amar a Deus é negar a si mesmo e crucificar a própria carne, afogando os desejos da mesma. Uma coisa é certa, neste mundo nada há de mais valor do que A GRAÇA do nosso Bom Deus.

  2. Bruno me orgulho de ter um amigo assim tao dedicado a obra de Deus,mesmo sendo dificil para o jovem estar na presenca de Deus ele tem levantado um geracao eleita ,e verdadeiramente quem quiser seguir a cristo tem que negar o seus proprios desejos .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s